segunda-feira, 6 de junho de 2011

A Esquerda e a social-democracia


Em finais de 1974, aproximando-se as primeiras eleições democráticas em Portugal, o editor Fernando Ribeiro de Mello, das edições Afrodite, colocou às diversas forças políticas algumas perguntas fundamentais sobre diversos aspectos da organização política, económica e social que cada um dos partidos propunham para as eleições que se avizinhavam. As respostas foram reunidas em livro e o PCP não respondeu. O PCP é um mundo à parte, na democracia portuguesa...

Vale a pena ler o que pensava o então PPD e o PSP ( ainda com o P de Português) sobre a organização económica e sobre o serviço nacional de saúde e conclua-se quem é de "direita" ou de "esquerda":

Sobre religião torna-se interessante saber o que pensava o PRP-BR, partido que dali a dez anos se tornaria o embrião das FP25A:



5 comentários:

Floribundus disse...

esta revolução socialista tem sido o 'festim das ratazanas'.
estes textos fascistas estão cheios de podridão e miasmas.

ontem assistiu-se a um 'talho' em linguagem de esgrima
«golpe de direita para a esquerda».
o movimento inverso cham-se 'revés'

e não foi rés-vés

zazie disse...

Os mata-frades todos excitados.

Wegie disse...

Sendo o José um melomano admira-me como ainda não desencantou do seu baú os números do PREC da Mundo da Canção nos quais se classificava a música entre fascista e social-democrata à bruta e à canzana. Poe exempl os Pink Floyd era social-democratas.

josé disse...

Estão cá todos os números do M.C. Mas não têm essa classificação. Tem pior que isso porque em 1974 o Correia da Fonseca, um comunista como deve ser um ( i.e. estalinista) começou a usar a revista para a luta política partidária.

Por isso lá chegarei.

ricardo jorge disse...

Boa Noite.

Uma ligação para este post em:

http://editora-afrodite.blogspot.com/

Parabéns pelo Porta da Loja.

Cumprimentos

Ricardo Jorge

O juiz do mecanismo ligado ao PS...