Páginas

sábado, 15 de novembro de 2014

Fernando Negrão é ou não da Maçonaria?

Observador:

Deputada Teresa Leal Coelho acusa Fernando Negrão, presidente da Comissão de Direitos, de contornar decisão dos partidos para evitar a publicação do registo de interesses dos dirigentes das secretas.

A pergunta, directa, para Fernando Negrão: V. é ou não da Maçonaria?  Façam-na!

7 comentários:

Floribundus disse...

no Reino Unido (a Irlanda do Norte pela força) a Maçonaria sempre dependeu da família Real até 1920.

depois passou a ter um GM como representante da mesma

desfilam pelas ruas com os balandraus e insígnias

nos anos 70 quando dos levantamentos independentistas

os maçons com o grau de companheiro faziam desfiles nos bairros católicos

a Dama de ferro deixou morrer alguns desses independentistas
acabou demente

político do bloco central dizia com ar malandreco:

deviam andar todos 'direitos', porque direito é que é bom


Floribundus disse...

há uns dias publicou-se livro sobre o calista de Salazar

ontem um jornalista teve alguns minutos de tv para impingir o livro sobre a noite da operação

mostraram os aposentos do forte de Santo António.
pensei que tinham espatifado tudo, como fizeram ao rectângulo

costa sobe nas sondagens.
o marketing das tvs ajuda.

da minha experiência pessoal:
marketing ou 'a arte de vender merda com sabor a merda'

Maria disse...

Alguém mo confirmou e foi uma pessoa credível. Nem podia ser d'outro modo. Os cargos de relevância que tem vindo a desempenhar primeiramente na área da Justiça, depois nos partidos, têm muito a ver com isso. Alguns casos deveras complicados em que se viu envolvido, descomplicaram-se num ápice. É para isso que serve ser-se maçon. São os próprios que o afirmam, os "irmãos" ajudam-se mùtuamente e defendem-se uns aos outros contra tudo e contra todos. Até o maior criminoso de sangue (vide Duarte Lima), mega-corrupto (Sócrates) ou um dos autores da surripiagem de milhões de milhões (Dias Loureiro) se pertencer à seita está mais do que safo. Pela novelo maçónico repugnante que se tem vindo a desenrolar ùltimamente e está à vista de todos (honra aos extraordinários investigadores da P.J.) podemos vislumbrar com toda a clareza porque motivo Portugal teve o destino trágico que lhe estava reservado. O nosso País tem vindo a ser governado desde o primeiro dia da democracia por grandes criminosos e maiores traidores. Afinal não mais do que a representação na sua diabólica essência da maçonaria portuguesa, esta, uma correia de transmissão da seita dos 300/clube Bilderberg ou, como o classifica com justeza o destemido David Duke, governo sionista mundial.

Quanto ao Negrão, ele pode confirmar ou preferir manter-se em silêncio. Mas esta atitude dúbia faz parte do pacto de silêncio entre "irmãos" e isto já é outra história.

Luis disse...

Recordo que o caso "Moderna" teve, todo ele, por base um confronto dentro duma das maçonarias e que foi empolado e explorado por outra das obediências. Por essa altura o director da PJ era Fernando Negrão, o director do SIS era um muito conhecido maçon (presidente do oscot e muito recentemente ex-MAI) e o MAI de então era um peso pesado do PS, também maçon (e não se metam com ele, porque quem se mete com o PS leva). Pois na altura circulava um documento/relatório da secreta, que esta e o MAI negavam existir. Neste documento “revelava-se” que o caso Moderna era um caso de tráfico de armas, de prostituição, e muitos outros crimes, que não se vieram a verificar.
A campanha terminou quando as maçonarias verificaram que o público não distinguia entre elas e as considerava igualmente capazes de tudo aquilo de que eram acusadas e muito mais.
Foi Fernando Negrão que confirmou à CS a existência desse documento (e que por isso se veio a arrepender).
Ora, Fernando Negrão na altura driblou o jogo da maçonaria irregular; se mais tarde, em vez de lutar contra eles, se juntou aos mesmos ainda não sei. Ou então na altura obedecia à maçonaria a que pertencia a casa do sino: a maçonaria regular.

José disse...

Negrão só tem de dizer sim ou não. O não equivale ao sim...ahahaha.

Quem não quer ser lobo não lhe veste a pele.

Floribundus disse...

no dia em que algum maçon diga que não é
fica maneta

lidiasantos almeida sousa disse...

Mas qual é o problema de ser da maçonaria a não ser não admitirem mulheres se não era o bom e bonito pois começavam logo a falar da vida de todos, Em jovem trabalhei numa empresa centenária, onde mandava em 2.000 homens e só havia 3 mulheres eu como Administradora, a telefonista pois não era de bom tom ser um homem a atender o telefone e a empregada a dias para limpar os gabinetes, porque os armazéns e fábrica era limpos pelos "moços" como dizia um velho Senhor lá do sitio.

Há um tempo atrás fui à apresentação
DE UM LIVRO SOBRE MAÇONARIA, ESCRITO PELO VILELA, mas é muito chato. Acho que a maçonaria é como a OPUS DEI que também são muito chatos, com os seus cursilhos para lavar o cérebro, as mulheres separadas dos homens e deve ser igual À Maçonaria. pois quem quer trabalhar para os Mello tem de pertencer à OPUS DEI
Explique o Senhor JOSÉ S-F-F-