sábado, 25 de novembro de 2017

O Sol a brilhar

A edição do Sol, de hoje, publica estas duas páginas sobre a efeméride dos 50 anos das cheias de Lisboa.




Isto é a prova de que é possível fazer bom jornalismo, contar a verdade, incluindo a acção da Censura da época e não fazer propaganda ideológica sob a capa de jornalismo. Não há aqui Alices Vieiras a contarem como descobriram a pobreza nesse dia...e que o malvado regime fascista escondia e censurava.

Esta a seguir é a prova da inclinação ideológica do jornalismo nacional em geral e que está na falência porque não contam a realidade e inventam uma outra, paralela. Imagem do sítio do Sapo, hoje:

4 comentários:

Floribundus disse...

Net

notícia de que o governo pagou a figurantes para irem ao conselho de ministros fazer perguntas combinadas que façam o governo parecer bem não deveria surpreender ninguém »

o 44 fez o mesmo

PR soube do Infarmed pela TV
conforme carta à Comissão de Trabalhadores

D.Legionella na AAC

tá lindo

zazie disse...

Também se vê que não eram nada tudo barracas. A maior parte eram casinhas normais na zona de Vila Franca.

joserui disse...

He lá, o José lá encontrou um bocadinho de jornalismo para se tirar a barriga de misérias.

lusitânea disse...

A propaganda internacionalista deve ter uma central ao estilo da censura para ir semeando a contra-propaganda.E mantendo a escala dos papagaios bem alinhadinha para todos comprometer.Quem não está com o poder não come quem não estiver cheira!

O juiz que os incomoda