domingo, 13 de abril de 2014

A grande festa dos 40 anos...dos contentinhos da silva

Aqui há uns meses o Diário de Notícias publicou uma extensa reportagem sobre as nossas "realizações" das últimas décadas.

Umas imagens valem bem muitas palavras, principalmente se comparadas com o texto de Manuel Alves, abaixo publicado.

Saldo? Positivíssimo, como vimos pelos últimos três anos. Uma festa, como disse aquela inenarrável que esteve no ministério da Educação como ministra ( !) e anda há meses para ser julgada criminalmente por factos relacionados com dinheiros públicos. Ministra, imagine-se!

O valor dos fundos comunitários recebidos desde que Portugal entrou para a comunidade europeia é equivalente ao valor do resgate...que agora andamos a pagar, com os sacrifícios que nos impôem porque não há solução á vista.

4 comentários:

lusitânea disse...

O problema deve ter sido a africanidade no plano tecnológico...

muja disse...

Os contentinhos da silva... ehehe!

É isso mesmo. Vamos assistir ao estertor desesperado dos contentinhos para nos convencerem que valeu muito muito muito muito muito a pena pô-los no poleiro durante os últimos 40 anos. E que antes deles era tudo muito muito muito muito muito mau!

Só que cada vez menos pessoas vão na conversa. E menos ainda a estão para ouvir.

Eles vão mentir, distorcer, caluniar, vilipendiar, dissimular, tergiversar, e tudo o mais que seja preciso. Afinal, é a sobrevivência deles que está em jogo...

Manuel de Castro disse...

É impressionante o que se desbaratou.

Faz falta o cômputo daquilo que alguns embolsaram indevidamente.

Unknown disse...

Sondagem sobre o 25 de Abril encomendada pelo jornal i, hoje divulgada

http://www.ionline.pt/artigos/portugal/sondagem-ipitagorica-portugueses-acham-politicos-da-ditadura-mais-honestos-os/pag/-1

A parte mais estranha:

Mas nem tudo era melhor e os portugueses acreditam que, pelo menos do ponto de vista económico, o 25 de Abril de 1974 valeu a pena. Metade dos inquiridos (49,9%) admite que o país está economicamente melhor do que estava no período da ditadura. Uma posição contrária é defendida por 34,9% e 15,2% da população não sabe ou não respondeu.

Enguias à Isabel dos Santos