domingo, 13 de maio de 2018

Os radicais livres amarrados ao marxismo

Rui Tavares, um radical livre, amarrado ao marxismo, decanta hoje no Público, em duas páginas, as suas memórias de um ano de 1998, para falar do tempo de 1968 que não viveu e tentar uma transposição para o presente 2018.
Como figura memorável dessa diacronia comemorativa vai buscar o protagonista daquele tempo, Daniel Conh Bendit,  tornado parlamentar europeu até  2014,  então muito  ocupado  com a "unidade da Europa".

O artigo resume bem a figura híbrida em que viceja um pensamento indefinido que assenta numa mistela imiscível: o libertarianismo anárquico e o marxismo. Uma mistela chique a valer que agitada resulta em caca ideológica. É disso que consome Rui Tavares e muitos jornalistas acreditam ser uma ambrósia de deuses.

Senão repare-se no que escreve o radical livre amarrado ao marxismo. Basta uma das páginas:


Está lá o elogio do libertarianismo, ao ligar os acontecimentos de Maio de 1968 à hostilização do "paternalismo" e do "autoritarismo internacional" representado pelos poderes das superpotências.
"Dessa dupla oposição nasceu uma esquerda que reencontrou as suas raízes libertárias e as voltou a juntar à sua paixão pela igualdade, e que ao fazê-lo teve de recusar os dois imperialismos em simultâneo, o soviético e o americano".

Ao mesmo tempo enuncia o fundamento marxista, sempre presente na denúncia dos lugares onde "a liberdade-fraternidade é decantada pelo desdém aristocrático com que os ricos e bem-nascidos olham para os suburbanos, os provinciais e os imigrantes".

 É este o discurso resumido destes radicais livres, que se julgam o supra-sumo da modernidade embrulhada nestas ideias de caca.

Misturam isto:


Com isto:


Com esta caca ideológica levam a vidinha num Parlamento europeu, a ganhar os 200 ou 300 mil euros por ano, a fazer de conta que lutam contra moinhos de vento.

E o Público, do Dinis, Dinis, alguém assim quis, franqueia-lhe as páginas porque chafurda no mesmíssimo pathos.

Estes palermas ideológicos são mesmo os herdeiros directos do tal Maio de 1968 que ainda não acabou de ser celebrado pelos mesmos. 
O tal Conh-Bendit, esse, já declarou que está farto destas palermices...

10 comentários:

zazie disse...

Uma caca mas uma caca jacobina de um mija-nos-finados

lusitânea disse...

O Rui Tavares vai passar a sua rica vidinha a fazer caca.Onde claro os pobres Portugueses e os seus queridos imigrantes se devem rebolar agradecidos.Imigrantes que quer sejam precisos ou não seja ou não convidados são nossos e muito nossos.Através do Estado Social...
Cheira.me que não foi para isso que entregaram tudo o que tinha preto e não era nosso e com limpeza étnica do branco e sem bens...

Ricciardi disse...

Não há ninguém mais habilitado a detectar radicais do que um radical.

Eles conhecem-se bem e, neste capitulo, ponho a minha mão no fogo de que o jose está a falar com conhecimento profundo de causa.

Não sei se têm alguma marca ou assim, 'mas são três e andem por aí aos pares'.

Rb

José Domingos disse...

O tal Conh-Bendit, já não dá para estes peditórios, o resto são favores para se afirmar de esquerda, coisa que provavelmente, não deve saber o que é, e claro, dá cá o meu.
Estes inúteis dão muito jeito para manter o status e normalmente, como idiotas úteis, fazem o que lhes mandam.
É o nosso mantra.
Ainda deve estar a tentar perceber, em que língua é que está escrito o artigo.

lidiasantos almeida sousa disse...

