domingo, 15 de outubro de 2017

Uma escuta aqui, uma escuta ali e...ninguém viu, ouviu ou soube nada.



 Imagem do Expresso de ontem.

Neste caso do " buraco" cuja acusação foi agora publicada ( pelos vistos o processo continua em segredo de justiça mas a RTP, durante a entrevista patética ao arguido principal,  mostrou os volumes impressos da dita, alinhadinhos, sem um pio de quem quer que fosse...) avulta algo que certos comentadores apontam: então ninguém sabia o que se passava? Foi tudo camuflado e tudo escondido, para agora se revelar uma surpresa para aqueles que conviveram de perto com o dito "buraco"?

Bem, na verdade não foi assim.

O Correio da Manhã, mais uma vez faz um serviço público inestimável em relatar isto:

O primeiro ministro das Finanças do governo de Sócrates com maioria absoluta, Campos e Cunha, diz tudo o que é preciso dizer sobre a tragédia que foi tal governo, para Portugal. Mais: avisou e ninguém quis saber.

"A forma atabalhoada, tecnicamente não sustentada, com que foi aprovado um pacote de investimento de 40 mil milhões, mas nessa altura para mim, na minha cabeça, eu já me ia embora. Eu tentei parar aquilo, tentei suavizar, tentei que aquilo não fosse uma decisão, mas fosse apenas um grande...uns guidelines para futuras decisões, mas nada disso foi aceite, o primeiro-ministro estava absolutamente furioso comigo. Eu lembro-me bem dessa reunião porque foi no Forte de S. Julião da Barra, fazia o Governo 100 dias, portanto, está a ver, eu saí ao fim de 4 meses, portanto, não estava muito longe de me ir embora."

Mais: Campos e Cunha classifica o que então se passou como algo muito grave, um desastre. Acrescido de um outro: a exigência que a então ministra Maria de Lurdes Rodrigues colocou para o pacote II do PIP, para a Educação. Confessadamente, essa inenarrável que também conseguiu um empréstimo fantástico da CGD e tida como uma ministra de grande gabarito, classificou tal investimento e o que se seguiu, como "uma festa"! E foi...

Por outro lado, no CM de hoje aparem as fronhas dos embuçados pela vergonha que nunca tiveram, numa crónica de Eduardo Cintra Torres:



Só para se entender o modo como as decisões fluíam, estes dois artigos do Público são bem esclarecedores. O primeiro mostra bem o carácter e a fibra de um advogado chamado Sérvulo Correia, um Inadiável do tempo de Sá Carneiro. Sobres esta questão, Paulo Azevedo, mecenas do Público, disse tudo numa frase popular: "estavam todos feitos".



O segundo mostra como se decidiam certos processos no seio da CGD e que será a razão pela qual os partidos da AR não querem esclarecer devidamente tudo, como poderiam e deveriam fazê-lo. Portanto, todos cúmplices, todos iguais nesta corrupção, PCP incluído.

Expresso de ontem:



Como é que se lida com isto que nos causou perdas colectivas de milhões e milhões e sacrifícios acrescidos para outros tantos milhões...de pessoas?

Não será com humor, mas neste caso, o do CM merece destaque porque é negro como um buraco:



E por falar em humor, este video no Youtube  de um Bandex, vale a pena ser visto:



23 comentários:

zazie disse...

Aqueles montes de folhas em cima da mesa são os do processo?

ehehehe

lusitânea disse...

Os democratas corruptos são doutorados em roubar e fugir com o rabo à seringa caso sejam apanhados.Os investigadores à procura de emprego no estudo da escravatura e da inquisição ainda encontram os processos.Dos concursos manhosos a amigos ui ui ui que desaparece tudo.E governar por instruções verbais?Uma maravilha.Ninguém os apanha...Depois é só uma escuta aqui e outra ali...
O regime os se regenera depressa ou é tudo para ir pelo sifão...o que por mim já vai muito tarde...

josé disse...

Aquele monte de folhas será a acusação que terá 4 mil páginas.

Pergunto-me se seria preciso escrever tanto...e se vai ser preciso ler aquilo tudo logo que o julgamento começar. Se for, quanto tempo demorará só a ler a acusação?

Quanto tempo demora a ler 4 mil páginas?

Parece-me uma coisa mal feita, mesmo sem conhecer o conteúdo.

E parece-me que o MºPº não tem necessidade de escrever tanto para imputar os crimes que imputou com os factos que são conhecidos.

Os factos instrumentais deveriam ser expurgados da acusação, mas enfim, o MºPº anda nesta moda que não sei de onde veio...


Se calhar do CEJ onde está o irmão do Pedro da Silva Pereira.

zazie disse...

eheheh

Também acho uma anormalidade e ninguém lê nem memoriza um mastodonte destes.

