quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O jornalismo alternativo ao para quem é, bacalhau basta.

Este postal é transcrição de uma mensagem de correio electrónico. O que nela se transmite não foi objecto de nenhuma notícia, nem sequer do Correio da Manhã, segundo julgo. As tv´s com jornalistas formados pelas Fátimas Campos Ferreira e Judites de Sousa, não encontraram motivo de notícia em saber os pormenores do salvamento. Preferiram mostrar o presidente da Câmara de Vila do Conde, o incrível Mário, em plena campanha prè-eleitoral, a receber os náufgragos.
Porém, isto tem muito mais interesse do que andar em Nova Iorque a tocar à campainha do prédio onde vive a camareira do Sofitel, por causa de DSK.
As autoridades oficiais, com destaque para o presidente da República ainda balbuciaram qualquer coisa a propósito das nossas forças armadas, mas nada de especial.

Assim, é ler...

«HERÓI POR 300 €

A notícia já correu o Mundo inteiro.
Seis tripulantes de um barco de pesca, o ‘Virgem do Sameiro’, de
Caxinas, foram encontrados por um helicóptero EH-101 da Força Aérea e
foram salvos pela tripulação do mesmo, nomeadamente por um
Sargento-Ajudante (o recuperador - salvador), que pendurado num
guincho, arriscou a sua vida em 6 subidas e descidas.
O panorama é inimaginável.
Um helicóptero no meio da imensidão do mar, com mar agitado, os
pilotos tentando colocar o helicóptero na melhor posição (o que é
dificílimo, tratando-se de um navio grande, quanto mais de uma simples
balsa salva-vidas, a turbulência provocada pelas pás do aparelho, o
recuperador - salvador a descer e a subir, a ter de recuperar um a um,
estejam feridos ou não.
Parece algo de outro mundo, mas não é,... aliás, afinal é!
É algo do outro mundo, pelo menos do meu mundo, pois não tinha
condições para o fazer.
É algo deste mundo, porque estes heróis da Força Aérea fazem-no
diariamente, arriscando a sua vida para salvar outras vidas.
Muitas vezes fazem-no mas muito mais longe, a cerca de 150 km da
costa. Se houver uma falha humana, uma avaria e o helicóptero cair,
provavelmente morrerão (pois é preciso que outro meio aéreo que está
em alerta descole, voe, os encontre com vida e consiga recuperá-los).
Mesmo assim, este militares cumprem o seu dever: têm família, filhos,
que têm como dado adquirido que o pai volta mais logo e, nem imaginam
que tal pode não acontecer.
Poucas pessoas sabem o seguinte:
a) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador está neste trabalho voluntariamente;
b) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador está neste trabalho porque
passou por testes e provas dificílimas, apenas acessíveis aos melhores
física e psicologicamente;
c) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador ganha cerca de 1300 €
limpos (um profissional com muitos anos de carreira, que arrisca a
vida muito mais do que ninguém, voluntariamente, por amor ao serviço,
ao próximo);
d) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador tem de estar disponível 24
horas por dia, deixando a família para trás a qualquer momento, sempre
que for chamado ao serviço inopinado;
e) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador recebe cerca de 300 €
líquidos de risco de voo (menos do que os pilotos, que também arriscam
a vida, mas arriscam menos pois não estão pendurados num guincho);
f) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador, tal como os demais
militares dos 3 Ramos das Forças Armadas, continua a salvar vidas, com
ânimo, profissionalismo e competência, apesar de lhe terem cortado o
vencimento desde o ano passado, apesar de lhe terem tirado o subsídio
de férias e de Natal, apesar de não ter perspectiva de evolução na
carreira nem aumento de ordenado;
g) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador não tem mordomias, carros
de luxo, condutor, sala própria, secretária, telemóvel de serviço,
despesas de representação chorudas, outros emolumentos mais ou menos
disfarçados.
h) Para mim, estes são os verdadeiros heróis, aqueles que apesar de
fortemente penalizados, fortemente incompreendidos, apenas lembrados
aquando de actos heróicos mediáticos como este, continuam dia após dia
a cumprir além do dever.
O Sargento-Ajudante recuperador-salvador, como todos os militares
merecem o respeito por parte de quem governa, para que entendam que
não se trata de um funcionário público (aliás muitos respeitáveis),
mas sim de um cidadão especial, que jurou publicamente dar a vida pela
Pátria, dar a vida para que outros vivam.
À atenção de quem de direito !!!
José Lucas, Tenente-Coronel da Força Aérea, com a especialidade TODCI.

PS - Num exercício de imaginação, tentei considerar a hipótese dos
respeitados e digníssimos representantes do povo, na Assembleia da
República (AR) receberem 1300 € de vencimento mais 300 € de risco.
Provavelmente a AR ficaria vazia.
Dir-me-ão: mas não é a mesma coisa, são responsabilidades diferentes.
Pois são: o Sargento-Ajudante recuperador-salvador arrisca a vida
diariamente para que outros vivam!»

4 comentários:

Carlos disse...

Agora fiquei baralhado com o José.

Então este salvamento não se deu "Graças a Deus"?

josé disse...

A minha mãe costumava dizer ( quando era pequenino) graças a Deus, muitas. Graças com Deus, nenhuma.

Por mim digo que não se devem misturar as coisas. Deus é uma Presença. Portanto, está explicado sem mais detalhes.

Floribundus disse...

pelo mesmo motivo que fecharam as 'casas de tias'
deviam fechar a 'casa da democracia'

Carlos disse...

Respeito, mas acho muita graça. Não é preciso detalhes.

Dura lex, sed latex