Páginas

sábado, 8 de novembro de 2014

O respeitinho afinal é agora...

O Diário de Notícias de hoje, dirigido por um Proença de Carvalho na sombra, destaca hoje um acontecimento de quinta-feira, na AR em que o ministro Pires de Lima se arrastou um pouco mais a dizer certas palavras e nomes para ironizar com o Costa do PS.

Pelos vistos há há, nas "redes sociais",  quem exija o afastamento do ministro, por causa dos ditos.  A articulista até consultou o especialista em politologia doméstica, Costa Pinto, antigo maoista, sobre o fenómeno. Acha que não, não é caso para tanto...

Em 1980 na mesmíssima Assembleia da República um debate parlamentar sobre um assunto qualquer da "reforma agrária" ( coisas do comunismo nacional) suscitou outro tipo de nomes e palavras e ninguém se ocupou a ouvir os costas pintos de então sobre a conveniência em afastar do hemiciclo os autores da peixeirada.
 
Em 21.3.1980 o semanário O Jornal publicou esta transcrição que se pode ler com um clique na imagem, do debate parlamentar que envolveu discussão na Assembleia entre Raul Rego, Sousa Tavares ( já falecidos)  e António Campos. O vernáculo usado em directo e bom som vale a pena ler, porque o assunto que discutiam dizia respeito a favores e cunhas na concessão de crédito agrícola.
"filho da puta" , "animal", "escarro moral" e outros mimos eram moeda de troca nas discussões acaloradas.
Sousa Tavares, indignado por Raul Rego lhe ter dido "vá para a puta que o pariu!" e a prosseguir na senda dos impropérios, inaugurando a saga dos escarros morais. O presidente da A.R. a tentar serenar, dizendo que nada ouviu e Sousa Tavares a chamar bêbado e mentiroso a António Campos logo em seguida, para "defender a honra".
 
Agora quaisquer corninhos de fora dão direito a expulsão imediata...


5 comentários:

Floribundus disse...

nessa noite a loja a que pertencia jantava na'cervejaria da Trindade', por ser ambiente maçónico

a rir da cena chegaram deputados Irmãos, entre eles o tricano que em breve comemora 60 anos de vida literária

mais tarde veio o Irmão 'pena de oiro'

se bem me lembro alguém chamou energúmeno ao tareco

tempos de vacas loucas e prions

conclusão
o loby é o lobo do homem

josé disse...

A Trindade tem um ambiente e uns bifes industrializados que me sabem sempre bem quando lá vou. E vou quase sempre que estou em Lisboa porque gosto da cerveja e do bife à Trindade.

Os azulejos dizem logo que o ambiente é maçónico mas nunca topei nada de aventais, a não ser os dos empregados.

Floribundus disse...

Caro José

a clientela maçónica dos anos 80 encontra-se praticamente toda no
'Oriente Eterno'

o verdadeiro segredo era o do final da Iniciação com o candidato ainda vendado

« -que mais desejas ?
- a luz !»
pensava estar em Elêusis, mas recebia imediatamente a conta da EDP

hoje jantam em locais finos tipo Gambrinus

e pensam no saco preto (azul é monárquico e reaccionário) e
chamam-lhe 'tronco da Viúva' Alegre

muja disse...

pensava estar em Elêusis, mas recebia imediatamente a conta da EDP

Eheheh!

foca disse...

Eu pouco me interessa se demitem ou não o Pires de Lima. Assim como assim na economia nunca nenhum faz nada de útil para o país.
Mas que o gajo é um idiota e que só se orientou porque o sogro era o patrão, disso não tenho grandes duvidas.