quarta-feira, 20 de abril de 2011

É o direito alemão, Boaventura!

Daqui:

O director do Observatório Permanente da Justiça (OPJ), que de manhã teve uma reunião com a "troika", sustentou que se trata de uma "missão quase impossível" explicar-lhes o sistema da Justiça em Portugal. "São pessoas muito pouco familiarizadas com o nosso sistema. É muito difícil explicar-lhe os detalhes técnicos da Justiça portuguesa, daí que essa é uma missão quase impossível, porque eles não entendem, vêm de outras culturas jurídicas", observou o sociólogo, em declarações à agência Lusa.

Boaventura Sousa Santos tentou explicar a Jurgen Kroger (CE), Rasmus Ruffer (BCE) e Poul Thomsen (FMI) ou seja, um alemão, outro alemão e um dinamarquês o nosso sistema de justiça. Diz agora que os ditos não conhecem bem o nosso sistema.

BSS devia saber, se fosse jurista actualizado, que os nossos códigos, particularmente os penais são de inspiração...alemã.
Em Coimbra, na faculdade de Direito, mesmo ao lado do CES onde o Observatório tem o ninho de cuco, podem explicar-lhe melhor.
Mandar um Boaventura explicar a dois alemães porque é que o sistema deles não funciona no nosso país é tarefa ingrata, porque o problema é simplesmente o desconhecimento do sociólogo destas coisas.

4 comentários:

joserui disse...

Ahah! Já estou com pena dos alemães e do dinamarquês.
Daqui a uns dias já vamos saber se eles entenderam ou não. -- JRF

Wegie disse...

Não só os códigos penais. Todo o direito privado, desde o Código Civil de 1966, é um ramo do direito alemão.

100anos disse...

Boaventura é uma máquina - tanta ignorância e superficialidade roça a leviandade.

Karocha disse...

Acho que eles já entenderam tudo!!!

A viagem da Apolo 11 nos media