Páginas

quarta-feira, 15 de maio de 2013

A saga do Inenarrável continua...

Lux.pt:

O inesperado aconteceu. Esta terça-feira, o actual e o ex-primeiro-ministro viajaram no mesmo avião da TAP. No entanto, Pedro Passos Coelho viajou em económica e José Sócrates em executiva.

O primeiro-ministro regressava a Lisboa depois da apresentação em Paris do relatório da OCDE sobre Portugal. Já José Sócrates, estudante em Paris, regressava à sua cidade natal.

À partida, Pedro Passos Coelho cumprimentou o seu antecessor e á chegada trocaram breves palavras, uma vez que viajavam em classes distintas.

Carlos Moedas, secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, ainda entregou ao ex-primeiro-ministro o relatório da OCDE que tinham acabado de receber em Paris, mas Sócrates, que era o único passageiro da classe executiva, optou por ler «Marianne», revista francesa de informação geral e assumidamente de esquerda.

Numa viagem em que Pedro Passos Coelho se limitou a cumprir a regra que impôs a todo o governo no início do mandato, José Sócrates teve ainda uma compensação inesperada, uma vez que o controlador de voo o cumprimentou primeiro do que actual líder do Governo.


José Sócrates aparentemente não tem dinheiro para mandar cantar um cego.  Mas viaja em executiva ( passageiro único...)  desloca-se em Mercedes série S, e outras coisas. Em resumo, faz vida de rico. Grande rico, note-se. Uma viajem de Paris para cá, em Executiva, na TAP, quanto custará?
O jornalismo caseiro, esse, faz de conta que isto é muito normal. Normalíssimo.

49 comentários:

S.T. disse...


Surreal.

zazie disse...

Nem entre sobas.

Kaiser Soze disse...

Tenho para mim que essas viagens Portugal/França e vice-versa são pagas por nós...

Floribundus disse...

dizem algures que as viagens são pagas pela falida rtp

Kaiser Soze disse...

...pois, é o que me parece, também.

Vivendi disse...

Cada movimento no estilo de vida de Sócrates demonstra como Portugal é um país cheio de parvalhões e sem justiça.

hajapachorra disse...

O grandecíssimo fdp ainda por cima é burro.

Mentat disse...

Mas, porque diabo, é que alguém aqui pensou, que a situação podia ser diferente?

Normalissimo.
Só quando um homem morde um cão é que isso é noticia.
Um cão morder, é naturalissimo...
Isto é uma regra do jornalismo, acho eu...
.

rui verde disse...

É por estas e outras que defendo que José Sócrates devia ser submetido a julgamento em tribunal,com fundamentos sérios e claros.Talvez,finalmente se começasse a fazer luz...ou talvez não.

josé disse...

"José Sócrates devia ser submetido a julgamento em tribunal,com fundamentos sérios e claros."

Julgamento criminal, suponho. Há um problema: nullum crimen sine lege. E os actos políticos de Sócrates não devem ser sindicados criminalmente.

Porém, há inúmeros actos que o poderiam ter sido e não foram: falsificações ( a da ficha biográfica na AR, por exemplo, ou de certidões de habilitações algures), corrupção de Estado ( o atentado ao Estado de Direito indiciou-se a meu ver e no entender de alguns magistrados de Aveiro)e prevaricação e abuso de poder ( manigâncias na CGD, BCP e tomada de poder em bancos).

Investigar não é condenar: é apenas isso. E tal não se fez.

rui verde disse...

Tem razão,mas o meu ponto era um pouco lateral.Acredito,por exemplo,que um julgamento sobre a nulidade da licenciatura no Tribunal Administrativo poderia ser como as cerejas.

josé disse...

Sim, se fosse mediatizado qb. O problema é que alguns responsáveis mediáticos não pegam no assunto porque olham de manhã o espelho e não gostam do que vêem e principalmente do que passariam a ver, se...

AAA disse...

Mas ainda alguém ainda acredita na justiça e na competência do MºPº?
Não foram eles que pediram a absolvição do caso Tagus Park?

josé disse...

