sexta-feira, 24 de junho de 2011

O fotógrafo da emoção

Esta entrevista saiu ontem na última página do Diário de Notícias do jornalista desportivo João Marcelino. É de Ricardo Oliveira, o fotógrafo oficial do ex-primeiro-ministro José Sócrates. Ajeitava-lhe as gravatas, segundo refere e ia com ele a todo o lado ( "com Sócrates fui a todas") .

João Marcelino continua a gozar com o pagode. Já agora poderia ter colocado esta foto na entrevista. A do Continente...

14 comentários:

Floribundus disse...

seguem o ditado alentejano
«nunca cagues onde comes»

os grão-mestres socialitas do minúsculo oriente pensam dirigir uma sociedade secreta.

antes da minha iniciação fui ler o artigo 'maçonaria' da Grande Enciclopédia Portuesa e Brasileira.
até transcrevem o ritual das lojas
do Rito escocês ainda em uso.
o mesmo e outros encontram-se na BNP

Mani Pulite disse...

FOI MESMO A TODAS !?

hajapachorra disse...

Uma coisa há que reconhecer: estão a sair do armário.

Wegie disse...

José,

Não percas tempo com rabetas. O Marcelino lá terá as razões para isso. Mas tu não tens.

JC disse...

Este fulano era o quê? Fotógrafo oficial do PM Socrates? E quem lhe pagava o ordenado? O Estado?
Se sim, com base em quê? Na orgânica do gabinete do PM está previsto o lugar de fotógrafo?
Duvido muito que exista essa lugar, e se não existe é totalmente ilegal que tenha estado a receber vencimento do Estado.

Unknown disse...

Portugal é um país de preconceitos, eu acho que eles se deviam retirar e viver a sua vida, aproveitar o amor.

Monchique disse...

Já agora é bom dizer que o homem diz na entrevista que gostaria de continuar a chorar, agora com o Passos Coelho!

josé disse...

VML:

Antes de ser um país de preconceitos Portugal é um país de hipócritas.

Pouco me interessa se o Sócrates e este Ricardo se entendem pessoalmente como casal ou outra coisa qualquer.

O que me interessa é que fazem de conta que isso não conta para nada...

josé disse...

E agora pergunto: é indiferente para o caso e para o país que o fotógrafo oficial de um primeiro-ministro possa ser outra coisa que não apenas isso?

E é indiferente que as pessoas o saibam?

josé disse...

Ou a questão será colocada de outra forma e mais ou menos assim:

Quem sabe, cala e consente. Quem não sabe não precisa de saber porque se soubesse poderia haver problema.

É este o cúmulo da hipocrisia.

josé disse...

Este tipo de hipocrisia conduz a casos como o de DSK. Os franceses estão a discutir o assunto nos media.
E muitos concluem que a hipocrisia que acompanhou os anos de Mitterrand não serve o país.

Os americanos, esses não perdoam estas hipocrisias, como aconteceu recentemente com um congressista que poderia ser o próximo presidente da Câmara de Nova Iorque. Foi apanhado nas mensagens pessoas dirigidas a putéfias da net. E com imagens associadas.

Coisa mais íntima e reservada não há. E no entanto para os americanos essa intimidade para os políticos não existe.

Por cá, não só existe como vem acompanhada de toda a hipocrisia possível.

E depois acontecem casos como o Casa Pia.

hajapachorra disse...

'ajeitava-lhe as gravatas'... está explicado, este era o homem do 'proctocolo' socretino...

zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

"cavalinho, cavalinho, cavalinho"

ahahahahhahahahah