domingo, 11 de novembro de 2012

O óscar de Otelo

Otelo Saraiva de Carvalho anda outra vez nas bocas mediáticas por andar a profetizar revoluções, tipo cassandra dos pobres.
A grande medalha de Otelo, um autêntico óscar de representação, para além da que mereceu no 25 de Abril enquanto operacional, foi-lhe oferecida em 1985, conforme se relata nestas duas páginas da Grande Reportagem de 8.3.1985, em que se resume a acusação/pronúncia ( do juiz Adelino Salvado mas com a colaboração do MºPº da altura, com Cândida de Almeida) contra Otelo pela sua participação no fenómeno terrorista das FP25 que assolou o Portugal do início dos anos oitenta, quando uma extrema-esquerda insatisfeita e reaccionária quis repôr um PREC de que verdadeiramente nunca abdicou ideologicamente.
Ainda hoje, se lhe derem pretexto e ocasião, lá ressurgirá das fossas ideológicas onde viceja.

NOTA: abrindo as imagens num separador novo, torna-se possível aumentá-las (clicando apenas nas mesmas pode não ser possível).


6 comentários:

José Domingos disse...

Este caso ficou em nada. Os sovietes do M.P. fizeram o que mandaram. Houve um procurador, que começou a fazer perguntas sobre este caso, o os merdia, fizeram a cama ao sr. a mando, claro, dos donos.
Já na altura a justiça via bem com o olho esquerdo, o outro deve ter cataratas.

Floribundus disse...

a insistência do óscar faz lembrar a história 'lá vem o lobo'.
se este chegar ninguém acredita na sua vinda

'o seguro morreu ... de velho
D. Prudência foi ao funeral'

hajapachorra disse...

Uma ligeira correcção: Otelo não recebeu um óscar, ele era o Óscar...

zazie disse...

O José sabe, estava a fazer trocadilho.

josé disse...

Ahahahaha!

hajapachorra disse...

Eu sei que o José sabe, mas nem todos os frequentadores do estanco nasceram no plistocénico...