sábado, 13 de fevereiro de 2010

Os jotas guerrilheiros.

Este artigo da Visão desta semana (clicar para ler), destaca o percurso fantástico de um boy, em direcção à excelência de um emprego de quadro dirigente, numa empresa pública, das maiores do país: a PT. Onde estagiou em sede de poder um outro fantástico gestor de expectativas, de nome Nazaré. Nossa senhora!

O rebento político em causa, dá pelo nome, agora célebre, de Rui. Pedro. Soares. No cume dos quadros da PT, ganha por ano qualquer coisa como 500 mil contos antigos, o que até permitiu um arroubo de inveja à fantástica Ana Gomes. Que gosta muito destes fenómenos, principalmente quando surgem do nada político e se projectam no horizonte da política socialista com meteoros de luz rosada à esquerda do espectro.

Segundo a Visão, o dito Rui.Pedro.Soares atingiu o cume do sucesso, logo em 2001 com pouco mais de trinta e logo de seguida idealizou uma campanha de marketing que orientou o destino dos candidatos dos jovens do PS às legislativas de 2002. Perdidas mas aproveitadas pelo partido para promover estrelas tão incandescentes como as da imagem: uma tal Jamila; outra que tal, Catarina Mendes que se notabilizou por inquirir o actual PGR na A.R. na altura em que este declarou que "os blogs era uma vergonha", quando aquela pretendia que o mesmo dissesse que os iria pôr na ordem, ou pelo menos a um certo que lhe atezanava o futuro noivo.

Quanto ao Rui. Pedro. Soares, teve uma entrada fulminante e de génio, na campanha, ao propor como imagem de marca...Che Guevara estampado em t-shirts! Com as palavras de ordem alinhadas por...Manuel Alegre, nos versos empolgantes da sua poesia admirada sobremaneira pelo avvocato Proença: "O foco guerrilheiro existe sempre/ em cada um de nós existe um foco/Uma guerrilha possível, uma insubmissão".

É desta insubmissão guerrilheira que nasce o promotor de campanhas eleitorais em t-shirt, com o mote de ordem unida: "Nós vamos pela esquerda".

É esta esquerda, notória, de fundo socialmente relevante, guerrilheira, insubmissa, que sustenta as carreiras daquele trio, desde então.
Para uma, Parlamento Europeu. Para outra, Parlamento nacional, em comissão de liberdades e direitos, mais garantias. Para o do meio, um lugar ao sol na administração da empresa pública, entre os 25 magníficos que a gerem. Com o ordenado invejado pela deputada correligionária e de esquerda.

O Sol, estas duas últimas semanas, tem vindo a destapar o verdadeiro papel deste jovem insubmisso que cita Manuel Alegre, em t-shirt de Che Guevara: conspiração contra o Estado de Direito, segundo dois magistrados de Aveiro. Guerrilheiro, portanto.
Confere.

9 comentários:

Anónimo disse...

Se o PS continuar como está tem aqui um exelente candidato a PM dentro de meia dúzia de anos.

Mani Pulite disse...

O PS OCULTO,O VERDADEIRO PS,ESTÁ AGORA FINALMENTE ILUMINADO PELO SOL QUE O QUEIMA.TRATA-SE DA MAIS PERIGOSA ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA DE PORTUGAL, INCAPAZ DE VOLTAR A SER UM PARTIDO POLÍTICO DE UM ESTADO DE DIREITO DEMOCRÁTICO E QUE TAL COMO O PARTIDO NAZI DEVE SER ILEGALIZADO E OS SEUS DIRIGENTES JULGADOS COMO CRIMINOSOS QUE SÃO.

cfr disse...

O meu tio Mário?





