Páginas

sábado, 12 de maio de 2018

A corrupção teórica combate-se com tretas. A real é outra coisa.

No Correio da Manhã, Rui Pereira assina hoje este pequeno apontamento que diz tudo sobre um programa a sério, sobre um sistema de Justiça bem melhor que aquele que existe.
Evidentemente vai tudo ficar como está, mas estas sugestões são das melhores que tenho visto ultimamente e poderiam servir de programa a qualquer partido que se dignasse olhar a sério para o assunto da "reforma da  justiça".


Por outro lado, no Expresso, Maria José Morgado ( não, nada tenho de pessoal contra a senhora, apesar do que possam pensar alguns; apenas me irrita este discurso recorrente, vazio de sentido prático e deletério, no fim de contas):


Maria José Morgado, ao tempo do caso do "bijan", indício muito forte de corrupção, envolvendo o então primeiro-ministro Sócrates, o que fazia?  MJM dirigiu o DIAP, desde Abril de 2007 e foi reconduzida ao fim de três anos. Teve tempo mais que suficiente para investigar esse e outros casos singulares que apontavam para a "vergonha" que agora sentem aqueles de quem MJM se sente mais próxima politicamente. E nada fez, que se conheça, sobre esse e outros casos similares, envolvendo esse indivíduo, apesar de ter escrito muito sobre o fenómeno da corrupção.
Outro caso:  o processo de violação de segredo de justiça, a propósito do caso Face Oculta,  ocorrido em 24 de Junho de 2009, em que um dos principais suspeitos era Pinto Monteiro foi arquivado no DIAP, nessa altura.  Até hoje não se conhecem publicamente os fundamentos de tal arquivamento, seguramente de uma das maiores violações de segredo de justiça de que há memória.

É por isso que não acredito no discurso de Maria José Morgado: para além do mais, alguém que se envolveu profundamente na luta política, no caso de extrema-esquerda e em prol do kamarada Mao, não tem discernimento suficiente para se tornar isento politicamente em casos de fronteira. Não teve, não tem e nunca terá. E por isso nunca deveria ter chefiado sectores importantes da orgânica judiciária.

No mesmo Expresso de hoje aparece a história de um cineasta chinês que realizou um filme para envergonhar antigos maoistas e colocá-los ao mesmo nível que os adeptos do nazismo. O paralelo não é demagógico. O maoismo foi um sistema de eliminação de seres humanos em massa. Apenas porque eram "burgueses", de "direita".

Capito?


12 comentários:

AAA disse...

Este é um dos que nunca viu nada nem soube de nada quando era ministro do sócrates.
Outro, para me ficar por aqui, é Teixeira dos Santos, co-responsável pela bancarrota e que parece que nunca viu nada nem suspeitou de nada. E anda por aí a tratar da vidinha, agora presidente de um banco, como se não fosse nada com ele.
Claro que assim, sem responsabilidades imputadas a políticos no exercício da sua acção, o sentimento de impunidade alastra e iremos continuar sempre no mesmo lamaçal.

JsJ disse...

José,
Afinal a denúncia "premiada" já não existe em Portugal? no Brasil é a colaboração premiada, pejorativamente classificada de "delação". Nos EUA também, certo? Se não for desta forma os crimes de colarinho branco nunca seriam descobertos... como o são agora no Brasil.

josé disse...

A "denúncia premiada" não existe ainda em Portugal, enquanto tal.

Existe a possibilidade de diminuição de pena ou isenção em certos casos e em todos, a possibilidade concreta apreciada de acordo com a colaboração para a descoberta da verdade.

lidiasantos almeida sousa disse...

