quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Uma causa perdida

Do JN:

Portugal surge em 26º lugar numa classificação dos sistemas de cuidados de saúde em 31 países europeus, divulgada em Bruxelas pela organização "Health Consumer Powerhouse", que sublinha o deficiente acesso aos tratamentos e tempo de espera.
Com um total de 507 pontos em 1000 possíveis no conjunto de 34 indicadores de desempenho divididos em seis categorias, Portugal é o quarto país da União Europeia com pior resultado, surgindo na lista apenas à frente de Roménia e Bulgária, da Croácia e Macedónia (dois países candidatos à adesão à UE) e da Letónia, última classificada numa lista liderada pela Holanda.
O 26º lugar atribuído a Portugal representa uma nova queda relativamente às hierarquias elaboradas nos anos anteriores, já que em 2006 Portugal surgia na 16ª posição e no ano passado no 19º posto.
A saúde de todos, com as políticas públicas que a asseguram, tem sido sempre, e bem, uma das bandeiras de um Estado Social, particularmente daqueles que ainda mantêm na Constituição, o direito a uma saúde paga tendencialmente por todos. É uma das bandeiras dessa Esquerda que se pretende afirmar contra um neo-liberalismo, agora exangue.

Porém, notoriamente, Portugal, nos últimos anos de governo de uma Esquerda garbosa de o ser, está a andar para trás. Não progride; regride e de forma grave o que denota os erros, também graves, nas políticas de saúde.

A paz, o pão, habitação, saúde, educação...como dizia a canção, já desafinada.

Excepto, claro está, para a causa nossa. Essa, está sempre num ambiente de motete: o maestro dá o tom e as vozes da causa, encetam a polifonia.
Cada vez mais em completa cacofonia, porém. A realidade da partitura, é mesmo outra e a música não se pauta pela propaganda.

3 comentários:

Anónimo disse...

Há dias a TVI passou uma reportagem em que uma senhora estava ao lado do marido no corredor de um hospital, penso que de Faro. Explicou que o marido estava ali há 2 (dois) dias. Num corredor, amontoado com outras pessoas. Já temos estádios, Expo, rotundas com fontes luminosas e vamos ter TGV e campeonato do mundo de futebol.

KILAS disse...

E viva o Prof. ( ? ) Correia de Canpos, mais um, pq nesta terra é só professores, dótores e injinheiros, que, dizia eu, tanto ria, tanto gozava e que tanto assassinou o SNS.
Só espero que sofra naquela carne balofa o mal que fez aos outros...

VML disse...

Esses (os causas deles) andam mais preocupados (e entretidos) em condenar os tomates.

Tem lógica: havendo tanta falta, sobretudo naquela área, é normal que condenem o desperdício.

Uma ideia: estarem presentes nesses actos e tentarem apanhar alguns, tanto porque merecem como para os tentarem aproveitar, pois podia ser que dessem jeito lá ao chefe deles.