segunda-feira, 20 de abril de 2009

Gestão de custos e benefícios

TSF:

O Tribunal de Contas (TC) detectou gestores públicos, multados pelo tribunal, que estão a pagar as multas através dos orçamentos dos serviços e não do próprio bolso, o que é uma prática ilegal, confirmou à Lusa fonte oficial do TC.
«O Tribunal teve conhecimento de casos em que os gestores públicos pagaram multas através do orçamento das entidades a que pertencem» o que é uma situação «ilegal e muito grave», disse fonte oficial do TC.
Às respectivas tutelas, uma vez que não se trata de funcionários públicos, resta uma única via: porem-nos imediatamente no mercado, seguindo uma lei que os próprios conhecem, a da má moeda.
Vai ser assim? Vai. Quando as galinhas, porventura, ganharem dentadura.
Aditamento:
Dito e feito. As tutelas vão obrigar à reposição da massa. E fica tudo como dantes. A Cooperativa é assim mesmo: uma autêntica câmara corporativa.

10 comentários:

lusitânea disse...

Como as galinhas estão ainda na fase de a terem perdido(á dentadura)...

Neo disse...

...e se for postiça,seremos nós a pagá-la ,segundo o Tribunal de Contas.

Rebel disse...

E de um ponto de vista puramente "justo" é assim que deve ser: Somos nós contribuintes que devemos pagar as multas dos referidos senhores, pela simples razão de que fomos nós, de alguma forma, que lá os colocámos! Se cada um tem aquilo que merece e nós temos isto, é porque o merecemos. Vamos lá a abrir os cordões à bolsa!
Brilhante raciocínio! Estou a aprender com o José S.
Boa semana para todos!

Colmeal disse...

José,
Isto vai ser muito simples, se tiverem de repor a massa, sabe o que vai acontecer ?
Vão diluir esse valor nas próximas encomendas a fornecedores (com o acordo destes claro está ...) fazendo com que as encomendas sejam feitas a preços mais elevados, no fim de tudo isto quem vai pagar a conta quem é?
Já advinharam somos todos nós !

Isto faz-me lembrar o fim do ano, quando toda a gente anda a analisar o orçamento e se existe alguma verba disponível ... Toca a gastar rapidamente o dinheiro.
É que houve uma inteligência superior que determinou que se o orçamento não foi gasto no totalidade, então no ano seguinte no novo orçamento é retirada a verba não utilizada no orçamento anterior ...
E depois querem reduzir custos de funcionamento, só podem estar a brincar .

Rebel disse...

Deixem-me que vos diga com a maior da frontalidade, que vocês parecem manifestar alguma inveja destes senhores gestores. Todas estas prebendas se devem a dominarem le derniere crie em matéria de gestão: a chamada gestão à Sequeira: é o que se queira!

Karocha disse...

Pois é Rebel, nós andamos aqui todos roídinhos de "inveja" eheh

Falando a ´sério, todos os dias é uma nova,quando é que isto pára!
Não existe ninguém honesto?, anda tudo a roubar???
É este o legado para os nossos netos?

Rebel disse...

Karocha: Se o dono deste espaço, se não importar, gostava de lhe comunicar que recebi e li a sua missiva, mas que me é impossível de momento responder-lhe, pois estão suspensas as inscrições no mail que por defeito está neste meu computador. Como ainda ando a reaprender a mexer nisto que deixei há vinte anos (Mac), não consigo responder ao que vier do Blogger. Logo que consiga a inscrição terá a sua resposta.
Respondendo agora à questão que deixa, direi que também será o legado que os netos deixarão aos bisnetos, pois parece ser um atavismo. São os pais que educam os filhos e quando aqueles têm para ensinar o que têm, que mais esperar?

josé disse...

Não me importo das referências a casos pessoais se as pessoas envolvidas estiverem de acordo e não incluirem terceiros ausentes de eventual discussão.

Rebel disse...

Desculpar-me-á, mas não percebi nada da resposta que me deu. Julgo que contém informação a mais. Não existe existe na minha mensagem qualquer referência ou sequer alusão a seja quem for que não seja à Karocha, a destinatária da missiva. Tenho por princípio discutir ideias, rir com as pessoas, mas não falar de seja quem for que esteja ausente, a não ser que isso nada contenha de ofensivo para o ausente. Peço-lhe desculpa pelo abuso, se considerar como tal o primeiro parágrafo do meu post. Se assim o entender, retire-o! Reitero o meu pedido de desculpas!

josé disse...

Rebel:

Qual post? Não julgo ofensivo coisa nenhuma e só esclareci um princípio ético para se escrever por aqui.

Um princípio orientador, apenas e para evitar que por aqui passem casos particulares, individuais que envolvam terceiras pessoas e que não possam defender-se devidamente.

Só isso, mas não vislumbro nos seus comentários nada disso.