quarta-feira, 1 de maio de 2013

Estamos feitos como país

O Arménio, o bolchevista de serviço na Intersindical, hoje na manifestação e discurso da praxe nem sabia quem havia de referir como "inimigos da classe operária" que o mesmo representa de modo pífio ( há anos que não trabalha, como o camarada Jerónimo que já se esqueceu como se faz um chante).

Vai daí chamou à pedra os capitalistas portugueses que conseguiu arranjar: Américo Amorim, Belmiro de Azevedo e Marques dos Santos.
São estes os capitalistas inimigos da classe operária ( o farsante até disse que ganham mais num   ano que os trabalhadores durante a vida inteira) que este desgraçado arranjou para sustentar o discurso surrealista neo-prec e para fustigar os putativos inimigos de classe. Não arranjou mais ninguém, o que é revelador do capitalismo que temos.

Estamos entregues aos bichos.

13 comentários:

Floribundus disse...

o seu pensamento reside nos óculos de marca famosa
cujas lentes são apenas permeáveis ao vermelho da urss

nem uma referência à 'roubalheira' de que tanto gosta e que mora noutras paragens:
nos partidos de esquerda social-fascista, nomeadamente no contratos ruinosos ps-banca; no enxame de militantes da castradora administração pública; nos direitos adquiridos para baixa produtividade.

vimos a ugt de bigode socialista entre estaline e hitler

'siga o enterro'

Floribundus disse...

entre os participantes no passeio havia principalmente gente anafada:
eles de grande panças, elas de enormes nalgas.

sem som deliciei-me a ver os 'esgares' da 'muralha d'aço'

o Barça foi fazer companhia ao Real Madrid.
a Ibéria cheira a miséria

em Espanha a Polícia distribuiu 'fruta' pelos manifestantes

por cá, tal como no prec, anuncia-se na indústria:
« a X ficou este mês toda 'pindurada e tem de fazer uns cabritos' »

Floribundus disse...

está pérola do Jugular

«Estão neste momento a iniciar-se as Conferências do Estoril. Entre os oradores deste ano conta-se o primeiro ministro húngaro, Viktor Órban, que está indissociavelmente ligado às alterações constitucionais que, digo eu, até deviam levar a que aquele país pudesse ser expulso da UE.»

lusitânea disse...

O Amorim na lista?Deve ter previamente avisado e pedido desculpa...

Kaiser Soze disse...

...e quanto mais incompetente for o Governo e quantas mais SWAPS aparecerem e quantos mais ministros virem os seus cursos retirados por ilegalidades, mais terra fértil irá aparecer para este e outros que tais, independentemente da esquerda e da direita.

O PCP e o BE, por exemplo, devem estar no 7º céu e até lhes deve ser difícil fingirem indignação perante tantas e tão boas notícias!

Vivendi disse...

José,

Veja a conversa da treta desta alarvidade do movimento que se lixe a troika.

http://videos.sapo.pt/Qo4hBnz83fdiT466stHa


E este tipo de gente ainda é convidada para discursos em escolas.

Zephyrus disse...

http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=3197635

E quem é a grande defensora do sistema? A Esquerda. Não há muito tempo assinavam tretas a pedir obra pública, PPP's e afins. Para engordar o BES, o grupo Mello e a Mota-Engil. Que diria Álvaro Cunhal disto?

Zephyrus disse...

O outro que foi agora para a UGT é empregado do BES. Está tudo dito.

Parece que concordo com o Louça. Quem manda em Portugal é Ricardo Espírito Santo.

Zephyrus disse...

Esta manhã ouvi Carlos Zorrinho a dar o sermão da Esquerda moderna, na Antena 1.

Afirma que é preciso falar para os militantes do BE e da CDU. Afirma até que com o PS no poder os dois partidos comunas poderiam cumprir alguns dos seus «sonhos».

Diz que não há «consenso». E sabeis porquê? Simples: o PSD não aprova as medidas do PS. O consenso desta gente está explicado: só existe quando a Esquerda está no poder. Lata não lhes falta.

Pede crescimento e emprego, e a jornalista não pergunta o caminho para lá se chegar. Cuidam que o emprego se cria por decreto.

Mostra-se indignado com os cortes de 6 mil milhões. E salienta que o PS está contra. Mais. Sonha com a mutualização da dívida do Sul do Europa. Quando o sonho é alto...

Para ouvir, hoje à tarde, na RTP2.

É que o nos espera se Passos Coelho perder as próximas eleições. Uma mistura de Hollade com a comunada no poder. Novo PREC à vista com espoliação do que resta da classe média e média-alta, até à miséria final.

Zephyrus disse...

*Hollande

Zephyrus disse...

Se tiverem oportunidade oiçam. A jornalista é uma nulidade e o discurso é de vendedor de enciclopédias ou de pastor de uma qualquer igreja evangélica.

Manuel de Castro disse...

Não faço a apologia da esquerda nem a da direita, não tenho rótulo. Isto para dizer que não foi apenas a esquerda que deu cabo deste país. Foi o Bloco Central de interesses, pois foram estes que governaram desde o 25 de Novembro! Negar isto é continuar a meter a cabeça na areia.

josé disse...

Manuel de Castro:

Foi efectivamente esse bloco central que estragou o país, mas é preciso dizer mais que isso:

Esse Bloco Central não mudou quase nada do que sucedeu em 1975, com as nacionalizações e a captura do Estado pela Esquerda em todos os domínios.

Esse Bloco Central adaptou-se ao que encontrou e nada mudou de essencial porque no fundo, os elementos desse Bloco Central eram cúmplices da tal Esquerda.

Quer ver um exemplo concreto e que melhor que todos? Balsemão.

Veja o que era esse indivíduo em 1973, 77, 81 e depois.

Balsemão é o exemplo máximo da nossa desgraça nesse aspecto.

Por alguma razão Sá Carneiro não confiava no indivíduo.