quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Um requisitório contra o acacianismo

Tirado daqui:

Vítor Bento, economista, presidente da SIBS e Conselheiro de Estado do Presidente da República garante que a única forma de conseguir financiamento é mesmo fazendo os sacrifícios que são pedidos.
[...]
Cavaco Silva sinalizou que o seu entendimento é que o corte dos subsídios de Natal e de férias, em exclusivo para a Função Pública e pensionistas, traduz uma violação ao princípio da equidade consagrado na Constituição Portuguesa.

O Presidente da República mostrou também ter dúvidas sobre o princípio da protecção da confiança, igualmente consagrado na Lei Fundamental, ao revelar preocupação quanto à admissibilidade da amplitude da redução de rendimento que estas medidas provocarão, já que, para 2012, o Governo reconduz também o corte médio de 5% nos salários mensais do sector público — in Jornal de Negócios (19-10-2011).

Cavaco Silva, que esteve muito caladinho durante o consulado pirata de José Sócrates, deixando-o culminar o processo de contínuo desfalque do país, nomeadamente permitindo que o anterior governo concretizasse esses verdadeiros crimes económicos em que se transformaram as PPP rodoviárias e hospitalares, as SCUT do lunático Cravinho, as barragens do cabotino Mexia, Jorge Coelho e Sócrates (e respectivos acólitos: Paulo Campos e Carlos Zorrinho), e ainda as tropelias do BES e da TAP em volta da PGA, já para não falar das centenas de milhões de euros pagos às consultoras e gabinetes de advogados corruptos do Bloco Central, nomeadamente para empurrar o embuste da Ota para o embuste de Alcochete, ou fantasiar sobre, e depois construir, um aeroporto às moscas em Beja, ou ainda negociar os contratos leoninos que conduziram à falência das Estradas de Portugal, ou colocaram todos os portugueses e as suas empresas a desembolsar mais de 2,5 mil milhões de euros (duas pontes Vasco da Gama e meia!) anualmente para alimentar as rendas escandalosas da EDP e o despesismo da RTP/RDP/Lusa. Tudo isto, e ainda os casos de polícia do BPN, BCP e BPP, passou incólume por baixo do nariz do senhor Aníbal Cavaco Silva, presidente de Portugal.

Entretanto, o país está literalmente na bancarrota, e o grande macro economista Aníbal Cavaco Silva, reeleito presidente da República por uma escandalosa minoria dos portugueses, em vez de nos pedir desculpa pela sua óbvia e grande quota-parte de responsabilidade no descalabro financeiro, económico e social do país, resolveu atacar cobardemente o governo de maioria em funções, que não é obviamente culpado da actual situação, suscitando objecções constitucionais sobre temas que nunca, noutras ocasiões, o atrapalharam!

Foi este medíocre professor de economia e finanças quem afinal criou o monstro da administração pública que temos, e quem, ao mesmo tempo, permitiu que medrasssem as condições para o restabelecimento de um regime capitalista burocrático e rentista, retardatário e corrupto, hoje falido, mas que continua a pretender sobreviver a Pão de Ló e Beluga à custa da miséria dos demais.

Aníbal Cavaco Silva, esta mesma miserável criatura de Deus, vem agora ameaçar Pedro Passos Coelho, do alto da sua presidência, com um golpe de Estado, ou pior ainda, com uma insurreição burocrática, a partir do já sugerido uso do veto presidencial, certamente com o apoio dos conjurados conselheiros de Estado capitaneados pelo jornalista-conselheiro Marcelo Rebelo de Sousa. Menos mal que Vítor Bento manifestou e espero que também Ramalho Eanes e Bagão Félix manifestem opinião diferente e não alinhem nesta Brigada do Reumático II.

As alternativa aos cortes temporários de subsídios quais são? Despedir 70 mil funcionários públicos? Atrasar pagamentos como acontece a centenas de milhar de trabalhadores nas empresas privadas? Aumentar o IVA para 25% e mais? Desde quando é que a tarefa de uma rainha de Inglaterra, ainda por cima desterrada em Belém, é governar? Não lhe chegou o monstro que criou quando foi primeiro ministro?

14 comentários:

zazie disse...

O Cerveira Pinto é um escardalho com cabeça.

zazie disse...

E artista...

Um artista escardalho com cabeça- espécie rara.

ehehe

joserui disse...

Sempre saiu melhor que a encomenda o presidente que temos. Este se tivesse vergonha, estava caladinho. Não atrapalhava e já não seria mau. -- JRF

JPRibeiro disse...

