terça-feira, 19 de abril de 2011

A realidade alternativa das nossas tv´s

Sigamos esta ideia:

"Vamos lá pôr nomes às coisas. Sabemos quem nos governou nos últimos anos. Há nomes e rostos. José Sócrates, Teixeira dos Santos, Silva Pereira, Santos Silva, Mário Lino, Manuel Pinho, entre outros. Foram estes “políticos” e não outros que tiveram o poder executivo durante oitenta meses, grande parte com maioria absoluta. Foram estes “políticos” que negaram a realidade, garantindo que estava tudo bem, sem conseguir inverter a espiral de endividamento.

Perante esta amnésia colectiva vale a pena recordar os factos: 620 mil desempregados, uma pobreza galopante, uma economia em recessão em contra-ciclo com a Europa, défices gigantescos em 2009 (10%) e 2010 (8,6%), a pior dívida pública dos últimos 160 anos, uma classe média endividada, mais impostos, emigração em massa, mais crime, mais divórcios, funcionários públicos desmotivados, a terceira pior taxa de abandono escolar da OCDE. É esta a nossa realidade. Uma realidade que nos quiseram ocultar durante anos, confundido o governo do país com uma gigantesca agência de marketing, até acordarmos sem dinheiro para salários e com o FMI a bater à porta."

Perante este discurso que nada mais é do que o espelho mais fiel de uma realidade que temos e vemos ( quem quer ver), o que podemos apreciar nas tv´s do funcionalismo serventuário? Outra realidade alternativa, inventada por esses entalados para se perpetuarem em poleiros de emprego que de outro modo nunca teriam e que vêem perigar no seu futuro imediato: a culpa é de todos e a oposição não fará melhor.

O articulista termina, escrevendo:

"A responsabilidade, tal como a vergonha, tem nomes e rostos. Quem nos conduziu a esta situação humilhante, quem nos amarrou a uma dívida astronómica, deve prestar contas. Para isso servem as eleições. A culpa não pode morrer solteira. Isso sim seria fazer greve à democracia."

Pois sim. A famosa "responsabilização democrática" , o tal "prestar contas" decorrente dos actos eleitorais, vai mais uma vez ser escamoteada, como tem sido e foi em 2009. Com propaganda, papas e bolos e a ajuda preciosa do jornalismo funcionário que tanto tem a perder com alteração do satus quo.

"Prestar contas" ? Isso é que era bom! Os responsáveis pelo descalabro não só vão fugir à prestação como ainda apresentarão mais facturas para todos pagarmos. E ainda vão convencer-nos que fomos nós os culpados e portanto os responsáveis pelo pagamento.



1 comentário:

zazie disse...

«E ainda vão convencer-nos que fomos nós os culpados e portanto os responsáveis pelo pagamento.»

Ah, mas não tenha dúvida. E para essa cantiga têm muitos idiotas úteis a dar uma ajuda.

Desta vez é "crime violento"...