Se calhar, grande parte é namedroping, poesia e floreados.

josé disse...

Suspeito que sejam factos instrumentais. Por exemplo, menção a pormenores de escuta. No dia x ás tantas horas, o fulano disse para sicrano...e coisas assim. Issomultiplicado por centenas de vezes.

É uma moda no DCIAP, com certos indivíduos. Já vi uma igual e que é uma enormidade completamente desnecessária. Resulta de não saberem podar os factos essenciais dos instrumentais.
Mas reservo comentários sobre isso para quando conhecer melhor a peça processual.

É apenas um palpite e se quem fez a acusação for quem julgo, até me admiro.

joserui disse...

Muito boa a página do Eduardo Cintra Torres.

Floribundus disse...

'o Diabo seja surdo, paralítico, coxo e tudo'

Intragisente
Num ano em que o orçamento prevê um crescimento do PIB de 2,2%, o mesmo orçamento prevê que a receita aumente 3,8% e a despesa aumente 2,9% (a redução do défice é assim explicada por um aumento maior da receita do que da despesa).
As prestações sociais e as despesas com pessoal representam dois terços do total da despesa, isto é, 66%. Qualquer reforma do estado digna desse nome terá que endereçar estruturalmente estas duas parcelas.
Existe uma diferença de 13,7 mil milhões de euros entre as contribuições sociais (23,6 mil milhões) e as prestações sociais (37,1 mil milhões).
Apenas em juros – o estado vai gastar mais de 7 mil milhões de euros (cerca de 8% da despesa total). Ainda assim, uma redução de 5,8% do valor dos juros a pagar face a 2017 resulta num alívio na despesa de 443 milhões de euros em relação ao ano anterior.
Para 2018, o orçamento prevê um crescimento do investimento público em mais de 40% (que se encontra em valores historicamente baixos em percentagem do PIB).

lidiasantos almeida sousa disse...

do campos e cunha um confesso vigarista nada se espera, andou a lamber as botas do Sócrates e a fazer-lhe o programa de governo que deu uma maioria. qualquer pessoa minimamente inteligente vê que tudo o que ele agora renega constava DO PROGRAMA DO GOVERNO FEITO POR ELE. O grande problema de Campos e Cunha foi o parvo do Sócrates fazer uma lei que proibia os ministro de acumularem as penes ao ordenado. Como ele recebia uma Pensão vitalícia do Banco de Portugal de 9.900 euros x14 MESES, tratou logo de arranjar uma dor nas costas para se demitir. Como todos os cobardes, para ficar bem visto começou a falar do TGV e outros que se podem ver no programa por ele elaborado. qualquer pessoa honesta renegava este comportamento. Sócrates não conheço mas deve ser muito ingénuo, para escolher para ministro uma pessoa desclassificada, como este e mexer com o lobby da justiça, intocável e ainda com o lobby das Farmácias. bem se queixa o Juiz de instrução ganha menos por causa do Sócrates lhe reduzir as regalias. A VINGANÇA SERVE-SE FRIA.

Bic Laranja disse...

Gosto das caras na página do Cintra Torres. Mas para ficar composto não deviam ser só de frente, como também de perfil.
Cumpts.

Bic Laranja disse...

Estavam todos feitos, estavam...
O Azevedo sempre o soube e cá para mim também queria filar o quinhão proncipal. Faltou-lhe mais «sal» para temperar melhor o leilão.

Cumpts.

Bic Laranja disse...

Parte do bando foi apanhada agora porque o cretino megalómano se pôs a gastar à tripa forra. Saiu-lhes um desavergonhado supinamente estupido. Mas há décadas que a bandalheira anda aí instalada. Nenhum dos bandalhos que sobram, nem o vaidosão do bandalho-mor que se foi, foram alguma vez tão indiscretos.
É a coisa ia, pois!...

Terry Malloy disse...

É, houve aqui muito de menino da província deslumbrado com as luzes da grande cidade.

" Top of the world, mamma!"

Zephyrus disse...

Ha dias ao ouvir a Antena 3 online o humorista Bruno Nogueira numa das rubricas que tem na radio pubica colava Passos Coelho e Andre Ventura ao PNR e pelo meio metia Jose Gomes Ferreira nas gracolas. Acabei de ler uma entrevista onde o jornalista diz basicamente isto: Portas forcou a demissao em 2012 para tentar que o Governo caisse o que tinha como ultimo fim ajudar o Dono Disto Tudo. Alguem nos comentarios a entrevista fala que isso ja se comentava nos aventais. Alvaro dos Santos Pereira tambem fala disso num livro que escreveu sobre a sua passagem pelo Governo. Alias uma das exigencias do irrevogavel foi a saida do Ministro da Economia. Convem nao esquecer portanto Portas, pois e outra das pontas da teia...