Rui Pedro Oliveira Barroso Soares



Member of the Executive Committee of Portugal Telecom, SGPS S.A. since April 2006; Chief Executive Officer of Portugal Telecom Imobiliaria, S.A.; Member of the Board of Directors of Africatel Holdings, BV; Chairman of the Board of Directors of Timor Telecom, S.A.; Chairman of the Board of Directors of TPT Telecomunicacoes Publicas de Timor, S.A.; Vice-Chairman of AIP'Associacao Industrial Portuguesa; Chairman of APAN'Associacao Portuguesa de Anunciantes and Member of the Board of Associacao Comercial do Porto; Chairman of the Board of Directors of Portugal Telecom Imobiliaria, S.A., from 2006 until 2007; Executive Director of PT Compras'Servicos de Consultoria e Negociacao, S.A. from 2005 until 2006; Consultant to the Board of Directors of PT Multimedia'Servicos de Telecomunicacoes e Multimedia, SGPS, S.A., in Business Intelligence, Evaluation of Service Quality, Safety and Management of Real Estate issues from 2001 until 2004; Executive in Business Intelligence and Competitive Analysis at Banco Cetelem, Grupo Banque National de Paris/Paribas from 2000 until 2001; Assistant of the Socialist Group at the European Parliament from 1998 until 2000.


Impressionnte,não?

Tino disse...

Se não houvesse sigilo bancário, facilmente se descobriria onde se aplica parte de tão sucolento salário..., percebendo-seo outra razão por que foi e para que foi para a PT.

Quanto ao trio, está lá toda a essência do poder socratino: a pedofilia, a corrupção e a homessexualidade...

Diogo disse...

Conheço uma dúzia de desempregados que gostavam de ter uma conversa séria com o Rui Pedro. Onde se poderá encontrar tal luminária?

Luis Bettencourt Moniz disse...

A ler outras fontes deparei-me com um discurso bem actual:

Primeiro discurso contra Catilina de Marco Túlio Cícero (106 a.C. - 43 a.C.), cônsul de Roma, recitado no Templo de Júpiter em 8 de Novembro de 63 a.C., local para onde tinha sido convocado o Senado de Roma.

Até quando, ó Catilina, abusarás da nossa paciência? Por quanto tempo ainda há-de zombar de nós essa tua loucura? A que extremos se há-de precipitar a tua audácia sem freio? Nem a guarda do Palatino, nem a ronda nocturna da cidade, nem os temores do povo, nem a afluência de todos os homens de bem, nem este local tão bem protegido para a reunião do Senado, nem o olhar e o aspecto destes senadores, nada disto conseguiu perturbar-te? Não sentes que os teus planos estão à vista de todos? Não vês que a tua conspiração a têm já dominada todos estes que a conhecem? Quem, de entre nós, pensas tu que ignora o que fizeste na noite passada e na precedente, em que local estiveste, a quem convocaste, que deliberações foram as tuas?

Oh tempos, oh costumes! O Senado tem conhecimento destes factos, o cônsul tem-nos diante dos olhos; todavia, este homem continua vivo! Vivo?! Mais ainda, até no Senado ele aparece, toma parte no conselho de Estado, aponta-nos e marca-nos, com o olhar, um a um, para a chacina. E nós, homens valorosos, cuidamos cumprir o nosso dever para com o Estado, se evitamos os dardos da sua loucura. à morte, Catilina, é que tu deverias, há muito, ter sido arrastado por ordem do cônsul; contra ti é que se deveria lançar a ruína que tu, desde há muito tempo, tramas contra todos nós.

Mais em
http://www.arqnet.pt/portal/discursos/novembro02.html

Dr. Assur disse...

"Um jornal, por invocar o direito à informação, pode violar o segredo de justiça, abertamente e através de membros da sua direcção?" pergunta o seu "amigo" Marinho Pinto.

Mas depois vem o director do jornal "Expresso" a afirmar que o actual bastonário violou o segredo de justiça enquanto jornalista do Expresso...

Dr. Assur disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dr. Assur disse...

Nem mais:

Quo usque tandem abutere, Catilina, patientia nostra. Quamdiu etiam furor iste tuus nos eludet? quem ad finem sese effrenata iactabit audacia?,