domingo, 26 de abril de 2009

os novos censores

Depois de 25 de Abril de 1974 deixou de existir censura, através de exame prévio das publicações. Mas terá deixado mesmo de haver censura?

Num artigo de 4 páginas da revista Seara Nova, de Setembro de 1974, ( revista ligada ao PCP e dirigida por Rodrigues Lapa e Vasco Martins) dois autores - Vasco Gomes da Silva e Manuel Lemos- defendem uma curiosa teoria sobre a informação pós-censura. O escrito demonstra inequivocamente uma intenção: cercear a liberdade de escrita e de informação, em nome dos mesmíssimos valores apresentados como justificativos da censura do Estado Novo: tranquilidade e paz social.
Em dada altura do escrito, colocam assim o problema, muito concretamente, sugerindo títulos a evitar nas notícias publicadas:



Esta revista, nas duas páginas que seguem e nas duas seguintes, mostra à saciedade, a ideia-mestra de controlo da informação, como desiderato desejável, em nome... do povo.
Na última página, onde se indica a bibliografia consultada- S. Tchakhotin, H. Lefèbvre, H. Marcuse e G. Luckacs, autores proibidos antes de 25 de Abril 74- escreve-se o seguinte:

"É nossa opinião que os meios de comunicação poderão ter influência ao nível da ideologia pela forma como inculcam um estilo de vida e uma mitologia que pode levar ao conformismo e à renúncia".
E ainda a cereja vermelhinha no topo deste bolo de noz moscada:

"Os meios de comunicação operam com grande eficácia num regime de monopólio psicológico só e quando acompanhados por uma prática social que esteja de acordo e seja coerente com a ideologia que lhe está subjacente".

Que ninguém tenha a mínima dúvida: o PCP e o actual BE, a primeira coisa que fariam logo chegados ao poder, seria estabelecer a mais férrea censura. Fá-lo-iam ao abrigo das melhores intenções e sem admitir alguma vez os intuitos censórios. A semântica serve para isso.




























3 comentários:

Mani Pulite disse...

As várias sub-seitas da Grande Seita Socialista têm pelo menos uma coisa em comum:um Santo Horror à Liberdade seja ela qual for.O PCP-Stalinista,o BE-Trotskista e o PS-Socialo/Jacobino são simples versões portuguesas desse grande ódio.

joserui disse...

Imparável caro José. -- JRF

josé disse...

Por hoje chega. Amanhã é dia de pica boi, como se dizia quando era pequeno.