"Eles"?

Foi apenas o Luís Eloy...

josé disse...

Detesto fazer isto mas neste caso devo dizer que o Luís Eloy é casado com a juíza que entendeu que o Paulo Pedroso não cometeu crime algum, no caso Casa Pia...

Manuel disse...

o Al Capone foi preso por fuga aos impostos. Mas desenganem-se, porque gajos destes não podem ser incriminados ou qualquer dia os portugueses ainda eram todos iguais aos olhos da lei. pqp esse psicotico .

Isabel Costa disse...

Sobre esta notícia, no blog abaixo afirmam que o Vitor Gaspar foi em executiva, ou seja, as regras não são para todos os membros do governo!

http://aspirinab.com/penelope/a-quem-interessar-possa/

naoseiquenome usar disse...

Engraçado: o facto de o piloto ter cumprimentado Sócrates em primeiro lugar que Passos Coelho é imputável ao cumprimentado :)
E o facto de o PM de Portugal ter-se deslocado a Paris, para "ouvir" o resultado de um estudo que encomendou - leia-se Portugal - a Paris, como se esta fosse a capital de Portugal, é tudo coisa perfeitamente normal...

zazie disse...

Esta é que é inimputável e insalubre.

zazie disse...

As viúvas lloronas.

História Maximus disse...

Parabéns pelo exclente blog.

Força nisso!

naoseiquenome usar disse...

ó querida, tome lá os comprimidos, sim?

zazie disse...

Olha a triste viuvinha que anda na bloga a chorar.

É bem feita, é bem feita, socretina que não tem em quem votar

":O)))))

naoseiquenome usar disse...

ah poeta! Continua, pode ser que te cures!

Mentat disse...

"Detesto fazer isto mas neste caso devo dizer que o Luís Eloy é casado com a juíza que entendeu que o Paulo Pedroso não cometeu crime algum, no caso Casa Pia..."

Não lhe parece que isto devia dar origem a pelo menos um inquérito?
Sempre li ou ouvi, que o que indiciava Carlos Cruz era exactamente o mesmo que indiciava Paulo Pedroso, logo ou eram os dois inocentes ou eram os dois culpados.
Já li algures por aqui, que a lógica no Direito não é mesma do que na Matemática, mas isto já demais.
A coincidência na actuação desse "casal" não deveria ser investigada?
Aliás, em Portugal quem "guarda" os "guardas"?
.

josé disse...

Mentat:

Não, não deve por uma razão simples que se torna muito complexa:

a simples é que os juízes devem ser independentes na sua auctoritas,naquilo que contende com o poder de julgar. Se a tal juiz entendeu, como de facto entendeu que não havia indícios suficientes para submeter a julgamento alguém por factos que serviram para submeter outros em circunstâncias idênticas teve que fundamentar esse entendimento e o modo de reagir processualmente está definido: recurso se a tal houver lugar.
Não se deve sindicar a decisão do juiz por outra via que não essa. Porém, torna-se complexo porque tal decisão, passível de apreciação crítica por quem a lê, pode revelar os contornos iníquos ou injustos que comporta por vezes. E nesse caso, surgem outras razões que tornam a decisão um espelho de uma Justiça que não serve o povo em nome do qual é proferida.

josé disse...

Se tal decisão ainda por cima é tomada relativamente a alguém que se revela politicamente próximo as suspeitas adensam-se ainda mais e é por isso que os magistrados têm que manter reserva absoluta quanto a preferências partídárias.

Porém, como dizia Costa Andrade, o "sistema de contactos" é tramado e os amigos que frequentam os mesmos lugares e convites que se fazem para isto ou aquilo ou outras circunstâncias que retiram essa imagem de independência aos olhos do cidadão comum, tornam ainda mais difícil acreditar na isenção e independência de quem decide.

JC disse...

Juiza que entendeu que o P. Pedroso não cometeu crime algum.

Não foi o Tribunal da Relação de Lisboa que tomou essa decisão em relação ao Pedroso?

josé disse...