a denuncia premiada em Portugal, SERVIU A Jose Maria Ricciardi, que delatou o primo ao Banco de Portugal, e conseguiu manter a licença
de BANQUEIRO, como se ele nunca tivesse sonegado uns milhões do BESI.
Interessante um, Império duma família, com ramificações por casamentos. como o Comandante RICCIARDI.o nonagenário que nas reuniões se sentava na cadeira de honre e dirigia as reuniões e assinava as actas, e quando discutiam a substituição do RICARDO SALGADO, antes da bomba. por se sentir cansado e saturado de tantas intrigas familiares, ele oponha-se tenazmente dizendo que o filho para esse lugar, NUNCA, porque era um estouvado, eu nem conhecia esta palavra muito utilizada pelo comandante em chefe.O Senhor José é que podia relatar como funciona um império familiar, seja do BES, do BANIF, da SOARES DOS SANTOS, DO BELMIRO DE AZEVEDO da IMPRESA e doutros. Mas eu só quero ser pobre e feliz, A namorada do Marcelo Rebelo de Sousa administradora do BES, riquíssima era praticamente braço direito do RICARDO SALGADO, amigos e companheiros de ferias na ILHA do Brasil ou nas Montanhas de neve e nas caçadas.

Floribundus disse...


a morgado dos cana viais
e outros que tais

devia ir tudo de cana

há biltres por tudo quanto é lado
principalmente esquerdo

José Domingos disse...

Mais uma vez um frete do jornalixo de esgoto, numa questão em que não diz nada ( saberá dizer?), o tipo de conversa de encher chouriços.
Creio estar a aguardar o lugar para limpar a pocilga.

JsJ disse...

"Existe a possibilidade de diminuição de pena ou isenção em certos casos e em todos, a possibilidade concreta apreciada de acordo com a colaboração para a descoberta da verdade."
Então, se fosse mais publicitada, podia haver mais "colaboradores" comprometidos a explicar como e comprovadamente os esquemas são montados. Dando-se assim a volta à impossível aprovação da legislação sobre o enriquecimento ilícito, invertendo o ónus da prova... Para além de se desmistificar que a justiça brasileira é do terceiro mundo, nomeadamente por ter aprovado aquela colaboração com aqueles contornos.

lidiasantos almeida sousa disse...

ainda bem que aparece aquyi um senhor que INTERPRETA a forma de castigar o enriquecimento ilícito. por exemplo, CAVACO SILVA disse eu sou um misero reformado, por os estarolas lhe terem cortado as reformas mesmo assim superiores ao vencimento dum PR. Nas ultimas eleições presidenciais da era cavaquista, ele entregou uma declararão de bens exorbitantes, muitas acções muitos titulos mas esqueceu-se de mencionar a casa da Aldeia da coelha. para não dar muito nas vistas, entregou outra declaração de bens em nome da mulher. Depois de eleito, corrigiu as declarações junytou os bens dele aos da mulher ai o enriquecimento foi abismal. como pode um casal de míseros reformados ter uma riqueza destas? com tantas casas ainda foi preciso fazer obras sumptuosas Convento do Sacramento. talvez a pedir perdão à senhora de Fátima de quem eram devotos até lhe pediram chuva. No Tribunal Constitucional as declarações de rudimento não são verificadas por ninguém , é tudo fé em DEUS E AOS MOLHOS.

lusitânea disse...

Quando se fala em corrupção de esquerda logo há um da alegada direita.A prova do algodão de que todo o regime deve ir abaixo.Unanimidades na AR para nacionalizar os judeus, para mudar de sexo a pedido?Oh que pugresso...

lusitânea disse...

Com o indigenato branco a cagar-se para tão ilustres mostrengos interpretadores não admira que queiram mudar de zé povinho importando um mais dócil ainda...

lidiasantos almeida sousa disse...

subterrâneo para onde mandam o dinheiro por uns tubos, o dinheiro é ali armazenado e enviado para o Vaticano.

lidiasantos almeida sousa disse...

UM GRANDE ABRAÇO PARA O SENHOR AAA, deu na mouche, o Ministro das Finanças é mais responsável que o 1º Ministro seja ele quem for. Ele tem de dominar todos os ministerios. Andou A F...com a funcionaria do Ministério das Finanças dava-lhe documentos a que só ele tinha acesso, para o marido o manso ir lá buscar às escondidas para os dar a dupla CAVACO/CATROGA A QUE ELE SE JUNTAVA. a elaborar o programa da troyca. Quando a mama terminou foi para o Porto dar aulas, mas a força de Lisboa é tanta que voltou para ser Banqueiro e estar perto da TOUPEIRA QUE LHE TINHA GARANTIDO O LUGAR DE PRESIDENTE DA CGD, mas os mamões do PSD, NEGARAM.