domingo, 7 de abril de 2013

O país do faz-de-conta

É este que será bem exemplificado pela personagem que logo se apresta a tomar o seu tempo de antena que a RTP do senhor da Ponte e do outro que se gingou à direcção de programas generosamente lhe ofereceram, pago por todos nós.

É um país do faz-de-conta em que as casas, sempre de luxo, são o espelho do novo-riquismo e da prosperidade a crédito.  Tal como os carros. E os donos dizem-se  de esquerda, como convém, e  a favor dos pobrezinhos que eles defendem sempre para assim os enganar melhor.  A direita que não sabem definir é o inimigo imaginário.
O outro estadista, para eles, é o diabo em forma de memória. Percebe-se.

O supra-sumo de todo este panorama é um episódio que passou despercebido da opinião pública em geral porque a Impresa não lhe deu atenção e os media situacionistas também não quiseram saber.
Ocorreu em 2010, por ocasião dos Óscares de Hollywood, uma repórter da TVI reparou no nome do "Prime minister of Portugal" na montra de uma loja de "apparel" de super-luxo ( com este Inenarrável é tudo luxos). Publicou a reportagem mas mais ninguém quis saber como é que esse indivíduo teve o topete de fazer gravar o nome  e o cargo exercido, na montra do Bijan de Los Angeles e principalmente o que foi lá fazer, o que comprou e quanto custou. E com que dinheiro pagou, já agora.


15 comentários:

Luís Gonçalves Rosa disse...

«Se eu mandasse» a RTP acabava.

Floribundus disse...

morreu o realizador Luís Andrade, que começou a vida profissional como cantor lírico antes de ser realizador na rtp.

já devia ter sido vendida.
vem agora o ainda PM

CSJ disse...

E o homem vive com uma bolsa de estudo e vai comentar na RTP em regime "pro bono". Portanto nem IRS paga, ou não será assim?

josé disse...

Não deve pagar porque os rendimentos que agora poderá fazer de conta que aufere, por conta da Octapharma, podem muito bem ser depositados lá fora...afinal a empresa é suíça.

JC disse...

Qual bolsa de estudo?
Empréstimo da CGD, diz ele.

É que há três categorias de desempregados:
- os que vivem do rendimento social de inserção;
- os que viem do subsídio de desemprego, e
- os que vivem de empréstimos da CGD.

josé disse...

Mas é uma boa pergunta para logo:

O senhor José Sócrates apresentou declaração de IRS o ano passado? E recebeu ou pagou imposto?

CSJ disse...

Esse tipo de empréstimo só costuma começar a ser pago depois de terminado o curso, pelo que, entretanto, o regime fiscal deve ser semelhante ao de bolseiro. Ou não?

josé disse...

Humm...empréstimo de quanto? Pelas contas, muito por baixo, 600 mil euros. E o carro como é que o comprou? Com uma bolsa?

JC disse...

Qual tipo de empréstimo?

Acha mesmo que o José Sócrates tem um empréstimo para estudantes?

zazie disse...

ehehehehe

zazie disse...

Tem empréstimo para caloiro

AHAHAHHAHAHAHA

JC disse...

O carro deve-lhe ter saído numa rifa do Continente

Vivendi disse...

Só os fatos comprados em beverly hills saiu a mais de 10 mil cada.

josé disse...

Ainda bem que lembra essa porque vou colocar para alguém lho perguntar.

Unknown disse...

A vida privada de homens públicos em contradição com a sua pregação e com as escolhas políticas que anunciam deve interessar a todos. De esquerda ou de direita. José Sócrates é o caso mais notório no milagre da multiplicação dos Euros.

Muitos questionam: “Roubar é típico da esquerda?” Claro que não. O roubo não tem ideologia. Já o roubo em nome de uma causa, bem, esse tem, sim. Gostem os esquerdistas ou não, a moral relativa é um património do esquerdismo.

A direita também roubou e rouba muito. Mas fê-lo sempre debaixo do risco de ser desmoralizada. E foi-o muitas vezes. Só a esquerda conseguiu criar uma teoria para justificar o assalto aos cofres públicos.

São ladrões com ideologia, que roubam para nos salvar!