Foi. Confirmou a decisão da juíza de instrução em não pronunciar tal arguido, tendo sido pronunciados os outros...

Se tivesse sido ao contrário confirmava na mesma, penso eu de que

S.T. disse...


"sistema de contactos"

:)

AAA disse...

"Eles"?

Foi apenas o Luís Eloy...

E no caso Cova da Moura? Posso presumir ou não que foi mal investigado (para não dizer outra coisa), a obtenção de prova mal feita e por aí fora?...

Ricciardi disse...

Ouvi dizer que a família de José Socrates, nomeadamente o avô, eram pessoas bastante abastadas que fizeram fortuna enorme com o volframio nos tempos de guerra.
.
É capaz de ter sobrado algum para o neto. Não sei. Agora, se o gajo (ou os pais herdeiros) tem realmente contas em Gibralter no valor de 300 milhoes de euros, das duas uma: 1) ou a estória do volframio é mesmo verdadeira ou 2) o gajo enriqueceu durante a governação.
.
Ainda assim, não obstante, o tipo ficou uns 5 anos no governo a ganhar um salário de uns 6 mil euros. Ora 6 mil*14 meses*5 anos = 420 mil euros.
.
Viver em paris requer uns 4 mil euros por mês. 24 mesesx4 mil = 96 mil euros.
.
Rb

mujahedin مجاهدين disse...

Ó Rb, 4 mil euros???

Só se teve algum negócio da China como o do apartamento que comprou em Lisboa na Rua Braamcamp...

Segundo o CM o tipo gastaria pelo menos 7 mil só para renda.

Se V. fôr ver o preço médio por m2 dos imóveis naquela zona, anda à volta dos dez mil euros. Nalguns sítios chega aos trinta mil.
O preço médio (médio!) da renda na mesma zona é cerca de 30 euros por metro quadrado...

josé disse...

"ou a estória do volframio é mesmo verdadeira"

Não é.

Vivendi disse...

Deve ser uma herança que demorou a chegar de Covilhã... Por falta de auto-estradas e tgvs.

Antes vivia num modesto apartamento T2 na calçada Eng. Miguel Pais, em São Bento. Na garagem tem um Mercedes. Longe vão os tempos em que conduzia um modesto Rover 111.



http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/mae-de-socrates-compra-casa-a-um-offshore?nPagina=6

JC disse...

Ricciardi:

Deixe-se de contas simplistas.

6 mil euros por mês seriam ilíquidos.
Ponha aí os descontos para a CGA, ADSE, IRS e em vez de 420 mil euros fica com uns 300 mil, e isto muito por alto.

E nesses 5 anos viveu de quê, o Inenarrável?
Nao teve gastos?

E como pagou as fatiotas que foi comprar aos States, à boutique Rodeo (ou lá como se chamava), onde tem o nome gravado?


JC disse...

E o Mercedes que custou pelo menos 100 Mil euros?

zazie disse...

Foram os nazis do volfrâmio, só pode.

Engraçado é que essa herança nem precisou de ser declarada e, apesar de serem tão ricos a mãe vivia de ordenado mínimo ou pensão miserável.

Zéfoz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuel disse...

De um tipo que reage como uma virgem ofendida, se a fortuna tivesse explicação (honesta), ele já a teria apresentado. mercedes de 100.000 é mesmo o que parece, lavagem de dinheiro. embora no bom portugal isso até nem seja necessário.

zazie disse...

Que o vigarista seja isto nem é espanto.

Agora que tanta gente que nem parece retardada mental ainda defenda e encontre justificações em pseudo-heranças é que me ultrapassa.

E nem se trata apenas do caso patológico das viúvas aspirínicas, é pior.

Vivendi disse...

As coisas até iam saindo aos tropeções para os jornais mas a injustiça fez o seu papel.

