sexta-feira, 17 de abril de 2009

Efeméride

Esta imagem ( retirada daqui) retrata um acontecimento de há 40 anos, exactamente.
No dia 17 de Abril de 1969, Alberto Martins, na foto, então presidente da Associação Académica de Coimbra e actual líder parlamentar do PS, pede a palavra ao Presidente da República Américo Tomás, na inauguração do edifício das Matemáticas da Universidade de Coimbra.
Não lha deram e o mesmo continua ressabiado, por causa disso.
Escusam de procurar por Vital Moreira, na foto. Segundo informou recentemente, na altura andaria amordaçado, qual bardo de Astérix.
Mas não, não estava. Segundo este blog ( ainda bem que há blogs para isto), as coisas passaram-se assim, nessa altura:
Quando (1969) 39 estudantes da Universidade de Coimbra foram expulsos por delitos disciplinares e criminais que lhes foram imputados, como a paralisação da universidade, greve geral a exames, ofensas ao Chefe de Estado(eu, sendo o mais puto dos bandidos, estava acompanhado pelo Alberto Martins, Pio de Abreu, Celso Cruzeiro, Fernanda da Bernarda, Tito Amorim, Silva Sardo, Osvaldo Castro, Barros de Moura, Carlos Batista,Fernando Catroga, Strech, entre muitos outros)o Ministro José Hermano Saraiva seria substituído pelo Veiga Simão para a pasta da Educação e colocou como condição ao Chefe do Governo a revogação das expulsões, o regresso à universidade dos estudantes entretanto compulsivamente metidos na tropa(não era o meu caso visto que era ainda teenager…)e também a reintegração do VITAL MOREIRA, ele mesmo expulso da universidade onde já era professor em direito.
A negociação foi dura e exigia que uma delegação dos atingidos fosse expressamente encontrar-se com o Presidente fantoche Américo Tomás, EXCLUSIVAMENTE para lhe dizer que os factos de que fomos acusados não o visavam a ele enquanto Chefe do Estado (fascista, acrescento), apesar de em coro lhe termos chamado, entre outras coisecas, “palhaço”.
Quem chefiou essa delegação que foi a Lisboa foi nem mais nem menos que o Vital Moreira, que à pala desse gesto nobre acabaria por ser insultado pela hiper-extrema esquerda de traidor e vendido.
Mesmo com o adjectivo "fantoche" pelo meio, a lembrar o léxico revolucionário pró-chinês, vale a pena ler destes textos. E fica reparado o agravo ao "amordaçado" e reposta a honra ao mérito devido, pela coerência.
E é curioso reparar nos nomes e consonâncias, passados 40 anos. Celso Cruzeiro...por exemplo.

4 comentários:

vml disse...

ahahahahah.... mais uma, linda!

Luís Bonifácio disse...

Sei que o Expresso, em 1989 ou 1994 publicou a foto onde Alberto Martins, Vital Moreira e ou outros vaziam uma enorme e pronunciada vénia ao Almirante Américo Tomás.

Se bem me lembro, o Vital não estava amordaçado.

Colmeal disse...

Não era vénia nenhuma, estavam era a apanhar uma moeda de 2$50 que tinha caído ao chão ...

Mani Pulite disse...

O Vital sempre gostou de vénias e beija-mãos.Ele foi ao Tomás,ele foi ao Cunhal,ele é agora ao Sócrates.Todos têm em comum uma coisa:um imoderado amor pelas Ditaduras.