quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Lamentações de job

Qual é a empresa pública que está no topo do endividamento colossal e catastrófico para a nossa economia? A REFER, com mais de 6 mil milhões de euros de calotes por solver, muito à frente dos metros de Lisboa e Porto.
Quanto ganham os magníficos gestores destas impressionantes empresas públicas? Pouco. À volta de 100 mil euros anuais, o que lhes dá um pouco mais que o presidente da República. Como gestores de grande calibre e bitola internacional, merecem todos os cêntimos que ganham, claro está, porque nunca descarrilam nas contas.
O jornal i de hoje dá conta de mais um destes gestores fantásticos, irmão de uma tal deputada que em tempos se preocupou muito com certos blogs levando o PGR em início de funções a desabafar que "é uma vergonha!"
O indigitado gestor, aprontado para o cargo pela magnífica administração da REFER, ainda no tempo do anterior governo, foi chumbado pelo actual governo que viu na nomeação aquilo que vulgarmente se designa "boy for the job".
No currículo da criatura consta uma incessante a activa participação política num Movimento Voluntário Sócrates 2011 e uma militância intensa no blog Defender Portugal, nos idos do anterior governo.
Lá se vai o boy para outro job.

Sem comentários: