sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Os alemães só servem para nos ensinar Direito?

Capa da Der Spiegel- o presidente em falso...

A história conta-se rapidamente:

EM 2008, o actual presidente da Alemanha, Christian Wulff, então governador da Baixa Saxónia quis comprar uma casinha. Como não tinha dinheiro suficiente e aparenta ser pessoa séria, pediu emprestado. A quem? A um amigo rico, Egon Geerkens. Montante? Coisa mixuruca. 650 000 euros. Com juros de quatro por cento e tudo.
Crime? Não parece existir. Irregularidades éticas? Bem, aí, os jornais alemães que não são moles com estas coisas, dão a conhecer os factos. E os factos são pouco abonatórios para quem é presidente de República.

A Der Spiegel conta o resto:

Earlier on Thursday SPIEGEL reported on new details in the affair. Wulff ultimately took a second loan in order to repay the Geerkens in order to eliminate his €500,000 debt to the couple. When it refinanced the loan, private BW Bank gave the then state governor a real estate loan that wassignificantly more favorable in its terms than what would have been provided to a normal customer. In fact, it was a complicated financial construct standard for business loans, with interest rates half as high as those given to regular private customers.

On March 21, 2010, BW Bank signed a loan contract with Wulff that was similar to a revolving credit, with variable interest rates pegged to those with which banks can borrow money on the financial markets. Set to expire in December 2024, the loan's interest rates have varied between 0.9 and 2.1 percent, the president's lawyers confirmed with SPIEGEL. This kind of financing is typically granted to "exclusive private customers," the bank said in a statement.

Portanto, na Alemanha há um caso que nos faz lembrar alguém, por cá. Um presidente da República, antes de o ser, e por ser amigo de um milionário ( com quem aliás passava férias) obtém um empréstimo de favor, inequivocamente, para comprar uma casinha. Não no Algarve mas lá na terra dele. O caso salta para os jornais e uma revista de referência leva-o a sério. O que faz o presidente da República?
Ameaça os jornais? Declara publicamente que para se ser sério como ele será preciso nascer duas vezes? Não. Depois de tergiversar um pouco e de tentar aldrabar os factos, pede desculpas públicas.

As lições ficam para quem fica porque há presidentes e presidentes e o de cá, é português, algarvio, muito empertigado e o chá que não tomou em pequeno faz-lhe agora muita falta. No entanto, como estamos em Portugal, para quem é, bacalhau basta e os jornais são muito complacentes com o poder. Dixit, o próprio. Não disse complacentes; disse "suaves".

13 comentários:

Carlos disse...

Clap, clap, clap...

Carlos disse...

Ao jeito de "memória futura"

Idependentemente das querelas esquerda vs. direita, aqui muitas vezes retratadas,importa estar atento ao que aí vem.
Este governo, vai esticar a corda até aos limites do insuportável e cumprindo única e exclusivamente uma agenda mercantilista, que nada tem a ver com os interesses nacionais. O objectivo, é criar as condições para que nos seja imposto um novo governo, sem o recurso a eleições, e a exemplo do que aconteceu na Grécia e Itália.
Já há por aí alguns Antónios, Borges, Victores...disponíveis para o assalto.
A democracia, já é passado e 2012, vai ser dramático.

josé disse...

E então, a alternativa viável será o quê?

Quem nos conduziu a este beco foi exclusivamente a ausência de senso comum que é apanágio da esquerda. Gastar sem produzir e sem ter fonte de rendimento dá nisto.

E quem se opôs a este regabofe generalizado?

E agora, com esta situação, que importa andar por aí a dizer que este governo é uma desgraça se quem o diz é exactamente quem provocou essa desgraça?

Fazer o mal e a caramunha- é o que é-

Carlos disse...

Percebeu, não percebeu!?

Bom Natal para todos.

Carlos disse...

Clarificando

Responsáveis?
Meio século de ditadura e isolamento, mais quase meio século de frustração democrática decente.

Caminho?
"Só Deus sabe!", dirão muitos.
O que o povo quiser, digo eu!

josé disse...

Percebi, mas o "clap" nem tanto. É um som equívoco que pode ser produzido por outro tipo de batimentos...na calçada por exemplo.
E se fosse um postal a escrever sobre um antigo presidente o som já seria de pateada, pela certa.

bruno disse...

Basta ver esse individuo a comer o bolo rei como um autentico labrego e a mastigar o bolo com a boca aberta como um javardo….é o mesmo do *** não façarei *** povo inculto e imbecil que tem como presidente um autentico javardo.

Wegie disse...

Este Christian Wulff já aquando da sua visita à Auto-Europa se queixava que os portugueses compravam poucos Volkswagen. O que demonstra pouco juizo e informação sobre o nível de vida doutros países.


José:

Santo Natal e 2012 cheio de posts para animar o pessoal!!!

Wegie disse...

Santo Natal também para a Zazie, Karocha, José Rui e Ca.Lda. 2012 cheio de comentários à lagardére!!

Wegie disse...

Despeço-me com o hino vareiro do sporting de espinho:


"oh sporting de espinho tu tens o carinho da gente do mar

que trabalha e labuta, meu ganda filho da puta

tens que ganhar"

joserui disse...

Quando me relembram pela quilhonézima vez o "meio século de ditadura e isolamento" para justificar esta miséria franciscana, o Natal corre sempre melhor!
Um Santo Natal para todos, especialmente para o José e para os simpáticos comentadores -- menos os que cheiram a peixe que fode. Hehehe. -- JRF

Carlos disse...

Ah grande ti Alcino Careu, Ah Espinho Valente! É de Espinho viva!...fresquinha e a saltar!

Ou, como se deseja muita bonança em certas regiões do sul: "muita sardinha"

ZéBonéOaparvalhado disse...

Desejo a todos participantes neste blog, incluíndo os "mirones", um Santo Natal, - cheio de rabanadas e do famoso bacalhau com as couves galegas e regado com "Oliveira da Serra".

O período, é para as crianças - dos brinquedos e das guloseimas -

Ao Pedrocas, vai ser oferecido pelos moradores da Lapa uma "trotinete" para combater a crise.

Esgares