Mário Machado revela 'offshores' de tio de Sócrates

São 67 páginas de documentos bancários de Celestino Monteiro, irmão de Júlio Monteiro, ambos tios de José Sócrates, que Mário Machado, líder dos Hammerskins portugueses, colocou na Internet. Os papéis publicados vão desde os certificados de constituição de uma offshore até aos movimentos bancários efectuados durante alguns meses do ano de 2001. Entre compra e venda de acções, o valor global das transacções do tio materno do primeiro-ministro ultrapassou os cem milhões de euros.
Os documentos mostram a constituição de uma empresa offshore, a Medes, no estado do Wyoming, nos EUA, e de algumas subsidiárias, como uma em Gibraltar. Contactado pelo DN, o Banco Popular, entidade que absorveu o antigo Banco Nacional de Crédito, pelo qual, através da BNC International, foram feitas as transacções, não negou a veracidade dos documentos.

http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=1168563&especial=Extrema%20Direita&seccao=SOCIEDADE

Mani Pulite disse...

Os Eloisias têm muito para explicar...A corrupção não existe no sistema judicial?São todos Santos aí...ou tomam-nos a todos por parvos?

JC disse...

É mais a segunda hipótese, com os chefes máximos à cabeça

ae disse...

Muito bom.

naoseiquenome usar disse...

http://www.publico.pt/politica/noticia/lobo-xavier-os-responsaveis-pelo-resgate-financeiro-foram-o-psd-e-a-oposicao-1594707

naoseiquenome usar disse...

http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=76246

Maria disse...

O José desculpar-me-á mas neste caso não concordo com a sua opinião e não resisto a deixar nesta caixa (poderia não ler o comentário na outra em que este tema foi abordado) uma nota relativa à sua dúvida quanto ao facto de não acreditar que a maçonaria manda de facto na política do nosso país. Eles mandam em tudo e estão infiltrados em todas as áreas da sociedade, desde a política, passando pela economia e acabando na Justiça. Pode crer. Isto mesmo, por palavras mais rebuscadas mas clarinhas como água, foi afirmado há poucos anos por um grão-mestre numa entrevista televisiva, mas também é dos livros. Quando, por volta de 1975, a política do país estava a escapar-lhes ao controlo, tiveram que se infiltrar nas principais áreas da governação e usaram de todos os estragemas possíveis e impossíveis para que o rumo desta não se afastasse dos seus objectivos.
Este ano o Clube Bilderberg irá reunir-se, como todos os anos, algures na Europa ou na América do Norte, pelos fins de Maio/princípios de Junho. Nessa próxima reunião secreta os big-bosses (ou seja, a maçonaria mundial) irão traçar as linhas-mestras com que se irão cozer as políticas de todas as democracias do mundo, até ao próximo ano. Esta agenda repete-se sempre e invariàvelmente pela mesma altura. As decisões políticas desta reunião e de todas as subsequentes (como o foram todas as do passado longínquo e recente) serão desenvolvidas pelos dirigentes-maçons de cada uma dessas mesmas democracias.