O DINIS CUJA RAZÃO DESCONHEÇO PARA ELE SER DIRECTOR DO PUBLICO, que foi um jornal de referencia e hoje limita-se a copiar artigos do on-line observador de foi director, O GRUPO DO CARRAPATOSO NÃO GOSTAVA DELE ACHAVA-O MANSO. MISTÉRIO O HERDEIRO DO BELMIRO, PAULO QUE EU ACHO MANSO SEM A GRAVITAS DO PAI, NÃO TEM CORAGEM PARA FECHAR O TABELOIDE oiu fazer como o BALSEMÃO VENDER A UM TESTA DE FERRO, QUE NESTE CASO FOI AO LUIZ DELGADO, Não se conhece o enriquecimento deste para compar meia dúzia de revistas que ninguém compra por MILHÕES. Realmente o DCIAP deve andar a dormir ou selecciona os indiciados ppor amigos e inimigos. coo se vê no julgamento FIZZ, é uma autentica parodia, assistir é melhor que ir ao teatro de fantoches. O DEPOIMENTO DO super juiz Carlos Alexandre foi de partir as pedrinhas da calçada, e o depoimento da irmã Maria Figueira que dizem ser medica, um show, a certa altura meteu os pés pelas mão ao explicar a conta off shore em ANDORRA e os cofres la escondidos, um cheio de jóias valiosas. outro cheio de nonas de 500 EUROS ANEDOTIZO ELA QUE ERA PARA OCUPAR MENOS ESPAÇO, O JUIZ ABESPINHOU-SE COM ELA E ELA RESPONDEU: "SE CALHAR SOU LERDA" sempre a prender nunca tinha ouvido tal palavra. UM BOM RESTO DE DOA 13. PARA TOSOS ESPECIALMENTE O SENHOR AAA. ,

Lura do Grilo disse...

"pelo desdém aristocrático com que os ricos e bem-nascidos olham para os suburbanos, os provinciais " uma selfie do autor.

Ricciardi disse...

É interessante os azedumes que desperta o jornal Publico. Lemos os tipos de esquerda extrema e o jornal é um veículo de transmissão do mal. Lemos está rapaziada da direita pisca pisca do o jornal , espante-mo-nos, É um órgão vendido à esquerda e malfazejo quanto baste.

Isto é bom sinal. É sinal de que se trata dum jornal que, elasse, não agrada aos radicais de esquerda nem aos radicais de direita, embora estes últimos radicais sejam mais fofinhos do que aqueles por causa da imensa e inefável superioridade moral, religiosa e cívica.
.
Rb

lidiasantos almeida sousa disse...

RICCIARDI , nao deve ser o ZE MARIA que tem que fazer, mudar milhões dum lado para o o outro antes de 30 dias é uma trabalhera.já para mim que não sou da esquerda nem da direita nem do centro, isso é outra trabalhera, limito-me a observar à distancia e só me muovo em coisas interessantes como o julgamento do PROCESSO FIZZ, que me fax lembrar a minha infância e o teatro dos fantoches com o boneco roberto. eu não dou um cêntimo sequer para comprar esse objectos caducos, o Luiz delgado telefonou-me para eu comprar a VISÃO ON LINE, mas mandei-o dar uma volta. Depois de irem buscar um JORNALIXO como o tal Fernando da revista Sábado, nem pó. eu não sou uma radical fofinha sou mais para o durinha. Venho a este blog para ver os jornais e revistas que o senhor jose imprime, mas h+a algum tempo que reparei nos seus comentários deliciosos fizeram-me lembrar cantiga da muralha daçu alpendro és mesmo do contra as hipotéticas senhoras que aqui apostam devem ficar furiosas por contrapor os discus rachados, agora vou jantar que não almocei.

A Mim Me Parece disse...

A mim me parece que os tempos já foram mais desafogados: hoje há que trabalhar em duplicado aos domingos para equilibrar o orçamento!

lidiasantos almeida sousa disse...

eu fiz uma blague ao comentador RICCIARDI QUE É O APELIDO DUM GRANDE ALDRABOFONO, CHAMADO JOSE MARIA RICCIARDI, Roubou mais que o primo de certeza absoluta, mas em portugal acham que num império Comercial turístico agrícola, seguros, hospitais, num conselho de administração de quase 100 pessoas, um ÚNICO HOMEM PODIA FAZER RUIR UM IMPÉRIO. ESTA AO QUASE A RUIR UM IMPERIO FAMILIAR ONDE DOIS PRIMOS ESTÃO Â MARRADA.