terça-feira, 16 de abril de 2013

Não há mentiras novas...e é isto.

Daqui:

Começou com 1,6 milhões, passou a 900 mil, ontem ficou-se pelos 700 mil. Sócrates vai ter que voltar para Paris.
O programa de José Sócrates na RTP1 atingiu ontem, dia 14 de Abril, 757 mil espectadores, uma queda em relação aos 978 mil da emissão inaugural da semana anterior e aos 1,6 milhões da sua entrevista de 27 de Março. Apresentado como um trunfo para a luta por audiências, “A Opinião de José Sócrates” alcançou um share médio de 14,85% num dos piores dias da RTP nos últimos tempos, com uma média ao longo do dia de 9,3% de share. Em comparação, o “Jornal das Oito” da TVI, que inclui o comentário de Marcelo Rebelo de Sousa, teve 1,6 milhões de espectadores, sensivelmente o mesmo valor da semana anterior, e um share de 34,25%. A TVI liderou as audiências de Domingo, com 29,6% de share, seguida da SIC com 23,4% e da RTP com 9,3%. A RTP2 obteve apenas 1,6% de share. O conjunto dos canais de cabo atingiu os 26,6% de share.
Um dia destes tem a audiência de um blog médio e de culto. O senhor da Ponte mais o moço de recados da direcção de informação da RTP já podem tirar as devidas ilações: se o argumento para trazer o inenarrável de volta era o das audiências da televisão pública, podem limpar as mãos à parede. E já agora saírem do lugar porque o serviço público da RTP não é isto.

21 comentários:

silviasantos2323 disse...

Por vezes a RTP presta serviço público. Como nesta reportagem em que se ficou a saber que o Dr. Miguel Relvas foi colega do Dr. José António Seguro numa conhecida universidade privada, onde ambos leccionavam a mesma disciplina:


http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=643465&tm=9&layout=122&visual=61

josé disse...

E o Vara não tinha também lugar assegurado de professor na Independente, depois de tirar um curso de Relações Internacionais à pressão?

Já se esqueceu ou nunca se lembrou?

silviasantos2323 disse...

E o Vitor Ramalho...

"Uma das notas mais elevadas do secretário-geral do PS, um 19, foi-lhe atribuída pelo antigo dirigente socialista Vítor Ramalho, que foi professor na Universidade Autónoma de Lisboa (UAL)"


http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/antonio-jose-seguro-com-notas-baixas-a-ingles

josé disse...

O Vítor Ramalho, esse é um grande professor. Mesmo. De assuntos maçónicos e jacobinos.

silviasantos2323 disse...

E a ministra Paula Teixeira da Cruz também é da safra dos licenciados em universidades privadas extintas no meio de grande confusão, tal como o ministro Mota Soares:

http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=54487

josé disse...

Que canalha temos em lugares de poder. Que canalha!

silviasantos2323 disse...

Este aqui parece que terá sido "graduado" pelo Marcos Perestrello...

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/faculdade-extinta-ainda-deu-diploma

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/perestrelo-ajudou-andre-figueiredo


"André Figueiredo, que se terá intitulado como jurista antes de outubro de 2009, disse ontem ao CM que não comenta "assuntos do foro privado". "Estou plenamente tranquilo sobre esse assunto [licenciatura em direito]", garantiu o deputado do PS. "

josé disse...

É bom esclarecer que o comentário sobre a canalha não inclui a Paula Teixeira da Cruz que acho pessoa séria.

Floribundus disse...

já não tenho idade para tirar um curso nas 'universidades de verão'.

em vez destas saloiadas
prefiro a minha 4ª classe do ensino primário elementar (1940)

Luís Gonçalves Rosa disse...

Caro José:

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/anuncio-de-novo-programa-de-matematica-no-1%C2%BA-ciclo-indigna-docentes-1591531

Vergonha... mas não apresentam argumentos. O regresso ao ensino dos anos 70... horror! A geração dos meus avós, tios ou das empregadas da família, toda essa geração frequentou esse ensino. Não tinham computadores. Nem calculadoras. Na serra, deslocavam-se mais de meia hora a pé, entre montanhas, de manhã, com o frio, para a escola. E aprenderam Matemática. Para quem não sabe do que falo, sugiro que vão à Biblioeca Nacional, e requisitem os livros escolares desses tempos... e comparem com os actuais. Era assim tão horrível?

muja disse...

