domingo, 20 de novembro de 2011

É a presidente da Assembleia da República que temos

Sol:

"A presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, recebe 7.255 euros de pensão por dez anos de trabalho como juíza do Tribunal Constitucional.

Por não poder acumular esse valor com o ordenado de presidente do Parlamento, Assunção Esteves abdicou de receber pelo exercício do actual cargo, cujo salário é de 5.219,15 euros. Mantém, no entanto, o direito a ajudas de custo no valor de 2.133 euros.

Assunção Esteves pôde reformar-se muito cedo, aos 42 anos, porque a lei de então contemplava um regime muito favorável para todos os juízes do Tribunal Constitucional."

A segunda figura institucional do Estado ganha 9 389 euros por mês. É uma vergonha? Não. Apenas um escândalo. Mais um.

16 comentários:

Floribundus disse...

os politicos servem-se do dinheiro dos contribuintes
de lugares altamente remunerados nas empresas apesar da falta de qualificações

a democracia escandalosa dos politicos

BARDAMERDA

joserui disse...

Por mim até poderia ter uma reforma 10x maior, desde que tivesse descontado para isso tendo em conta o tempo de reforma e esperança de vida média.
O que tem que acabar é situações onde descontam 10 para vir a receber 1000 durante o tempo de reforma. Esta senhora acha que o dinheiro para lhe pagar a reforma vem de onde, do que descontou? De algum lado o dinheiro aparece e são necessários muitas dezenas de trabalhadores a descontar actualmente sobre o salário mínimo só para pagar uma reforma destas... isto não é estado social. É uma pouca vergonha e são milhares e milhares nesta situação que têm de ser sustentados por um sistema que tornaram insustentável. -- JRF

Miguel M. Ferreira disse...

Este tipo de regalias justifica plenamente as recentes decisões do TC...e deixa antever que as próximas decisões são bastante previsíveis!!!

hajapachorra disse...

Esta platinada é por todos amada. Porquê? Fez campanha pela legalização do aborto. Merece ser pensionista do estado abortista. Pensionista de luxo. Um escarro moral é o que é.

Ruvasa disse...

Concordo com Joserui.

Em geral não são os montantes das reformas que são escandalosos e mesmo insultuosos, mas tão somente o diminuto tempo dos descontos para a aquisição do "direito" e, consequentemente, a total insuficiência dos descontos efectuados.

A posição que por aí domina de verberar toda e qualquer reforma, essa enoja-me, porque apenas se estriba na bem conhecida e destruidora inveja portuguesa, normalmente presente em quem nunca fez nada na porca da vida, mas quer ter as mesmas regalias de quem se esforçou e tem mérito.

Carlos disse...

Esta "esquerda", continua a arruinar o país.

ZéBonéOaparvalhado disse...

Valha-me Deus - a isto se chama se chame um Estado "magricelas".

Quem não vai, neste estado coisas, é o Domingos "lavadinho" que, nasceu pobre e pobre continua.

O José, perdeu a paciência com habilidosos.

Estive para colocar, a história esquecida de Miguel Cadilhe como Ministro das finanças

Karocha disse...

Aparvalhado

A Sra era muito poupada ;-)

AF disse...

E vale bem essa e outras reformas e ordenados ... é dar-lhe uma folhita A4 e ver a senhora a resolver a crise da Europa!

Caro Ruvasa,

Eu inclino-me mais para que a posição que por aí domina seja fruto de anos e anos de coisas vergonhosas. Não creio que seja inveja, é asco mesmo!

zazie disse...

É isso- é asco. E isso de sacarem brutas reformas por mérito é anedota.

Mas, já agora, de quem é a lei?

Carlos disse...

É do país.

Carlos disse...

Quando o "fassismo" ainda era fascismo.

"Assim, O Jornal, em 1975, tornou-se herdeiro dessa geração de jornalistas que sabiam escrever um português irrepreensível; tinham aprendido a profissão em tarimbas de redacções salazaristas… ma no troppo- e alinhavam pelos ideias democráticos proclamados logo em Abril de 1974, porque também trabalharam para isso e sentiram diariamente o esforço da censura marcelista que lhes podavam constantemente as intenções e artigos mais ousados ou apenas mais interessantes." (In post portadaloja, 01.05.05)

Afinal, os homens são como o vinho. Com o passar dos anos, uns melhoram, outros azedam!...

rita disse...

Ontem tb li e fiquei CHOCADA!
Podem dizer o que quiserem dela, mas para mim "morreu"... Quem se julgam estes DEUSES (?), endeusados por leis que revelam uma subserviência, que se pensava acabada com o fim do antigo regime?
Tenham vergonha!!!

ZéBonéOaparvalhado disse...

Karocha,

Sempre mordaz.

A minha guerra é contra as "Assunções" deste País - a Senhora Assunção, é uma gotinha de água do nosso "cantinho" - a lembrar-me, que a minha Avó, foi reformada de um organismo público,com generosa quantia de 100$00 (50 €)... e por especial favor. - sinto orgulho daquela gente de trabalho.

Não havia 2 e 3 reformas acumuladas - não basta dizer que é sério e descontou por trabalhos em part-time - quem serve o País, não precisa de evocar a sua sereriedade - O Povo, vai acabar por fazer justiça,não tenho dúvidas mas, - não tenho a certeza que, seja nos próximos 20 anos.


Receba os meus cumprimentos e sempre a considerá-la

Karocha disse...

Aparvalhado

Eu nem direito a reforma tenho!

Cumprimentos

Carlos disse...

Depois d'isto, deixou de ser Assunção e passou a Ascensão Esteves.