terça-feira, 12 de julho de 2011

A vida privada das figuras públicas

BBC:

Gordon Brown is said to be "shocked" after it was alleged the Sunday Times targeted his personal information when he was Chancellor.

Documents and a phone recording suggest "blagging" was used to obtain private financial and property details.

The Browns also fear medical records relating to their son Fraser, whom the Sun revealed in 2006 had cystic fibrosis, may have been obtained.

Repare-se: o antigo primeiro-ministro terá sido devassado em aspecto da sua vida privada, por um jornal inglês ainda prestigiado ( Sunday Times). A sua reacção, ao saber do assunto, foi a de que ficara chocado com tal procedimento e ainda que se tal tinha sucedido com ele, apesar de todas as medidas de segurança, o que não seria com o vulgar cidadão! Indeed.

Por cá, o jornalismo caseiro, como disse Cavaco Silva em declarações apanhadas à socapa pela Wikileaks, é muito suave. Seria capaz de sacar informações do modo que os jornais ingleses o fizeram? Nem por isso porque não precisam.

Em primeiro lugar, o jornalismo português, hipocritamente, não se interessa por aspectos particulares da vida dos políticos que sejam publicamente relevantes e que tenham a ver com determinadas opções de vida. Nunca um jornal português dará notícia que um político de relevo assume uma homosexualidade escondida mas com reflexos nas suas decisões. Mesmo sabendo-o não o fará, porque o clima de correcção política que se instalou não o permitiria.

A deputada Ana Gomes tentou, por motivos politicamente turvos como sempre acontece com a senhora. E todos lhe caíram em cima. E calou-se.

Depois, o jornalismo português não quer saber a verdade das coisas se tal verdade ofender interesses instalados e de que o jornalismo não pode prescindir economicamente. Os media portugueses não se metem demasiado com os políticos que estão no poder, principalmente se forem vingativos e retaliativos como o foi José Sócrates.

O caso do Bijan é exemplar desse jornalismo de sarjeta que desagua no corredor do poder.

Deveria o jornalismo português noticiar e investigar à inglesa, mostrando a vida privada de figuras públicas para pasto de leitores ávidos de voyeurismo? Não devia, claro que não.

Mas há uma nuance nisso: o Sunday Times noticiou que o filho de Gordon Brown sofria de fibrose quística. E daí?

O 24 Horas de Pedro Tadeu in illo tempore publicou uma notícia que obteve através de uma violação de segredo de justiça: que o antigo ministro Vera Jardim sofria de problemas císticos. E daí?

Pois há uma diferença: a notícia sobre Vera Jardim era um meio para um fim: o de demonstrar que o MºPº tinha recolhido informação num processo crime relativamente a uma figura estranha a esse processo e com isso o intrépido Tadeu, adepto incondicional da "verdade, verdade, verdade" ( foi o que o matou profissionalmente, esse amor assolapado à verdade) queria dar aos seus leitores a notícia que lhe interessava e ao grupo em que se integrava e que era a de que o procurador-geral de então era um salafrário.

Portanto, a vida privada das figuras públicas pode ter interesse...e tudo se resolve numa simples questão, de bom senso e de entendimento, de deontologia, de ética e de verdade.

Não será assim?

1 comentário:

Floribundus disse...

a quase totalidade do jornalismo português reproduz a 'Voz dos Donos'
não tem autonomia
raramente dá uma informação exacta.

no final é : ignorâmcia, estupidez e má fé