Páginas

terça-feira, 24 de abril de 2012

Garcia dos Santos: porque é que é o miltar do 25 de Abril que prefiro


Entrevista de Garcia dos Santos ao i de hoje.
Sobre Cavaco Silva...

Jornal i- Mas o actual Presidente da República…


Garcia dos Santos-Não me fale desse gajo! Não me fale nesse gajo!
Jornal i-Mas houve uma altura em que houve pessoas que acreditaram que ele podia ser esse salvador…
Garcia dos Santos-Mas quem é que acredita nesse senhor?

Jornal i-Alguns desses valores costumam ser associados a Cavaco Silva…

Garcia dos Santos- As falhas! As falhas! Ele acabou com as pescas, acabou com o mar, acabou com a agricultura! E agora é o defensor dessas coisas todas. Veja a contradição da pessoa! É licenciado em economia, foi ministro, foi primeiro-ministro. E o que é que ele fez? Destruiu tudo isto! Toda a situação em que estamos hoje nasce com ele. E ele nesta altura em que devia ter uma atitude firme, dar dois murros na mesa, dizer “o país está primeiro que tudo o resto, acabaram as querelas partidárias, vamos pôr o país a funcionar”. Que é que ele faz? Zero! Julgo que ninguém tem argumentos para contrapor a isto que eu estou a dizer. O Presidente da República é o primeiro responsável por isto tudo e não faz nada para que isto se corrija.

Jornal i-Mas o Presidente não tem muitos poderes…

Garcia dos Santos- Tem todos os poderes! Tem a bomba atómica, que é a dissolução da Assembleia da República, mas não é preciso ir aí. Fui cinco anos chefe da Casa Militar do Presidente da República, sei muito bem como era o ambiente naquela casa e como se viviam estas coisas todas. Se fosse preciso dar dois murros em cima da mesa, o Eanes dava. E punha o dedo no nariz daquela gente! Este gajo não põe, de certeza absoluta! E ainda por cima é um pateta que tem medo de tudo.

Jornal i-Uma coisa é não conseguir parar determinados fenómenos, outra é beneficiar deles. Quando critica Cavaco Silva é por não ter conseguido enfrentar determinadas situações?
Garcia dos Santos- Claro! Não conseguiu porque não é capaz.

Nota: repare-se na imagem tirada ao i: mostra o general numa dependência de uma casa modesta, um apartamento com caixilharia em alumínio e persianas que denotam uns bons anos de uso.
Compare-se com as moradias de certos figurões do regime que enriqueceram sabe-se lá como ( até se sabe, só que as tais provas...) ou com as de figurões da política que ocupam cargos de relevo.

14 comentários:

Floribundus disse...

mais um desiludido do buraco em que nos ajudou a meter
'quem estiver limpo atire a 1ª pedra'

o meu amigo que era chefe de gabinete do PM em 28 de Maio pôs gravata preta nesse dia e foi com ela para a cova no tempo de guterrez

amanhã é dia DE LUTO PESADO

Kaiser Soze disse...

Não me parece passível de discussão o que é dito sobre o PR.
Mas, verdade seja dita, por estes dias o que me tem preocupado mais é a Le Pen e os seus 20%...

Carlos disse...

Honra e Glória para todos os Homens e Mulheres de Abril!

Gostaria ainda, aqui recordar: o carácter e a coragem de Salgueiro Maia; o Canto e as Armas na voz límpida do Adriano C. de Oliveira; a coerência de vida do Homem que avisava a malta (Zeca), etc., etc..

Quanto ao pateta referido no "post", está tudo dito. Embora continuemos a pagar a sua perspicácia de investidor, assessorado por um bando de ladrões.

Karocha disse...

Já somos dois José!

mujahedin مجاهدين disse...

Ó Carolus, poupe-nos vá...

Honra talvez alguns a tenham, como eventualmente o do postal em questão.

Agora glória não vejo onde está nem de onde poderia advir... Se, por um lado, o objectivo deles era criar uma sociedade melhor, mais justa, mais próspera e mais livre - na plena acepção da palavra, o que pressupõe liberdade para se ser tudo aquilo que se for capaz de ser; então falharam. A sociedade de hoje não é mais próspera, nem mais justa e é muito questionável se é ou não mais livre. Por aqui não vejo nenhum feito glorioso. Poder-se-ia argumentar que existe glória na intenção, mas se a intenção era essa então foi tão mal planeada e executada a obra, no que respeita às consequências, que não há glória possível que daí se possa obter.

Se, por outro, o objectivo era um mais mesquinho e tinha que ver com reivindicações corporativistas, então não há glória alguma porquanto esta é o oposto absoluto da mesquinhez.

Flash Gordo disse...

Como escrevi aqui há dias: "Cavaco Silva até tem medo dele próprio, e tem razões para isso"

Vivendi disse...

A confusão de Cavaco e de outros tantos vem daqui:


O Índice de Desenvolvimento Humano é calculado pela ONU há mais de 3 décadas. Em 1975, no final da longa noite fascista e no alvorecer da democracia, Portugal era o 23.º país com melhor índice. Trinta anos de Estado Social depois, em 2005, era o 29.º. Trinta e cinco anos de Estado Social depois, em 2010, era o 40.º

O que é engraçado é que se chega cada vez mais a conclusão que Salazar era mais “liberal” e ao mesmo tempo mais “socialista” que muitos que por aí andam!

Ter os indicadores económicos e acumulação de ouro era o sonho de um qualquer liberal e uma escola em cada aldeia o sonho de um qualquer socialista, tudo isto Salazar conseguiu.

mujahedin مجاهدين disse...

Ó Vivendi, então V. não vê que isso não interessa nada, porque não havia "liberdade"?

Agora V. é livre! É "livre" de não receber 13º e 14º meses como é "livre" de pagar dos impostos mais altos da Europa; é "livre" de não ter reforma como é "livre" de ter de pagar segurança social na mesma. É "livre" de pagar abortos seja a quem for, e de pagar taxa moderadora quando for para si. É "livre" de pagar para os seus filhos terem uma educação medíocre ou "livre" de pagar para terem uma educação de merda. Tanta "liberdade"!

Também é livre de dizer todas as parvoíces que entender, contanto... que sejam "políticamente correctas", claro!

Eu só gostava que explicassem - quando trouxeram a "liberdade", o que é que fizeram ao resto?

Colmeal disse...

Tem razão José, este Homem prova a sua verticalidade e como tal apresenta os "sinais exteriores de honestidade" que referiu. Tivesse ele uma coluna vertebral mais maleável e teria residência(s) e veículo(s) topo de gama e em locais com nomes mais sonantes.

OFF-TOPIC

Acho vergonhoso e até imoral que a RTP vá passar esta reportagem na RTP2 e de madrugada como afirma o jornal Público.

RTP mostra a teia política e económica d'Os Donos de Portugal

Karocha disse...

Colmeal
Estou a tentar grava-la on line!

Karocha disse...

Colmeal
O meu rapaz é o máximo :-)

Vivendi disse...

Karocha,

Vai ficar aqui disponível o filme:

http://www.donosdeportugal.net/

Karocha disse...

Obrigada Vivendi!
De qualquer forma já está pronto para gravar :-)

Karocha disse...

Também gravei Vivendi,mas o seu está magnifico :-)