quinta-feira, 11 de março de 2010

Paris, ida e volta.

A senhora Inês de Medeiros tem assento na Comissão de Ética do nosso Parlamento. Foi eleita deputada pelo PS e morava em Paris. Como tem lá casa e família, foi preciso arranjar ( é a palavra certa) uma lei especial para prover às suas necessidades pessoais de deslocação. Breve, pagamos-lhe as viagens de e para Paris, onde mora.
Não havia lei que prevesse a situação pessoal, única desta deputada, mas apesar disso e apesar de todos saberem que uma das regras fundamentais das leis é serem gerais e abstractas, aprovaram uma lei ad muliere, para lhe pagar os custos das viagens.

Isto, só isto, diz muito sobre a ética. Mas há mais. Nesta entrevista em video, a atitude, a pose e o que a mesma diz, chegariam para se demitir, sair da vida política e regressar lá de onde veio. E se isto não fosse suficiente, chegaria a triste figura que tem feito naquela comissão, nas audições a propósito dos media que o governo de José S. tentou controlar.
As caretas, trejeitos, atitudes de má criação e ostensiva hostilidade para quem não lhe agrada politicamente a ali tem ido depôr, seria suficiente para tal.

Mas não é, porque esta senhora julga-se algo que nem sei quê.
Alguém sabe?

7 comentários:

Luís Bonifácio disse...

O mais grave que esta "Tipa" vota numa freguesia de Lisboa, mas o BI diz que mora em Paris, o que vai contra a lei.

Mais um bom exemplo de ética republicana.

zazie disse...

Nepotismo com brasão socialista.

Ainda por cima é burrinha e nem sabe filmar.

Mani Pulite disse...

VÁRIAS GERAÇÕES DE SUBSÍDIO DEPENDENTES DÃO "NISTO".É O XUXIALISMO MODERNAXO À LA SAUCE EUROPEIA.AXO...

pedro frederico disse...

Bom dia, eu creio, se me permite, que temos de chamar os bois (consoante o género) pelos nomes.., dirião na minha terra....com prefixo grande,... não sou político, sou povo e perdoe-me o José, o POVO chamar-lhe-ia isto...não posso entrar no campo do politicamente correcto, nem sequer do socialmente correcto, tipa que não se importa com as mentiras do PM no parlamento, é um verme que nos suga...o pensamento dela tem lógica: fazer parte duma corja especializada em "ganhar" dinheiro representando (mentindo)...agora que está lá, adopta o comportamento da espécie...

JC disse...

"Money for the girls"

Monchique disse...

E, ao que parece, mentiu ao Tribunal pois declarou na documentação de candidatura que vivia em Lisboa. Escreve o Jornal I em 12 de Março corrente: "Acontece que quando se candidatou Inês de Medeiros deu como morada uma freguesia de Lisboa"
Espero bem que o Ministério Público abra um inquérito por falsas declarações da senhora deputada e do mandatário da lista de Lisboa...o PS é definitivamente um partido de mentirosos.

josé disse...

Deu a morada fiscal... o que não é proibido porque pode morar em dois sítios. Um durante a semana de trabalho que como todos sabemos é extremamente cansativa ( obriga a estar sentado e a olhar para o resto do hemiciclo, o que é um esforço digno dos operários das obras)e outro ao fim de semana, no lugar onde tem os filhos e a lida da casa para fazer.

Isto só visto.