sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Uma lição de jornalismo desportivo

O Sol de hoje dedica página e meia, logo a abrir, a este jornalista desportivo do panorama dos nossos media.
O que é um jornalista, para Marcelino que frequentou um curso de Geologia que abandonou logo no início e acabou nas páginas dos jornais da bola? Alguém com " curiosidade, espírito informativo, capacidade pessoal e cultura." Eis a receita!
A entrevistadora do Sol, imbuída certamente dessas qualidades não lhe perguntou a talhe de foice como foi aquela coisa das escutas ao presidente da República no início do Verão de 2009, altura em que decorriam outras escutas, mais sérias e reais, aos beneficiários das notícias que Marcelino não se coibiu de dar aos leitores, mesmo violando códigos éticos e deontológicos relacionados com correios electrónicos de colegas de profissão.
E porque não lhe perguntou? Por falta de curiosidade, certamente. Ou de espírito informativo. Ou de capacidade pessoal. Ou de cultura.

Marcelino só lamenta na vida profissional ter autorizado uma manchete falsa, induzida por uma fonte inquinada. Era um polícia " e acabou expulso da PSP", o que deixa de fora outra pergunta necessária: foi o jornalista quem o "deu à morte" profissional?
De resto, quanto ao papel do jornal que actualmente dirige desportivamente, o Diário de Notícias, nos seis anos de regime socialista de José Sócrates, nem uma palavra. Outra vez falta de curiosidade? De capacidade pessoal? De espírito informativo? De cultura?
E sobre as vendas do jornal, sempre a descer e sempre no vermelho das contas do patrão muito comprometido com o antigo governo de seis anos de um inenarrável José Sócrates que o considerava o "amigo Joaquim"?

Sobre isso não vai nada nada nada? Não?! Hurra!

3 comentários:

Floribundus disse...

o grito de guerra em Coimbra há 60 anos
era:
'na bundjinha não vai nada?'
cada qual respondia por si

fiquei farto de 'lambe-botas' que me faziam cócegas nas solas dos pés
e me espetava a faca nas costas

miguel disse...

- [Manuela Moura Guedes] está espaldada numa trupe que domina a informação e que está à volta dela e de um tal de Prata.» (Joaquim Oliveira para Armando Vara).

- «Tenho lá uma pessoa que me tem contado as coisas todas.» (Joaquim Oliveira para Armando Vara)

- «Acabei de saber que o teu jornal manda a tese de que isto foi uma cabala do PS para correr com ela. Mas quem é que na redacção trata desses assuntos?» (Armando Vara para Joaquim Oliveira)
[Joaquim Oliveira diz que confrontou o director do DN com o facto de «haver aí uns jornalistas mais novos» a fazer perguntas sobre o assunto. «Disse-lhe [ João Marcelino] para terem atenção a essa brincadeira.» (Joaquim Oliveira para Armando Vara)

Zé Luís disse...

O José já me tirou a vontade de ler o artigo...