domingo, 14 de junho de 2020

Com a China na mira

O Cm de hoje tem uma colunita de opinião editorial que se me afigura suspeita e possivelmente ignorante e desinformativa.

Portanto, o programa Zoom, amplamente utilizado em Portugal em todos os sítios, mesmo oficiais e do sistema de Justiça, pertence a um chinês e por isso a China manda na empresa e no programa e até se afirma que alguns dos servidores estão na China, o que possibilita o controlo efectivo do conteúdo e utilização dos mesmos. Será assim? Se fosse para que iria o governo chinês pedir à administração americana da empresa para lhe fazer o favor?

O Sol de ontem tem esta notícia: o programa é americano, a empresa tem sede na California e afinal a China pediu e a Zoom cedeu a tal pedido. Basta para dizer que é a China que manda na empresa?


No mesmo Sol há uma outra coluna sobre a China e Portugal que mostra o que foi a nossa trágica e ridícula descolonização: Portugal ofereceu a devolução de Macau à China, logo após o 25 de Abril e só não foi entregue porque os próprios chineses não quiseram...


Já me esquecia: se a China tivesse aceite ( não digo aceitado...) a oferta portuguesa dos poltrões socialistas e comunistas da época, não haveria Mário Soares presidente...ou pelo menos deixava de haver aquele dito célebre "dinheiro há sempre", mesmo o que circulava em malas pela mão do Vitorininho agora outra vez entalado. E não haveria a comandita de regressados de Macau onde encheram os bolsos e depois ficaram por cá a mandar em alguns sítios. Não haveria Canas para tanto foguetório de corrupção.
Não haveria Nicolau de laço ou sem ele e muito menos Costa Silva sem laços ao poder que está. E Costa talvez não houvesse também, o que não se perdia nada.

Sem comentários: