sexta-feira, 28 de novembro de 2008

O verdadeiro jornalismo

Paulo Portas, agora mesmo na TVI, disse que o Banco de Portugal, relativamente ao BPN, sabia desde 2006, de factos que integravam a prática de eventuais ilícitos relacionados com branqueamento de capitais. Este facto, é crime grave e levou eventualmente á prisão de Oliveira e Costa. Nem se percebe que tenha sido outro ilícito.
Paulo Portas, referiu que Vitor Constâncio e o BPN, só em Outubro de 2008, dias antes de Miguel Cadilhe ter apresentado denúncia na PGR, decidiu instaurar procedimento contra-ordenacional, por esse facto- branqueamento de capitais.

Dois anos depois, por uma contra-ordenação grave! E de que tinha conhecimento claro e inequívoco, como ele mesmo acaba por reconhecer com o procedimento...contra-ordenacional.

Se o facto se referir a um crime de branqueamento, como tudo aponta, será incompreensível que Vítor Constâncio que ganha mais de 17 mil euros por mês e é reconhecidamente um indivíduo altamente inteligente e preparado, não saiba o que isso significa: cumplicidade na prática de um crime grave. Pode depois discutir-se a penalização da cumplicidade negligente e pedira parecer ao Prof. Costa Andrade sobre o assunto. Para já, parece que existe cumplicidade, segundo aquilo que Paulo Portas disse na TVI, há minutos.

Paulo Portas, aliás, acaba de dizer o mesmo, por outras palavras, na TVI de Manuela Moura Guedes. E diz ainda mais. Por diversas vezes, ao longo da entrevista breve, apontou mentiras ao Governador do BdP. Mentiras, isso mesmo.

A minha dúvida é a seguinte: até quando Manuela Moura Guedes continuará a afrontar a Cooperativa?

Aceitam-se apostas.

3 comentários:

Karocha disse...

Não sei José
A única coisa que sei é que ela tem na mão a Grande Bomba...

Miguel M. Ferreira disse...

Permito-me transcrever aqui um texto que retiro da caixa comentários de um post de Gabriel Silva no Blasfémias: "É um momento único porque Portas utiliza pela primeira vez na televisão portuguesa, e que eu saiba, pela primeira vez um comentador/jornalista/politico, o método de «desmontagem» (utilizado por jon stewart, por exemplo, mas este numa veia humoristica), recorrendo ás imagens de Constancio e logo a seguir, ponto por ponto, desmontando e refutando o que ele disse. Em diálogo.
Apenas a cumplicidade criativa da tvi permitiu tal coisa, o que também é significativo, pois a tvi tinha de ter o guião de Portas. Pelo que não é uma entrevista, nem comentário, é um programa de televisão dentro do telejornal.
Portas foi jornalista (político, é certo), mostrando ao mesmo tempo como os jornalistas não fazem habitualmente o seu trabalho,
Usassem os jornalistas mais vezes tal método e muito mais interessante seria a vida politica deste país."

Acrescento que o comentário é da autoria do próprio Gabriel Silva...e merece reflexão sobre os motivos desta "cumplicidade" da TVI...e sobre se queremos realmente este tipo de jornalismo. A mim não me chocaria...

Colmeal disse...

Boa noite,

Até gostei do desempenho do PP, alguém deve ter ficado com os óculos embaciados e as orelhas a arder .... penso que todos nós gostaríamos que sua "Eminência" explicasse um pouco melhor o que andou a fazer (ou não...)
Quanto à Manuela prevejo que vá para a prateleira na primeira oportunidade (e não sou "engenheiro" com o curso concluído ao domingo...)

A viagem da Apolo 11 nos media