sexta-feira, 3 de abril de 2009

A realidade nua e crua


Este editorial do Público de hoje ( clicar para ler melhor), da autoria de José Manuel Fernandes é a melhor explicação para a perseguição judicial de que foi alvo: elenca em três colunas, alguns dos maiores problemas que Portugal enfrenta com esta gente que nos governa.

O poder real e efectivo não gosta destes editoriais porque lhe mostra que vai nu. E o único pudor que esse poder tem, é o das aparências.

Ultimamente, tenho reparado que os jornais andam mais atentos à realidade, com incidência correcta nos fenómenos judiciais e com apreciações críticas mais aperfeiçoadas.

Será fenómeno passageiro?

11 comentários:

alexandre Iº disse...

Penso que uma das razões para essa aparente evolução se prende com o natural estertor da estratégia maoísta de diabolização do sector judicial. A maré está a mudar, embora não o suficiente, como se verá daqui a uns meses (mais por culpas alheias do que por méritos próprios), e isso alertou algumas consciências. Apesar dos contentores o porto está mais livre. A história, mesmo a macaense, tem tendência a repetir-se.
Bem haja José.

António de Almeida disse...

Existem mais processos:

http://twitter.com/JMF1957/status/1446397724

joshua disse...

Espera-se que venha para ficar. O Mandato governamentalesco de Fachada, e o seu arrecadar feroz clientelar priorizado acima de qualquer outra coisa, têm de ser combatidos com Factos, Razão, Verdade. Se os media não fizerem o seu trabalho, todos perderemos a fundo. Abraço.

Karocha disse...

Duvido José!
Agora sempre quero ver quem vai ser o Advogado da parte contrária!
O Belmiro não é pessoa para que se fiquem a rir dele...

Luis Melo disse...

É verdade, para espanto de muitos… Sócrates tinha ameaçado com processos os jornalistas que escreveram sobre o Freeport, e cumpriu. Depois das pressões ao MP aqui está a pressão à imprensa.

João Miguel Tavares, colunista do Diário de Notícias, foi processado pelo primeiro-ministro por ter escrito: “Ver José Sócrates apelar à moral na política é tão convincente quanto a defesa da monogamia por parte de Cicciolina”.

João Miguel Tavares respondeu com nível: “Agradeço a atenção que o senhor primeiro-ministro me dedicou de que não me acho merecedor”.

E o artigo de Fernanda Câncio sobre pressões? Ridículo. Será que a senhora não vê, que na posição em que está, não devia falar destas coisas? Por mais que seja bem intencionada, será sempre vista como sendo parcial. E portanto, assim sendo, não tem os resultados que a própria deseja. Será que a senhora é tão ceguinha que não vê isto?

vml disse...

Das coisas mais inacreditáveis que se disseram sobre o Freeport - e que diz muito da forma como a Turma encara tudo isto - veio da boca de Fernanda Câncio, a activista dos direitos das lésbicas que faz o papel de namorada de Pinto de Sousa nas revistas cor-de-rosa.

Diz ela que muitíssimo preocupante para o Estado de direito democrático, e mistura entre política e justiça no caso Freeport, é o facto de João Palma pedir uma audiência ao Presidente da República.

Pode não acreditar, mas foi assim...

Chamar cara-de-pau, como fez o outro agora processado pelo senhor Pinto de Sousa, é pouco.

Esta gente ultrapassa todos os limites.

vml disse...

por falar em câncio, a tipa anda doida. o último post no seu blog tem o título "dos filhos da p..." (com todas as letras). ver em http://5dias.net/author/fcancio/

josé disse...

Ouvi e já comentei o programa que ainda decorre.

Esta Câncio é um absurdo.

josé disse...

Vou ver e comentar se for preciso

josé disse...

Já vi. Não tem interesse nenhum.

Esta fulana é surreal.

joshua disse...

dos filhos da puta
15 de Outubro de 2008 por Fernanda Câncio

A corrupção larvar em Portugal