terça-feira, 12 de abril de 2011

O homem dos cachaços em Felgueiras

Assis, o apaniguado do PS que aqui há uns anos levou no cachaço, em Felgueiras, com umas cachaporradas dadas pelos apoiantes dessa heroína da luta anti-corrupção autárquica, Fátima Felgueiras, anda frenético.

Assis, putativo dirigente com "bom senso" e capacidade de diálogo, hipotético líder de um partido de tácticas e manutenções de lugares em tacho, anda a discutir a autoria da crise política. Quem a provocou, determinando a desgraça com a intervenção do FMI?

Foi a oposição, sem dúvidas para Assis que nunca tem dúvidas nestas matérias sincronizadas em comícios tipo manifestações fascizadas.
Foi essa a teoria saída do Rato e cujos inquilinos se recusam a abandonar o barco

"Assis garantiu que o primeiro-ministro "teve a preocupação de envolver o PSD neste processo", e acusou a oposição de ser a responsável pela actual crise. "O PSD quis provocar uma crise política em Portugal", sublinhou o líder parlamentar dos socialistas."

Portanto, a crise política que nos desgraçou os ratings e conduziu a juros sem tecto, é culpa todinha da oposição. Se a oposição tivesse aprovado o PEC IV, como fez nos outros três, teríamos um V em breve e sem resmungos de maior, porque se nessa altura recusasse um V, fatal, teríamos novamente a rábula da crise política e destes políticos, tipo Assis que não levou cachaços suficientes para não fazer dos outros parvos, como anda a fazer.

7 comentários:

JC disse...

Alguém se lembra ainda desta declaração de intenções do inenarrável:

"Não governo com o FMI"
20 Março 2011

José Sócrates deixou ontem de fazer apelos à negociação e entrou em modo de campanha eleitoral, declarando "não est[ar] disponível para governar com o FMI". Na apresentação da sua moção ao congresso, o líder socialista reafirmou que Portugal "não precisa de ajuda externa" e aproveitou para lembrar a disponibilidade manifestada pelo PSD de Passos Coelho em chegar ao Governo com o FMI.

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1810496

Ontem, na entrevista da Drª Judite "Seara", PPCoelho tentou falar sobre esta declaração do inenarrável mas foi prontamente impedido de o fazer pela Drª. Seara.

Pacheco-Torgal disse...

"Com 71 anos, Vítor Melícias declarou, em 2007, ao Tribunal Constitucional um rendimento total de 111 491 euros, dos quais 104 301 euros de pensões e 7190 euros de trabalho dependente. 'Eu tenho uma pensão aceitável mas não sou rico', diz o sacerdote.

josé disse...

fernando:

Essa merece postal.

Carlos disse...

Oh Fernando, do que o Senhor se havia de lembrar (além do Carmo e a Trindade ainda vai levar com o vírus e uns pregos na fotografia)

José:

Na onda do arraial do fim-de-semana.

Ó Zé (ai,ai, já sei respeitinho), na dita oposição que refere, não estão lá muitos dos mesmos - sempre!

Quanto aos cachaços, apreciei o humor

Carlos disse...

O castigo e a vingança, foi explicado agora pelo sinistro das finanças.

Não quiseram o PEC 4!...então agora vão gramar pior.

E, das duas uma: ou nos querem a continuar a fazer o nosso trabalho, ou quem vier atrás é o nosso trabalho que têem de fazer.

Depois daquele congresso ao melhor estilo "nacional-socialista"...preparemo-nos.

Karocha disse...

Pois!

Por isso o casamento do Dr.Assis, deu em divórcio...

Mani Pulite disse...

É TUDO CULPA DO PSD.IRRA QUE ESTES GAJOS SÃO BURROS!POIS SE ATÉ OS TERRAMOTOS E TSUNAMIS NO JAPÃO SÃO CULPA DO PSD.PARA JÁ NÃO FALARMOS NO FACTO DO SÓCRATES,DO TEIXEIRA E DO ASSIS TEREM NASCIDO.TUDO CULPA DO PSD MAIS UMA VEZ.

A síndrome Bilac da PSP