segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Quid JurisApp?

 Há oito dias noticiava-se aqui que o CM tinha colocado esta venenosa na página do "Correio Indiscreto" assinada por Miguel Alexandre Ganhão.


Na edição de hoje aparece o esclarecimento do suspeito Pedro Siza Vieira, advogado de luxo:


Trata-se de um contrato de patrocínio judiciário e haverá uma acção a correr termos nos tribunais, eventualmente arbitrais em que o Estado foi accionado pela EDP. A PLMJ foi escolhida depois de consulta a outros escritórios de advogados ( quais e em que termos?) e pelos vistos envolve mais ministérios. 

Pois bem...e foi aplicado o critério da JurisAPP, com intervenção de tal entidade?  É que não se noticia tal coisa...

Entretanto, outra "venenosa" na edição de hoje, mesmo em baixo e a fechar. Eu bem dizia que o indivíduo andava muito calado...

Sem comentários: