domingo, 8 de novembro de 2020

CNN: notícias de cabo de esquerda

 A cadeia de tv amaricana, Cable News Network, diariamente citada por cá durante estas eleições nos EUA,  tornou-se um fenómeno de comunicação em medias massificados, logo que apareceu, em Junho de 1980. 

A história do seu aparecimento nos écrans de tv americanos e depois mundiais por via satélite, conta-se muito bem aqui, melhor do que jamais poderia fazê-lo plagiando as fontes de informação como aliás é costume useiro e vezeiro nos nossos media. 


O herói desta aventura era Ted Turner já então milionário por via familiar no negócio de anúncios em pancartas e desportista de  sucesso por mérito próprio, queria um canal de televisão só dedicado a notícias durante todo o dia. Como se lê, na ausência de parcerias, comprou um pequeno canal de tv em Atlanta e lançou-se no negócio das notícias 24 horas por dia.  

É escusado procurar nos jornais portugueses da época ( O Jornal, Expresso ou Sete) qualquer menção noticiosa ao facto. O Sete de meados de Junho de 1980 tinha por lá, em Nova Iorque um tal Portanet que fazia relatos do que se passava por essas bandas, mas não deu importância ao assunto. 

Aliás, os americanos deram importância relativa. A Newsweek deu a capa a Ted Turner nessa altura, para mostrar quem era o atrevido. 

                                                      ( a imagem foi surripiada da net  colocada por alguém que queria vender o número da revista...)

A Time não ligou ( mas em finais de 1991 deu-lhe a capa como "figura do ano")  e mesmo a Rolling Stone só no número de fim de ano se lhe referiu, assim: 


Dizia então na entrevista à Newsweek que temia vir a ser assassinado. Passaram as décadas, Ted Turner já passou os oitenta ( nascido em 1938) e pelos vistos ninguém tentou limpar-lhe o sebo.

A CNN tornou-se mais relevante durante os meses que se seguiram e durante o  ano de 1981 Ted Turner foi até figura de publicidade a uma marca de...whisky, neste caso publicada na Rolling Stone de 30 de Abril de 1981 : 


A CNN tornou-se então incontournable como diriam os franceses, após certos acontecimentos dessa época, como se mostram nestas fotos do número de fim desse ano da mesma Newsweek, já datado de 4.1.1982: 



Na altura do atentado a Reagan, a CNN fez a cobertura em contínuo, estilo CMTV de agora, mostrando o que seria a informação televisiva a seguir: 


No início dos noventa a CNN consolidou a fama e o proveito, particularmente com a proeza ( "scoop") em mostrar imagens em directo do interior do Iraque após a invasão pela tropa americana. Peter Arnett, entre outros, como uma tal Christiane Amanpour,  eram figuras que se viam em todos os écrans de tv pelo mundo fora e também em Portugal.

Em 1991 foi a figura do ano muito por causa do sucesso da estação inovadora que lançara cerca de dez anos antes: 

                                                             ( imagem surripiada a alguém que a colocou para venda da revista na net)

 Ted Turner que casou com a esquerdista Jane Fonda, da verdadeira esquerda caviar, em 1991, deixou a estação de tv no início dos anos 2000, sendo esta agora propriedade da WarnerMedia ( AT&T) segundo se indica.

A CNN apoiou logo o Zé do Biden e por isso estamos conversados: notícias sempre de cabo de esquerda.  


Sem comentários: