quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

O Sol, apesar de tudo, ainda brilha

Todo o escândalo do processo Face Oculta e das escutas em que interveio o primeiro-ministro surgiu com impacto social, por causa de um jornal: o Sol que publicou as primeiras notícias sobre o assunto, depois de ter sido divulgado publicamente o que ocorreu aquando das buscas e primeiras detenções de arguidos nesse processo.

Se tal não tivesse ocorrido, o mais natural é fácil de entender: nada do que actualmente se discute seria alvo de debate.
Não haveria notícias de jornal sobre o conteúdo das escutas. Não haveria conhecimento do plano organizado para manipular e condicionar vários órgãos de informação. Não haveria conhecimento dos esquemas fraudulentos de obtenção de fundos para esse condicionamento, através da manipulação do mercado.
Não haveria inquérito parlamentar nem audições em comissão de ética. Tudo ficaria pelas declarações do primeiro-ministro a assegurar que não teve conhecimento de coisa alguma a propósito de jogadas de bastidores para tomar conta de uma estação de tv, mas isso a propósito de um facto conhecido e anterior à publicação do teor das escutas.

Portanto, os despachos do PGR e do presidente do STJ, estariam no segredo dos deuses, como estavam destinados e ninguém poria em causa o papel institucional dessas duas figuras. Os factos, esses, estariam enterrados na destruição das escutas fatais.

De facto, é caso para realçar que a liberdade de expressão e de imprensa é algo fundamental.
Por isso mesmo, o Governo que está procurou restringir essa liberdade. Sabe-se que o Sol, à semelhança dos outros meios de informação, esteve na mira do Governo, como bem denunciou o director do periódico, José António Saraiva. E que acrescentou que foi por um triz que tal não sucedeu.

Depois disto tudo que agora se sabe, desvalorizar a actuação do bando que tomou conta destas operações, em que o próprio primeiro-ministro aparece sempre mencionado como personagem principal e "chefe maior", é sinal de decadência de valores democráticos.

3 comentários:

Karocha disse...

Que se passa com o Blasfémias José?!!!

zazie disse...

Ora bem, o José tem a cabeça no lugar.

«De facto, é caso para realçar que a liberdade de expressão e de imprensa é algo fundamental.»

Perfeitamente de acordo. E é cretinice desvalorizar-se isto.

Mani Pulite disse...

PIOR QUE O CRIMINOSO É POR VEZES O ENCOBRIDOR.TAMBÉM DEVE SER OBJECTO DE UM INQUÉRITO.