terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O b a ba

Se as escutas em que interveio o PM, são "nulas e de nenhum efeito", o PGR não devia sequer ter tomado conhecimento das mesmas e muito menos pronunciar-se como juiz que decidiu acerca da sua validade.

É tão simples como isto.

2 comentários:

Karocha disse...

Penso o mesmo!
Mas quem sou eu José!!!

António disse...

Voilá!

Chega-lhes, André!