terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Escrita automática

Os que mais se indignam com fugas de informação e quebras do segredo de justiça, exigindo agora uma investigação rápida aos casos suspeitos de corrupção, são precisamente aqueles que mais contribuiram para capar e liquidar a capacidade de investigação da polícia e do MP, em Portugal.

É preciso desfaçatez.

12 comentários:

Anónimo disse...

Cá para nós, a indignação deve ser mais da área das consequências. Com uma fuga destas ninguém pode ficar sentado, só que eles estavam deitados, dormiam e ressonavam profundamente ao colo uns dos outros.

Colmeal disse...

José,

e será que essa "indignação" é mesmo sentida ou como diz o nosso povo isso "é só da boca para fora" ?

já agora veja esta do "Estudo da OCDE" :

ESTUDO OCDE - 40.000 €

esta gente não tem mesmo vergonha na cara ...

Colmeal disse...

Mais umas pérolas via Público :
"(...) Já na questão do relatório sobre as reformas do ensino básico – que segundo o PSD e o CDS o Governo atribuiu à OCDE – a ministra desdobrou-se em explicações. “Nunca me ouviram dizer nem ao primeiro-ministro que o relatório era da autoria da OCDE”, afirmou a governante, esclarecendo que o perito autor do trabalho foi escolhido de uma lista de especialistas que habitualmente trabalham para a organização e que era o mais qualificado.

Irritada com as perguntas dos deputados, Maria de Lurdes Rodrigues questionou os efeitos das “suspeições” lançadas sobre a autoria do relatório que terá custado entre 40 mil a 50 mil euros: “pergunto-me no futuro que peritos internacionais estarão dispostos a sofrer o enxovalho que este sofreu?”.

À margem das questões de política educativa, o PSD questionou a rescisão do contrato com o advogado João Pedroso por incumprimento e a obrigação deste jurista contratado pelo ministério da Educação ter de devolver metade da quantia paga em prestações. “Por que é que se perdoou metade do dinheiro?”, perguntou o deputado Emídio Guerreiro. A ministra indicou que estão a ser apuradas responsabilidades da decisão nos serviços no ministério e que o caso será tratado em sede própria.

O deputado Pedro Duarte, do PSD, já numa interpelação à mesa, considerou que o Parlamento é a sede própria para dar explicações sobre uma questão que envolve “uso indevido de dinheiro público e outros crimes”. Palavras que levaram a ministra, já encerrada a audição, a dirigir-se ao deputado: “eu ouvi bem o que disse”.
(...)"

uuii que medoooo .... eu se fosse o Pedro Duarte ia já comprar um cão, não vá a Maria de Lurdes tecê-las ....

Miguel M. Ferreira disse...

Fora do tema do post....mas dentro do tema do comentário de Colmeal...já tinham visto esta:http://31daarmada.blogs.sapo.pt/2187872.html

Colmeal disse...

Já não conseguimos distinguir o que são notícias de "publicidade encomendada" pelos nossos políticos ...

Anónimo disse...

Miguel M. Ferreira,

Este governo tem uma panca incurável com o virtual.

Anónimo disse...

Só cá faltava mais um foragido do hospital:

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=125169

pedro frederico disse...

bom dia,...pois tem flash, mas a maioria que tem não é assim tão virtual, nem a eventual vitória de outubro irá ser;...tal como não é virtual, o desejo de zarpar deste país para fora se isso acontecer...
(abraço ao colmeal e ao flash; comentadores assíduos e certeiros...)

KILAS disse...

Desculpem este comentário " ad latere " mas parece-me ter interesse, nos tempos que correm:

1 - Introduzir no GOOGLE a palavra SOVENCO (é nome de empresa). Clicar em "enter" e ler o conteúdo de alguns links.
2 - No mesmo GOOGLE escrever: REVISTA FOCUS número 257 de 15 de Setembro de 2004.. clicar em "enter"... e ler.
3 - Voltar a escrever no motor de busca: Engenheiro António José Morais... "enter". Há bastantes links também para ler...
4 - Raciocionar - (quem tenha sido dotado pela natureza com essa faculdade)- Afinal como é? Vivemos na Europa ou no 3º. mundo? Quem tem por hábito negar o que existiu? Quantos mais processos judiciais por aprovação de ilegalidade (além da Freeport) estão "abafados"?

josé disse...

O tal António Morais, se a imprensa estiver atenta, vai ter fartos motivos de prestar declarações no processo de corrupção e branqueamento de capitais, onde vai em breve responder, pois já foi pronunciado há muito por esses crimes.

Veremos se diz alguma coisa de jeito, para engenheiro a sério que formou o tal engenheireiro das dúzias.

Por mim, bastava-me uma coisa simples: que esclarecesse quando, como e onde conheceu o engenheireiro. Com verdade, claro.

Se não for ele a dizer, talvez a mulher também saiba porque vai responder na mesma altura ao mesmo.

É cá por coisas que não me esqueço da entrevista do engenheireiro à RTP1, aos inenarráveis entrevistadores-branqueadores.

Colmeal disse...

leituras a não perder no Público(desculpem a publicidade...) :

- Editorial de Ferreira Fernandes sobre o último veto de Cavaco

- Artigo do Prof. Santana Castilho em que explica como foi "feito" o estudo da "OCDE" ...

Onde me encontro hoje o acesso à net é péssimo e é só por isso que não coloco links já que tive de ler na edição em papel...

Mas vale a pena ler.

josé disse...

Pois, o Santana Castilho vai já para a primeira página. Já tinha lido e acho que vale a pena.