Páginas

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Os supranumerários da Maçonaria.

Nuno Morais Sarmento, ontem à R.R.

“Até hoje, porque as pessoas são inocentes até prova em contrário, se alguém me dissesse: aponte um alto quadro da administração pública que possa ser um exemplo, eu diria: o Manuel Palos, porque o conheço, tutelei funcionalmente o Manuel Palos por eu ter a responsabilidade das matérias da imigração enquanto ministro e ele, sendo na época sub-director do SEF, tinha intervenção, era ele que estava presente em representação das estruturas do Ministério da Administração Interna e até da Justiça. Estou a dizer que o apontaria como um exemplo inquestionável do que deve ser um alto quadro da administração pública”, afirma Morais Sarmento.

 Hoje no Correio da Manhã escreve-se sobre Manuel Palos que é funcionário do SEF há 23 anos. Foi colocado in illo tempore e passou por vários governos, assumindo funções de chefia salvo o erro com Rui Pereira. São ambos da Maçonaria boa. 

 E no i:


Morais Sarmento foi ministro de Estado e da Presidência, no Governo de Santana Lopes em 2002-2005, juntamente com outros, como Fernando Negrão. Antes de ser ministro fora advogado na firma de José Miguel Júdice PLMJ. Saiu como sócio de "indústria" ou seja, advogado trabalhador assalariado e regressou anos depois como sócio de capital, ou seja, da firma.
Pelo meio aconteceu o episódio GALP-ENI.

Compreende-se perfeitamente que Morais Sarmento não consiga vislumbrar um dos cancros que corrói este país. Faz parte dele, por duas razões. A primeira é essa incapacidade de ver o óbvio e sentir a dor de um país doente. A segunda é a particularidade em juntar supranumerários à Maçonaria que comanda de facto muitas instâncias de poder em Portugal. 
Os supranumerários da Maçonaria conseguem juntar o útil ao agradável: não são da Maçonaria e colaboram activamente com a mesma e por isso podem perfeitamente negar pertenças quando lhes perguntam pelas afinidades. Nuno Morais Sarmento, tal como Negrão e outros são esses supranumerários.

2 comentários:

lusitânea disse...

O polvo da maçonaria está em todo o lado.Directamente ou representada pelos seus súbditos.
Isto cheira mesmo mal...

Floribundus disse...

a Grande Loja de Inglaterra foi criada pelos reis de origem Saxe-Coburg Gota, que se tornaram Windsor em 1920

a grande cisão ocorreu em França depois da Comuna de Paris (GOF)

MS é politicamente um zero à esquerda, tal como a maioria dos dirigentes partidários

não perco o meu tempo a ouvi-los
basta sofrer as nefastas consequências do seu procedimento

Negrão vem do MONSTRO do sector magistrado

politicamente disfarçam para os outros e para si próprios como dizia
La Rochefoucault