Se não acredita, repare nos nomes dos primeiros-ministros (para não falar nos presidentes dessas repúblicas, que não vão a estas reuniões por serem demasiado publicitadas pela imprensa mundial e onde vêm escarrapachados os nomes dos participantes, o que, além de perigoso por ser demasiado evidente, serve para disfarçar os seus propósitos, mas no entanto reunem-se em casa dos mesmos - vide o conclave Cavaco Silva/Bush-pai várias vezes e com Bush-filho outras tantas e (entre várias outras personagens políticas - presentes ou futuras - conhecidas e desconhecidas do grande público) a recepção particular de D. Cheaney concedeu a Paulo Portas para ser "agraciado" com uma comenda qualquer...) que estiveram presentes nas inúmeras reuniões do clube nas últimas décadas e que, poucos anos depois, polìticamente incompetentes ou não, vieram a ocupar os respectivos cargos nos vários países europeus. Os muito poucos que, tendo embora participado nas reuniões, nunca tenham chegado a ocupar o cargo, tal ficou a dever-se a impedimentos de vária ordem: razões graves de saúde; personalidade demasiado fraca; falta de carácter; desconfiança quanto ao pacto de silêncio jurado pela pessoa; condições psicológicas duvidosas, etc., embora todos eles tenham lá ido "prestar provas".
A maçonaria mundial com sede em Filadélfia, tem filiais espalhadas por todo o mundo e em cada uma delas homens de mão a dirigi-las aplicando no terreno as directivas recebidas da casa-mãe. Ela anda há mais de meio século a desestabilizar a paz mundial e fá-lo afincadamente. Todavia a sua formação como clube secreto e influência política vem de muito mais atrás, tendo tido o seu início no século dezassete no Reino Unido. No séc. dezoito passou para os Estados Unidos. De volta à Europa estendeu-se ràpidamente à França. No séc. dezanove progrediu e de que maneira, primeiro na Rússia e depois um pouco por toda a Europa. No príncípio do séc. vinte e até meio deste, concentrou-se nos países do centro-europeu. E mais para o fim deste século acelerou o ritmo, que se prolongou pela segunda metade do mesmo, alastrando-se aos países do sul da Europa, Portugal experimentou-o na pele. Entretanto não abrandou o ritmo avassalador e pelo séc. vinte e um aterrou literalmente nos países do norte de África (como se constatou recentemente e continua a verificar-se dia após dia) não mais parando até hoje. E a saga prosseguirá imparável até que um movimento global, formado por gente sã, os detenha. Caso contrário a humanidade enfrentará um cataclismo (não natural) de proporções inimagináveis.

Maria disse...

Porque é que os pedófilos, políticos e não políticos, assumidos e não assumidos, andaram e andam a abusar de crianças e jovens com o conhecimento da sociedade, sem terem jamais sido detidos pela polícia, quando se sabe que a maioria deles começou a fazê-lo abertamente, pelos anos 75/76 e até hoje, com o beneplácito de todos os governos, abertas que foram as portas do país de par em par às respectivas redes? E porque é que Dias Loureiro (e muitos outros com ele apaniguados) durante anos cometeu as maiores fraudes bancárias a que o nosso país já assistiu - comparadas com a de Alves dos Reis, deixa a deste a biliões de quilómetros de distância - e no entanto anda por aí, livre que nem um passarinho, protegido pelas mais altas instâncias político-maçónicas? E porque que é que Duarte Lima assassinou, ele próprio ou por interposta pessoa, uma senhora (com provas insofismáveis na polícia judiciária brasileira) a quem prestava serviço jurídico e tem sido protegido sucessiva e inacreditàvelmente por todos os governantes e colegas políticos, se estes todos têm perfeito conhecimento da verdade dos factos?
E porque é que os homossexuais (cujas manifestações e mesmo a sua própria existência, eram terminantemente proibidas em todos os países comunistas da altura - como hoje ainda o são naqueles que se libertaram do comunismo, mas no entanto os hipócritas que apoiam à outrance estas e outras 'agremiações' e modernices do género - mas só nas democracias, é claro - eram e continuam agarrados à mesma ideologia e a elevar aos céus a dita, apoiando incondicionalmente todos esses regimes que foram comunistas - receberam aqui há anos uma sede num edifício do séc. dezoito, que lhes fora até então negado, cedido gratuitamente por um presidente da Câmara de Lisboa que, para poder executar esta e outras manigâncias políticas, substituiu propositadamente, a meio do mandato e sem motivo, o que estava (e entre outras velhaquices políticas, para abrir caminho a estoutro à presidência da república) para, aproveitando-se do cargo, oferecer um edifício do séc. quinze ao paizinho? Isto só para citar algumas, poucas, das milhentas canalhices praticadas impunemente ao longo de décadas por governantes e políticos em geral, todos 'democratas' e todos ou quase todos maçons e mesmo os que o não são, estão sob a protecção absoluta da maçonaria cá do sítio e esta por sua vez da mundial.

Foi por estas e por outras que o Dr. Salazar, honra lhe seja feita e que Deus o tenha em descanso, conservou esta troupe miserável longe do nosso país. Pena foi ter deixado ficar alguns para amostra.