quinta-feira, 4 de março de 2010

o insulto ao senso comum

Lisboa, 04 mar (Lusa) - O presidente executivo da PT, Zeinal Bava, afirmou hoje que o negócio da compra da TVI não foi discutido ao mais alto nível dentro da PT e "dizer que a empresa foi instrumentalizada é um insulto".

Insulto é mesmo fazer dos outros parvos. O que resulta das escutas que Armando Vara não se importava nada que se soubessem, selectiva e particularmente as que ocorreram após o dia 25 de Junho de 2009, é coisa diversa e que redunda num insulto, esse sim, a todos os portugueses que são donos da golden share que o Estado detém da empresa PT de que o senhor Bava é Executivo máximo.
Como executivo máximo, o senhor Bava sabia de tudo o que se passava e as escutas publicadas não deixam desmentir. Sabia o senhor Bava, nomeado "Zeinal", pelo administrador excelentíssimo , sabia o "Henrique" e sabia o chefe máximo que pode muito bem ser aquele que agora anda a dizer que não sabia de nada mas o próprio chefe máximo da Impresa acha improvável e "ilógico".
Portanto, o insulto é à inteligência comum e baseado no formalismo habitual: o que não está escrito em contratos não conta. E o que não consta como facto, é desmentido se for possível e desejável. É isso que o senhor Bava faz e se fosse numa empresa estrangeira e de topo, o senhor Bava já tinha sido corrido a toque de caixa pelos accionistas. Porque a imagem de uma empresa conta mais que um senhor Bava, cujas declarações deixam muito a desejar.
"Instrumentalizar" é o mesmo que servir de meio para um fim e "discutir ao mais alto nível dentro da PT" é o mesmo que levar o assunto a reunião geral de empresa. Como tal não aconteceu, porque o cuidado todo era pouco, para não envolver directamente o "chefe máximo", desmente-se o que não aconteceu formalmente, com todo o garbo da honra profissional.
Malditas escutas e maldito seja ainda mais quem as publica, prestando o inestimável serviço de mostrar ao país a quantidade de executivos que por aí andam a executar. Malditos sejam os "branqueadores de crimes" que apenas têm mostrado a face visível, até agora oculta, da corrupção em Portugal.

3 comentários:

lusitânea disse...

Os monhés são um perigo.Piores que sicilianos...

lica disse...

malditos sejam e que ardam para sempre no fogo do inferno

Dr. Assur disse...

Falando de Paes do Amaral:

Já ninguém se lembra disto: "O presidente da Media Capital negou hoje ter pressionado Marcelo Rebelo de Sousa para que este revisse o teor dos seus comentários, embora admita que abordou questões de "posicionamento editorial"?????

http://dossiers.publico.clix.pt/noticia.aspx?idCanal=1355&id=1206914