sábado, 18 de abril de 2009

Popós novos para os senhores deputados



Multiplicar esta imagem por 14 e calcular cerca de 900 mil euros, do bolso do contribuinte: aí fica a frota de automóveis de luxo dos notáveis da nossa Assembleia da República. Devemos orgulhar-nos? O presidente tem dois. Merece. Um série 7 e outro série 5. Os vice-presidentes, um cada um. Até um antigo presidente tem direito a carro novo, pago pelo povo. Tudo BMW série de topo 5. Nenhuma outra marca serve a nossa Assembleia da República. A tout seigneur son honneur, naturalmente. Utilitários, nem vê-los. A mediania é para os medíocres que os pagam. Deputado é filho d´algo. A única concessão é vê-los ao lado do motorista, conduzidos na prebenda.

É esta a última pouca-vergonha desta republiqueta que nem se consegue ver ao espelho da decência e do ar pindérico que estas coisas exalam.

Numa altura de crise grave, com despedimentos em massa e uma imagem de austeridade que o Estado deveria dar em primeiro lugar, a Assembleia da República, dá-se a estes luxos de terceiro mundo.
A explicação, segundo Guilherme Silva, é simples:as viaturas estavam velhas. As reparações já eram caríssimas e o combustível é do melhor: gasolina.
Ainda falta a derradeira: ajudar os pobres concessionários.

Este texto, claro, passa por uma ignomínia contra a democracia representativa. No mínimo, uma demagogia. Claro que é assim que esta gente entende estas coisas. Ninguém sente o nojo profundo que isto provoca no cidadão comum.
Foi a TVI quem noticiou. Com mais este video.

Aditamento:

No Público de hoje, cita-se como "frase de ontem", esta de Baptista Bastos ( um dos beneficiários das casas da CML):
"Dois milhões de pobres! Vinte por cento da população portuguesa sobrevive entre a miséria e a falta de perspectivas".

Alguém viu ou ouviu o BE ou o PCP, oporem-se à compra dos carros de luxo para suas excelências?
Não, ninguém os viu. Andam neles. Mas não vão nesses carros às fábricas que estão a fechar ou aos mercados do povo. Isso podem ter a certeza absoluta.

Este país é uma chuchadeira.

10 comentários:

joserui disse...

É fácil ser populista com estes casos, mas esta crise é mesmo grave. O PIB não vai descer menos de 6%, o desemprego a dois dígitos e mesmo assim artificialmente mitigado, a dívida externa sabe-se lá como e o déficit é um mistério.
E esta gente a gastar como se não houvesse amanhã. Dizem que os carros antigos (dali vão para o museu dos coches do senhor Pinho) gastaram 200.000 euros em manutenção em dois anos. Se 14 é o número de viaturas, cada uma precisou de 595 euros em manutenção por mês! A PJ devia investigar a oficina e quem os manda reparar — e já. É fartar.
Nojo profundo? Não sei se há português suficiente para começar a descrever o asco que estas pessoas metem. Dizia-me para votar em quem caro José? Há um que se aproveite? Diga-me qual e voto nele. -- JRF

Karocha disse...

Eu não sei, não vejo ninguém!

Mani Pulite disse...

Estes BMW só consomem chuva dourada.Mais económico não há.

Tino disse...

Não tem nada a ver, mas como ando mal da tola, ocorreu-me:

O que pensarão as crianças da Casa Pia destes luxos do peixe de águas profundas?

Karocha disse...

Não sei Tino!!!

Vem uma noticia no Sol,parece que o Secretário de Estado do MAI, cometeu uma gaffe e,afinal não pode pagar horas extraordinárias à PSP,porque o Estado não tem dinheiro...

Colmeal disse...

Bem prega Frei Tomás .... Como se pode ver pelo exemplo acima deferido.
Estes seres pensam que por terem sido eleitos, são portugueses de primeira e os outros de segunda, esquecem-se que o mandato está a terminar....
E repararam na notícia de ontem em que a Tap vai cancelar um número significativo de voos por falta de passageiros ?
Então para que vamos gastar uma brutalidade de dinheiro num novo aeroporto ?

lusitânea disse...

Como sobas que se prezam seguem o exemplo do soaba dos sobas e seu ídolo , o Mugabinho do Zimbabwe...

Rebel disse...

Já não tenho mais nada para vomitar. já é só a náusea, a náusea!

Rebel disse...

Pedia a lusitânea que não desprezasse os sobas. Alguns houve que não podem ser comparados com o que se acaba de descrever. Eram gente de honra, portanto, fora do "campeonato" em análise.

Rebel disse...

Desculpem-me a insistência, mas desta vez é para rebater uma afirmação em post scriptum da mensagem. Este País não é uma chuchadeira, é somente um sítio mal-frequentado, onde uns fazem dele uma mama e outros nem onde comer têm.

Finito, Fernando Esteves