Muito bem. Como dizem os brasileiros concordo em género, número, e grau, com tudo o que disse

Carlos disse...

Ao António Maria, que nunca lhe doa as mãos para teclar.

Quanto aos cavaquistas arrependidos, aguentem-se!

Sobre o equilibrio das contas públicas: não é necessário despedir 70.000 funcionários, basta despedir as tribos que nos têm (des)governado. E, estes, não devem chegar à centena.

bruno disse...

Excelente comentário feito sobre cavaco e silva . Este incompetente funcionário publico que sempre foi, que desconhece completamente o que é vida empresaria e a economia real sempre demonstrou o que foi e o que é, um incompetente e medíocre . É o quase analfabeto e inculto do ***não façarei.***. Obviamente ele é presidente votado por uma minoria residual de portugueses incultos e politicamente analfabetos. Triste pais o meu.

lusitânea disse...

O Cavaco pode ter esses pecados todos.Mas o que a situação agora defende não é bem o prometido.O TC tanto dará cobertura ao corte dos subsídios "temporariamente/definitivamente" como à extinção dos postos de trabalho com muito poucos anos de existência em n! instituições criadas para albergar amigalhaços.Afinal tinham tudo preparadinho ou não?

lusitânea disse...

Depois existe aquela coisa de " A lei é igual para todos"

Oscar Maximo disse...

Ia embalado e falou em barragens. Fez mal, nesse particular.

Carlos Ribeiro disse...

Quando os comportamentos passam a ser exagerados e começam a alterar a vida social, lógico se torna pensar que se trata de uma patologia que necessita urgentemente de acompanhamento psíquico, mas, nem todos precisam de tratamento, as pessoas em geral se adaptam ao seu jeito de ser ao natural. É preciso tratamento quando se passa para o nível de desequilíbrio de valores. Nesses casos é aconselhável a terapia.
Aconselho urgente tratamento ao autor deste texto.

Mani Pulite disse...

O QUE SE EXIGE NESTE MOMENTO A CAVACO É QUE DEMITA PINTO MONTEIRO E FAÇA O NECESSÁRIO PARA LEVAR SÓCRATES E CÚMPLICES A JULGAMENTO.

Ruvasa disse...

Hoje estou assim. "Desaustinado". O homem tira-me do sério. Já desde 1989. Mas, a cada dia que passa, agrava-se o desatino.

Será "Alz" qualquer coisa?

Aí fica também o desabafo no FB:

"26 ANOS DE HABILIDADES POLÍTICAS DE SEXA CHEGAM !!!

Depois das declarações de hoje, para mostrar ser homem coerente, Cavaco Silva só tem duas saídas dignas e comprovativas, perante o País, de que é pessoa consequente e em quem se pode minimamente confiar:

1. - Suscita a inconstitucionalidade da Lei do Orçamento para 2012, junto do TC;

2. - Nem isso faz e corta já o mal pela raiz, vetando o Orçamento.

Depois, sai das suas tamanquinhas e passa a cuidar do país que daí resultar.

Isto, sim, era de homem!"

Caramba, que não há back side que aguente!

Ruvasa disse...

Mas ali há concertação. A amiga doi pêto, MFLeite, desatinou também a desbocar-se, parecendo cumprir instruções.

Mas nela, o caso contém outros cambiantes, por certo. Quem é que autorizou o PPC a ser jovem e a ter uma figura agradável?

Isso faz-se?!

Anónimo disse...

Outra que vai direitinha para o foro criminal é a "aula de sapiência" ontem dada por teixeira dos santos. Toda ela parece ser uma grande tentativa de o ministro se desmarcar do que fizerem ao país, na forma de uma espécie de epopeia trágica a que Portugal e o pobre PS foram submetidos pelo exterior. O que torna o caso em criminal é que se aquilo foi mesmo assim, então como é que andaram a desbaratar milhares de milhões em contratos escandalosos que nos oneram por décadas, a oferecer computadores Toshiba a 150 euros, a subsidiar produção eléctrica eólica completamente desastrosa, a oferecer magalhães e a construir aeroportos para os quais não há clientes? Como é que conseguiram que mais de 50% do valor de um conta da EDP não corresponda a electricidade consumida sem que nada lhes aconteça? E a subsidiar as empresas de comunicações com uma "agenda digital" de 2500 milhões? E que tal os carros eléctricos como o do então PM, cuja bateria de substituição se diz custar 18.000 euros?

Desta vez é "crime violento"...