Seria interessante saber o conteúdo do referido programa...

Claro que nessa amostra de folhetim não se preocuparam em mostrá-lo (o que é, provavelmente, sinal de que é bom).

É o jornalismo do costume pelos do costume e para os do costume...

muja disse...

Estes "jornalistas" nem para jornaleiros davam...

JC disse...

Entretanto a RTP continua na mesma, a sorver dinheiro ao erário público, com RTP 1, RTP 2, RTP Informação, RTP Memória, RTP Internacional, RTP África, RTP Madeira e RTP Açores (não sei se me esqueci de algum canal)

Nada de privatização, nada de concessão, nada de restruturação.

Tudo na mesma.

Ah, e acaba de receber mais uma indemnização compensatória, no valor de 52.000.000,00 (52 ME), por resolução do COnselho de Ministros nº 23/2013, publicada no Diário da República de 10 de Abril.

A Lusa, outra que tal, recebeu aproximadamente 13 ME.

Ljubljana disse...

Pois, os manuais desses tempos não eram pêra doce.

Hoje os manuais de matemática estão cheios de bonecos e mapas conceptuais. A abordagem das matérias parte do concreto, algumas lindas e claras aplicações, reais, com cálculos numéricos e gráficos sobrepostos a fotos ou desenhos da situação real, para a abstracção, o enunciado do conceito ou teorema, de forma muito simples, recorrendo ao vocabulário mais elementar, para não chocar.

Nesses manuais era exactamente ao contrário, partia-se da abstracção dos conceitos, de chofre, só com alfanuméricos, logo a doer, e no fim aparecia uma lista extensa de aplicações, de forma puramente textual, sem quaisquer bonecos a ajudar a interpretar o enunciado. Não havia cá paninhos quentes para ninguém. Do tipo, - queres aprender, puxa pela cabeça senão estás tramado!

No entanto, na matemática, como em qualquer outra disciplina, continua a ser válida a regra: sem queimar bem as pestanas...

josé disse...

A Matemática carece de duas ou três coisas:

Começar bem cedo, logo com nas primeiras classes e com exigência devida porque a disciplina é daquelas que depende dos graus de aprendizagem. É preciso dominar todos os graus porque só assim se compreendem os seguintes.
Para tal torna-se necessário também uma grande disciplina escolar. Os professores devem perceber bem o que ensinam ( o que nem sempre é o caso na primária) e devem exigir e confirmar que todos sabem todos os graus que ensinaram.

Só assim se conseguirá progredir na disciplina e nisto sou mesmo afirmativo. Não há outro meio de aprendizagem que não este.

O que temos não é assim e é por isso que muitos alunos têm grandes deficiências na disciplina.
Se seguíssemos aquele método e que dantes era mais seguido do que hoje, seríamos tão bons na disciplina quanto os do extremo-oriente o são.

josé disse...

Estou em crer que é muito mais fácil ensinar matemática do que português, por exemplo.

ana disse...

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/portugal-e-a-4-pior-economia-do-mundo

Kaiser Soze disse...

Sou um dos que, com orgulho, contribui para as baixas audiências.
Fora uns minutos da entrevista (?) primeira, nunca mais lhe pus os olhos em cima.

Ontem, por erro, fiquei uns minutos a ouvir o Manuel Alegre e, nesse período de acefalia, ouvi-o dizer, como tem sido repetido ad nauseam, que Sócrates voltou em grande forma e que no telefonema de reconciliação com Soares este último lhe disse que tinham de derrubar o Governo.

É tão triste e lamentável...

Kaiser Soze disse...

Ah, off topic, acabei de ler que o Justin Bieber afirmou que a Anne Frank poderia ser uma "belieber".

Perguntem-lhe o que é que ele anda a fumar porque deve ser o mesmo que os que agraciam o "regresso em grande forma" também devem andar a consumir.

JPRibeiro disse...

As share de audiências não são muito de fiar.
Um amigo garantiu-me ontem que até "O Encantador de cães" da SIC teve mesmo mais share que "O Encantador de burros" da RTP.

rita disse...

Ainda não estou satisfeita :(