Esse Bruno Nogueira e outro ao nivel do Ricardo Araujo Pereira...

Zephyrus disse...

Morreram mais 5 pessoas por causa dos incendios.

O Governo quer atirar mais dinheiro para cima do problema. Nao vai resultar.

As causas dos incendios nao se resolvem com mais meios.

Os incendios tambem demonstram o falhanco da educacao das elites: nao conhecem a goegrafia, o clima, a Historia e a vegetacao nativa do pais.

Zephyrus disse...

Rui Rio em entrevista defende defice 0. Ja o tinha ouvido dizer em conferencia, ha anos, no Porto, que Portugal deveria ter excedentes orcamentais e que Guterres poderia ter deixado a divida publica num valor inferior a 50% do PIB.

Dizer que a divida se paga em 500 anos e um exagero, mas basta ver a demografia, as tendencias dos nossos parceiros ocidentais e o valor da divida para perceber que na proxima crise ciclica corremos um serio risco de ser uma nova Grecia.

Pouco mudou na estrutura do Estado desde a vinda da troika e as poucas reformas feitas estao a ser revertidas pela "Geringonca". la para os lados do Rato existe e fe que a Alemanha nunca deixara falir ninguem e que mais cedo ou mais tarde as dividas portuguesa e grega serao assumidas pelos paises ricos para "salvar o euro". Por isso, basta ir mantendo o defice dentro dos valores acordados para Bruxelas nao reclamar.

Nunca mais se falou de Miguel Cadilhe, que tinha um plano para reduzir rapidamente a divida. Mas implicaria o fim da boa vida de certas classes medias e o fim dos encostados ao Orcamento de Estado.

Entretanto, a divida ja chegou aos 250 milhoes...

Zephyrus disse...

Ha dois anos quando visitei a barragem do Cabril estive em Pedrogao Pequeno e deu para perceber que havia presenca forte de aventaleiros na regiao em causa. Ali, em Castanheira de Pera, Ferreira do Zezere... foi uma surpresa em local rural e da provincia.

Zephyrus disse...

Muita coisa faz agora mais sentido.

Seria util recordar o que se passou com a nossa TDT (Televisao Digital Terrestre) e uma certa tese de doutoramento feita na Universidade do Minho sobre a TDT...

Importar salientar que o PCP e o BE apoiaram sempre as ditas obras publicas do PS.

Algures em 2009 ou 2010 o Expresso lancou um dia um certo "Compromisso por Portugal" ou algo do genero... seria util recordar que deu o nome e apoiou o Socrates nesses anos. Um professor que tive na UP foi um deles e nao digo aqui o nome porque prefiro permanecer anonimo na blogosfera.

E preciso perceber por que motivo face a todos os indicios que ja havia tinhamos gente com curriculo e titulos a elogiar o Governo que chamou o FMI e a defender uma politica economica suicida? Porque? Sao estas as elites abrileiras?

Tenho em casa sebentas que comprei em alfarrabistas, de professores universitarios do tempo do

Zephyrus disse...

Do tempo do "fassismo". A linguagem e mais simples, directa, os valores sao outros.

Zephyrus disse...

Segundo um estudo de um sociologo da Universidade de Salamanca o grupo profissional mais favoravel a independencia da Catalunha e com mais simpatizantes da CUP (extrema-esquerda) na Catalunha sao os professores.

Seria util termos estudos deste tipo sobre os professores em Portugal.

josé disse...

A linguagem é a chave para este problema. A linguagem mudou radicalmente no 25 de Abril de 1974.

Enquanto as pessoas não perceberem isso, haverá confusão de ideias.

josé disse...

O modo como se escreve e ensina, em livros escolares é propositadamente confusa para se relativizar o que nunca o deveria ser.

Os conceitos básicos e terra a terra dão lugar a elaboradas teses barrocas sobre cientoinices várias e sociologias de treta.

Quem se especializa nisso é doutor catedrático no ensino e apto a elaborar manuais e a ser convidado para o Governo.

O exemplo máximo é essa mentecapta chamada Maria de Lurdes Rodrigues.

lusitânea disse...

"Blogger Zephyrus disse...

Entretanto, a divida ja chegou aos 250 milhoes..."

250 mil milhões ou seja 7 165 toneladas de ouro ou seja 10 ciclos Brasileiros do ouro...
Mas prontos quanto planeta se salvou e quantos netos estão garantidos para a vida...

lusitânea disse...

Mas os nossos internacionalistas já têm solução para o pagamento da dívida aos credores.Fazem como na descolonização virtuosa.Entregam cidades inteiras.E quem não concordar pode ser lançado ao mar...