terça-feira, 12 de abril de 2011

O senso fictício

A revista Flash de hoje consagra uma página inteira ao evento do 18º aniversário das "Produções Fictícias". As presenças chegam para mostrar a importância relativa da empresa, que produz riso com todos, mas as ausências ainda mais.
Temos por isso um aniversário da empresa que "faz rir há 18 anos". Às vezes , faz. Como os Parodiantes faziam há 40 anos. Um riso sintomático e sincrónico com os fenómenos do tempo que passa. Dantes, o mote dava-se pelos costumes pequeno-burgueses, como lhes chamaram depois. Agora, pelos costumes pequenos da esquerda bem-pensante. Portanto, a situação sempre em destaque, no humor que temos.

O único cromo que destoa no retrato conjunto é o de José António Pinto Ribeiro, um político sem acaso que acabou ministro por coincidência. Faz agora parte do conselho superior do MºPº para vigiar por dentro o poder da instituição. Dizem que fala muito nas reuniões...

1 comentário:

Dias Santos disse...

Não conheço boa parte dos fotografados, mas acho imensa graça ao ex-ministro, ri-me logo com a cara da Clara Ferreira Alves e cheguei à gargalhada quando vi António José Teixeira. Pinto Ribeiro destoa? Se não fosse por outro motivo, bastava a troca pelo homónimo para ser uma boa anedota.