sábado, 20 de fevereiro de 2010

Tarrenego!


Segundo relatos de José Manuel Fernandes, ex-director do Público, no Parlamento, esta imagem que o jornal publicou em 12.9.2007, na primeira página, incomodou de tal modo José S. que o mesmo comentou para um administrador da SONAE, em voz agastada que a publicação era "inqualificável" e insinuou o despedimento do responsável, ou seja o director do jornal.

E porque terá sido assim? Na altura, Vital Moreira, o jacobino-mor, rasgou igualmente as vestes de indignação, comentando no seu reduto de apaniguado, então como capelista dos Grilos algo que comentei aqui, nestes termos:

A imagem testemunha um acto de propaganda típico de governos, pois mostra a inauguração oficial e preparada pelos cultores de imagem, do ano lectivo, num centro escolar.

Nome do Centro? S. Martinho de Mouros, em Resende.

Pois é, Vital Moreira, num nome, duas realidades: a cristã e a mourisca. Nossas e com séculos. Apagar memórias é próprio de comunistas com laivos estalinistas, como Você foi, e parece que ainda não esqueceu, porque foi ainda há muito pouco tempo.

Mas as memórias não se apagam facilmente, como o prova a imagem que segue, onde um dos que pegam no andor é o mesmo que acima faz menção de se benzer.

As tradições e costumes, nossas, sobrepõem-se naturalmente, a uma Constituição jacobina, onde se jurava que se caminharia para o socialismo autêntico, o da sociedade sem classes. Nessa altura, era essa também a sua verdade. Hoje, já não é, porque é um apóstata desse credo.

Então, por que bula deve merecer mais crédito e aceitação, do que os que acreditam numa tradição de séculos e séculos? E que ainda por cima, são, comprovadamente a esmagadora maioria deste povo que nós somos?


Esta imagem que acima fica, foi publicada pela Tabu do Sol, numa altura (10.3.2007) em que José S. ainda não tinha intenções declaradas de lhes cortar a colecta. Isso aconteceu iniludivelmente depois, com a ofensiva que está à vista e que apesar disso, o partido que o apoia pretende renegar, desmentir e desmontar. Mais uma vez, o toca a reunir, deu no habitual discurso da cabala. É sempre tudo uma cabala para esta gente simplória, sem ambições de poder, mando e proveito. E os papalvos que acreditem se quiserem. No que, aliás, têm tido sucesso, até agora.

Mas estas duas imagens conjugadas, dão um retrato aproximado do primeiro-ministro que temos: um hipócrita, sem dúvida e um mentiroso compulsivo até perante as evidências. Apanhado num gesto hipócrita e de circunstância, incomodou-se ao paroxismo do berro com a publicação da imagem pública. Meses antes forneceu ou permitiu que se publicasse a imagem do andor que se refere a uma tradição popular, que aliás lhe define a origem e o meio e até o humaniza.

Não obstante, entre as duas imagens, há uns anos luz de simbologia e referências explícitas que acabou num certo Bijan, ainda por esclarecer.
Entre a inocência e a hipocrisia cínica, interpôs-se a mentira como modo de ser. O que só pode ser uma consequência natural em quem não está preparado para mostrar o que verdadeiramente é

Aquilo em que se tornou, já sabemos que pode ter sido algo como isto, à porta do Bijan de Beverly Hills, como em tempos estranhamente se noticiou mas subitamente se silenciou. E no entanto, é seguramente mais embaraçoso do que a foto da renegada benzedura.
Estranhamente também, nenhum corporativo de câmara alguma, abrantes ou magalhães, jugular ou dos santos dos últimos cinco dias, se dignaram dar relevo a este acontecimento extraordinário que é ter o nome do primeiro-ministro de Portugal na montra de uma loja de apparel no reduto do jet set mundial.

.

3 comentários:

Anónimo disse...

Permita-me a correcção: segundo relatos de José Manuel Fernandes, o accionista foi objecto de ameaça de reprovação da OPA sobre a PT caso não fosse corrido do cargo. Perante uma denúncia pública desta natureza e gravidade, feita em plena assembleia da república, com certeza que o MP e a CMVM já terão aberto os competentes inquéritos, a não ser que o Estado de Direito esteja temporariamente suspenso, como sugerido por Manuela Ferreira Leite.

zazie disse...

Grande post, José.

joserui disse...

Foi o que pensei! Sem ver o seu comentário Zazie! O de hoje e o antigo. Grande post. -- JRF

O CM arrasa um juiz do TCIC