quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

É Carnaval...ninguém leva a mal.

Uma notícia surreal no Diário Digital:

O Ministério Público (MP) enviou um fax à Câmara Municpal de Torres Vedras proibindo a inclusão de uma sátira ao computador portátil «Magalhães», disse o presidente da autarquia, Carlos Miguel, em declarações à Antena 1.

«Fomos surpreendidos agora cerca da uma hora com um fax do Ministério Público assinado pela senhora delegada do 1º juízo, a qual nos dá um prazo até às 15h30 para retirar o conteúdo do computador Magalhães», referiu o autarca.

«Achamos que pela primeira vez após o 25 de Abril temos um acto de censura aos conteúdos do Carnaval de Torres», acrescentou.

Segundo Carlos Miguel, «o que existe é uma sátira ao computador Magalhães com um autocolante que se pressupõe que seja o ecrã».

Adenda, às 21h e 20m:

No noticiário da SIC-Notícias, Mário Crespo glosa o assunto, com a presença do responsável pelo Carnaval de Torres Vedras, (advogado) e muito cuidadoso e diplomata. Pronuncia o nome da responsável pelo MP local, várias vezes ( Cristina Anjos), autora da intimação censória. Uma pessoa ainda jovem, diz o advogado diplomata.

O responsável lá vai repetindo que a "senhora procuradora-adjunta", até ficou admirada quando viu o "corpo de delito", nada parecendo aquilo que julgara antes e justificara a apreensão do "objecto pornográfico"...pelos vistos as imagens pouco ou nada terão de pornográfico.

Manhoso, Mário Crespo, pergunta qual a distância do tribunal ao local do crime: umas centenas de metros. Poucas.

Enfim.

ADITAMENTO, às 16h:

Do mal, o menos.

Público , última hora:

A sátira ao computador Magalhães, que tinha sido ontem censurada por conter “conteúdo pornográfico”, afinal vai estar presente do “Monumento” do Carnaval de Torres Vedras. O autarca Carlos Miguel pediu uma autorização para colocar uma nova imagem, igual à original, no local onde agora se lê “Conteúdo removido/censurado por ordem da senhora procuradora-adjunta da Primeira Delegação do Tribunal de Torres Vedras”. A procuradora-adjunta Cristina Anjos reconsiderou e deu luz verde.
(...)
Para a autarquia o recuo não é de estranhar, uma vez que ontem a procuradora, quando recebeu o autocolante no tribunal, admitiu que se baseou numa fotografia desfocada quando tomou a primeira decisão e que se se tivesse dirigido ao local teria considerado as imagens “inócuas”.

14 comentários:

Karocha disse...

E depois não existem pressões!!!
Pode ser que haja mais barraca no carnaval e , quem sabe o povo leve a mal...

Ha do que disse...

Pensava eu, que sou um analfabeto em Direito, que para uma coisa destas seria necessário um "queixoso", a não ser que se trate de crime público.

Serão estas piadas ao Cagalhães realmente crime público ou o Regime terá uma já bem estabelecida rede de bufos?

carlos disse...

Será que uma das mulheres era a f.?

Leonor disse...

Vá lá, deixemos de ser más-linguas. Acreditemos na bondade de quem apresentou a queixa... ou não houve queixa?
Foi no âmbito criminal ou civil? Qual terá sido o direito invocado?
E a fundamentação da decisão?
Estou curiosa!! Já há link disponível?

Karocha disse...

Já agora o MP pode começar a tirar de circulação, todos os pasquins que trazem fotos de mulheres nuas a venderem-se.
Quanto a Torres Vedras, conheço muito bem a máfia local...

Tino disse...

Será que o possível queixoso é um dos que não gosta de mulheres nuas?

Estas criaturas são irritadiças e têm tiques ditatoriais.

Karocha disse...

Como eu disse a Máfia de Torres Vedras, conheço de gingeira...

Karocha disse...

O que o Mário devia ter perguntado é porque é que a GNR entrou armada em minha casa, para eu assinar ilegalidades!!!!

Karocha disse...

quanto ao tribunal ao lugar do crime, para-se e , toma-se um café, tais são os minutitos...

Karocha disse...

E mais não digo!
Não quero que o José me bana, como o ABC o fez...

Miguel M. Ferreira disse...

Ainda na senda da tal Manuela Moura Guedes,esse ícone do Jornalismo por estes lados, aguardemos para ver como sai a noticia relativa a esta historia de Torres Vedras. Aposto que um facto completamente irrelevante para este caso (o facto de o computador ser Magalhães) será esprimidinho até ao osso!!!!

Vamos lá ver...:)

josé disse...

Pois talvez. Mas agora, gostaria de saber o nome do queixoso púdico...

Quanto à magistrada o que tem a fazer é muito simples: arquivar o auto e pedir desculpa, por escrito. Explicando que não foi ao local e deveria ter ido.

Chega para repor a honra do convento.

Karocha disse...

Não me admiro nada, ela também conhece a máfia de Torres Vedras,é só espera mais umas horinhas...

Investigador criminal disse...

Bem que o PGR diz que o MP tem de tirar o rabo da cadeira e o corpinho ode trás da secretária.....senão dá nisto.....