sábado, 20 de março de 2010

O imitador de Berlusconi

José S. criticando o Inquérito parlamentar:


"A santa aliança quer substituir o debate político pelo ataque pessoal" – foi desta forma que o primeiro-ministro criticou a actuação do Bloco de Esquerda e do PSD no âmbito da comissão de inquérito sobre o negócio PT/TVI."

Na Itália, este tipo de reacção do primeiro-ministro já é marca de água. Por cá, é o que se vê.

4 comentários:

lica disse...

«JN – Disse na entrevista a Miguel Sousa Tavares, na SIC, que se alguém invocou o seu nome [no negócio PT-TVI] foi abusivamente. Não deveria, então, ter agido contra quem o fez?

- Não tenho nenhuma prova disso. (…)

JN – Rui Pedro Soares já lhe pediu desculpa por o ter envolvido indirectamente nesta questão?

- Não tem de me pedir desculpa.»

Mani Pulite disse...

SEGUNDO O EXPRESSO AS MÁFIAS ITALIANAS ESTÃO IMPLEMENTADAS EM VÁRIOS LOCAIS DE PORTUGAL.A N'DRANGHETA DE S.BENTO É CONSIDERADA A MAIS FEROZ.

Neo disse...

Alguém consegue descodificar isto sem ficar com urticária?

"Mário Soares confessou, esta segunda-feira, que «há muitas coisas» de que não tem «gostado» na Justiça portuguesa», nomeadamente, o facto de os magistrados tentarem dar «lições de política aos políticos».

«Há uma coisa que a mim me custa muito. É que haja pessoas que se sabe, até porque foram muito ostensivas na sua riqueza, que mexeram em patrimónios que não lhes pertenciam, que fizeram roubalheiras nos bancos, que atiraram bancos quase para a falência e que essa gente fique sem que a Justiça se mexa», disse Soares, citado pela edição online do Jornal de Notícias.

«O que está a falhar é a actividade da Justiça», frisou. «Não me venham dizer que é o engenheiro Sócrates que não faz andar a Justiça, porque ele não pode intervir nisso».

O antigo chefe de Estado, que estava na Guarda para proferir uma conferência a propósito do Centenário da República, criticou ainda a postura dos sindicatos dos magistrados, que «se põem a opinar sobre política e a dar lições de política aos políticos»."

Anónimo disse...

Seria uma crítica vindo de um cidadão. Vindo do PM em exercício é uma confrontação total e aberta com uma comissão.

Os governantes no antigo regime