terça-feira, 11 de outubro de 2011

Paulo Campos...quem é?

A TVI24 noticiou ontem: As SCUT vão custar mais que o previsto. Mais...quanto? Pouca coisa para um tal Paulo Campos que se faz desentendido na matéria, sendo deputado do PS, actualmente e que foi um dos principais responsáveis governativos( Correio da Manhã de hoje dixit) pelo descalabro financeiro: quase 700 milhões de euros. Ainda se atreve a dizer que houve ganhos quando o relatório do IIER assegura que há um colossal prejuízo para o Estado que todos vamos pagar e que foi anunciado previamente aos governantes, para prevenção e na altura da renegociação em 2010. Nada fizeram.
Assim, pagamos todos à Ascendi ( Mota Engil e tutti quanti) e quanto a investigação a esta como a outras, nada de nada.
A PGR, neste caso, não actua oficiosamente. Se fosse um caso que envolvesse agências de rating...

No video, o fiscalista Tiago Caiado Guerreiro afirma que temos um Código da Contratação Pública ( da autoria da firma de Sérvulo e Associados) que defende o interesse das construtoras que neste caso é totalmente opaco.
Opaco? Bem claro e transparente: esmifrar o máximo que puderem o Estado, com a colaboração objectiva de governantes do mesmo Estado...se for real o que o relatório do Instituto das Infraestruturas rodoviárias diz. E portanto, se tiver credibilidade impõe-se uma investigação criminal a esta vergonha de muitos milhões de euros. Por uma simples questão de justiça elementar.

10 comentários:

AF disse...

Se tivesse que votar no político que mais repulsa me causa, era sem dúvida nesse Paulo Campos. Bem que sei que a escolha é vasta, e que outros terão feito habilidades piores mas, não sei ... é algo de visceral.

Floribundus disse...

o pai era o gajo das vacas loucas no tempo do PM Cavaco
Com guterres e armani os bóis ficaram loucos

'vamos proceder a um rigoroso inquérito'
é frase desacreditada

JC disse...

Se a PGR, por sua iniciativa, não abre inquérito - apesar de poder estar em causa a prática de crimes de natureza pública - porque é que não há ninguém que escreva uma carta à PGR ou ao DIAP ou à PJ, com cópia dessa noticia, a requerer que esse inquérito seja instaurado, com cópia, para conhecimento, a alguns órgãos de comunicação social?

josé disse...

JC: A pergunta é muito pertinente mas há um problema a montante...para quê?

Esse inquérito seria fatalmente distribuido no DCIAP pela sua directora que reporta estas coisas sensíveis ao PGR. Este, no caso dos papeis dos offshores da família Sócrates deixou-os a marinar mais de um ano. Portanto, estamos conversados sobre isto.

Só adiantaria alguma coisa se um qualquer director do DCIAP se impusesse ao PGR e levasse por diante a invesrigação mesmo contra a vontado do mesmo, a qual aliás nem sequer tem de manifestar.

E temos esse director do DCIAP onde? Não temos.

josé disse...

É precisamente para estes casos que a autonomia interna do MºPª é não só importante como essencial. E existe no papel do estatuto. Só não existe é na prática das vontades porque ninguém quer chatices com a hierarquia que já vimos como funciona nesses casos e principalmente não vejo ninguém com espírito de verdadeira cruzada para investigar bem estas coisas.

E nem é especialmente difícil havendo um mínimo de meios- que os há. Haja vontade.

ZéBonéOaparvalhado disse...

O José lembra-se do Freire (hosp Francisco Xavier) e do Miquel Beleza? a sua "sebenta" e um prodígio.

josé disse...

Pois lembro: foi aí que começou tudo, na investigação a políticos. E o Costa Freire fartou-se de proclamar inocência mas foi processado. E o Beleza também.
Por isso os exemplos não são os melhores...

josé disse...

E ao contrário de quem se sente aparvalhado não tapo os olhos de um ou outro lado para ver o que mais me convém...

ZéBonéOaparvalhado disse...

Eu não disse - a sebenta do José não falha ao contrario de muitos - mas lembra-se de um Tavares ligado à banca

josé disse...

Esse Tavares faz figura de rico como alguns aparvalhados do PS fazem?
Por exemplo, um Berardo ou um A.Vara ou...quantos quer para amostra?

Dura lex, sed latex