domingo, 30 de outubro de 2011

Paulo Campos processa

Paulo Campos já apareceu nas tv´s a defender a honra do convento da renegociação das SCUTS. Disse que já deu instruções ao advogado para diligenciar no sentido de accionar quem o "difama" e "calunia", no caso, Marques Mendes que não quer comentar...
Pode ser que se proporcione ocasião para se perceber exactamente o que sucedeu com a renegociação das SCUTS, particularmente algumas que nada custavam ao Estado e passaram a custar, em proveito da MotaEngil.
Pode ser que alguém exija um inquérito criminal a tal situação. Pode ser.

Entretanto, fica uma crónica de Manuel António Pina, sobre o assunto, publicada no Jornal de Notícias:

É só um mais um caso mas ilustrativo dos labirintos políticos através dos quais, passando pelo Estado, os milhões fluem, em Portugal, do bolso dos contribuintes para o de certos grupos económicos, invariavelmente os mesmos.

Noticia a "Agência Financeira" que a reguladora do sector rodoviário denunciou em 2010 ao então secretário de Estado das Obras Públicas, Paulo Campos, que a Estradas de Portugal estava a negociar um contrato ruinoso com o grupo Ascendi, referente às auto-estradas entre Barcelos e Guimarães e Famalicão e Vila Pouca e a várias ligações dos IC16, IC17 e IC30.

O trânsito era, pelos vistos, pouco e a concessionária perdia dinheiro pois se pagava apenas com portagens. O anterior Governo resolveu-lhe o problema: passou a pagar à Ascendi, por estradas que não custavam um cêntimo ao Estado, 1,864 milhões em rendas fixas, recebendo 1,267 milhões de portagens. Para isso mudou o Código da Contratação Pública e entregou depois (ou antes, não se sabe) a feitura do contrato a um escritório de advogados... ligado às construtoras.

O resultado foi um rombo de 597 milhões anuais na despesa pública que você, leitor, e eu estamos agora a pagar à Ascendi, isto é, à Mota-Engil de Jorge Coelho e ao BES.

O então presidente da Estradas de Portugal [Almerindo Marques] é hoje presidente da Opway, construtora do BES e accionista da Ascendi. E Paulo Campos figura de proa do "novo PS" de Seguro. Tudo está bem quando acaba em bem.

2 comentários:

Zephyrus disse...

Mais mentiras, expostas aqui, agora sobre o infame Plano Nacional de Barragens:
http://www.geota.pt/xfiles/scContentDeployer_pt/docs/Doc2243.pdf

ZéBonéOaparvalhado disse...

O Paulo Campos vai meter o Maques (sem r) em tribunal, lá 2020 haverá julgamento

O Isaltino do psd, tem outra queixa da PJ em tribunal - lá 2030 haverá julgamento

Entretanto falamos dos xuxas e jacobinos