sábado, 7 de abril de 2012

Vital, o defensor oficioso de Sócrates

Vital Moreira, hoje no i, sobre José Sócrates:

"O engenheiro Sócrates, depois de sair, adoptou uma atitude de reserva e de prudência que só o dignifica. Não tem entrado na guerrilha que lhe têm movido. (...) Imagino, perante os ataques de que tem sido alvo, a paciência e a resistência, até moral, com que ele tem encarado esta situação. e isso só o dignifica."

Vital Moreira é professor universitário praticamente desde o 25 de Abril de 1974. De Direito, Ciência Política e Constitucional, na Universidade de Coimbra, então a mais prestigiada do país. Vital Moreira avaliou, examinou, leccionou e percebe o funcionamento regular de uma universidade exigente e de qualidade. Co-anotou a Constituição que aliás ajudou a redigir quando ainda era comunista de alma e coração, defendendo um estalinismo objectivo e sem concessões.

Vital Moreira, que não é estúpido, percebe perfeitamente que a licenciatura que José Sócrates obteve na UnI é uma fraude, uma vergonha completa e só isso devia afastar qualquer pessoa de um percurso político de vulto. Mas não se dá por achado nessa pouca-vergonha. Provavelmente, acerca de Armando Vara, também um licenciado por essa universidade, deve ter opinião muito elevada e de posição correcta.

Desde 1995 que Vital Moreira é um dos 100 nomes do PS. Poderia fazer quase tudo o que entendesse na política. Preferiu ser membro das comissões de remuneração de empresas públicas, num percurso paralelo ao do seu antigo camarada de partido Pina Moura ( o qual, aliás também já elogiou este governo que está). Vital, hoje no i já diz que "as coisas não estão a sair mal ao governo". Sintomático. Aparentemente incrível, dado o estilo, mas perfeitamente compreensível.
Quem lhe arranjou tachos depois de 2005? José Sócrates e a entourage do PS que manda, evidentemente. Tachos são empregos, sinecuras, privilégios pessoais daí decorrentes e que permitem a Vital Moreira, à semelhança de outros políticos dos "100 mais", alavancar um ordenado de professor universitário ou deputado ou qualquer coisa ligada à função pública a que Vital esteve sempre umbilicalmente ligado.

Por que razão iria dizer mal daquele de quem foi apaniguado? Apaniguado é expressão forte? Só mesmo para quem ache que foi a superior categoria intelectual de Vital o motivo fundamental para o status que ostenta.

11 comentários:

Neo disse...

Aquela coisa horrível,semelhante à múmia de Ramsés II,mas pior conservada,ouvia canções de 78,em 1975.
Este artista dá-lhe mais para o fado,a saudade.
Saudade do "engenheiro".

Miguel M. Ferreira disse...

Este rapaz também deu umas aulas de Administrativo...e das minhas recordações era um péssimo pedagogo (embora lhe reconheça mérito na escrita).

Mani Pulite disse...

O Papagaio Vital está-se a fazer ao piso,perdão, ao tacho.

ferreira disse...

A este Vital Sassoon so ha uma coisa a invejar: o cabelo.
Ouvi dizer que o segredo e' o estrume por baixo.

Anónimo disse...

Vital moreira deveria ver a reportagem de 1h40 que ontem passou na TVI sobre as últimas horas antes do pedido de resgate. A peça retrata um homem, chamado José Sócrates, que aparece a comunicar ao país que o seu Governo tomou a decisão de pedir ajuda internacional. Como Vital Moreira poderá ver na peça, até aí José Sócrates mentiu descaradamente ao país e sem pingo de vergonha na cara. Não só não foi o Governo por ele presidido quem pediu ajuda internacional, como ele foi circundado, desconsiderado por incapacidade, por motivos que têm a ver com a sua cegueira e teimosia, que levou os outros intervenientes a percepcionarem que ele nem se encontraria num estado susceptível, sequer, de perceber o que se estava a passar e o estado a que conduziu o país. Sócrates queria, de facto, mais dinheiro dos bancos para as empresas públicas, ao mesm tempo que anunciava programas de apoio às empresas. Sócrates estava fechado num mundo que só existia na cabeça dele e para o qual queria arrastar toda uma nação. Chegou-se ao ponto de o PM saber da notícia por um jornal online, que soube primeiro. Este vídeo é parte integrante da história de Portugal e deve, como outros documentos, ser preservado como tal, para que não se perca a memório do que foi e é José Sócrates e o Partido Socialista.

A reportagem está aqui:
http://www.tvi.iol.pt/videos/13606820

Mas se Vital Moreira quiser, pode ainda consultar as palavras escritas por um socialista no Público em 2005, a propósito do título detido pelo mesmo estudante.

lusitânea disse...

O delfim do Álvaro Cunhal censurou o maior feito do "seu" PS:a Lei da Nacionalidade que acelerou n! a "queda" do Estado Social agora mantido pela máxima: "os ricos que paguem a crise"Ricos que começam logo nos 600 euros/mês...

lusitânea disse...

Mas vêm por aí alguma sumidade jornaleira ou comentadora falar dos "custos da democracia"?Pá manter o riquíssimo enquadramento dos "eleitos", seus assessores, aos montes, as 5 "organizações" partidárias por conta do erário e os tachos em geral só isso dava para "derrubar" a nação.Não satisfeitos e achando-se potenciais Napoleões derrubaram fronteiras extra-comunitárias e entraram numa de sobado por nossa conta.Faliram mas com estilo...

lusitânea disse...

As consequências essas ainda estão por determinar.Sim porque de jogadores de lerpa pouco se pode esperar...

hajapachorra disse...

Admito que pessoas decentes podem ter alguma pena de um badameco como o eng Pinto de Sousa - conheço algumas, agora em relação a este traste só o desprezo universal se pode aceitar. Quando o vejo lembro-me sempre daquele filho da puta que no Doutor Jivago andava de comboio pela Rússia fora a fusilar seres humanos. Vital no Cambodja seria Khmer vermelho, na China ou u no Irão seria guarda revolucionário, no Portugal do séc. XVII seria familiar do santo ofício. Sócrates, coitado, em qualquer caso seria sempre sócrates, um patarata pervertido.

hajapachorra disse...

admito que possam, porra.

cineticum disse...

Tenho dois filhos, uma a entrar para Universidade e outro um pouco mais longe. Pela primeira vez na vida em Democracia tenho medo de lhes não poder dar, com o meu vencimento de Juiz Desembargador, o que o meu Pai, operário, me deu com o seu. E vejo-me frequentemente com vontade de chorar. Acredi~to na Democracia. Bem, pouco, muito pouco. Mas a verdade é esta: leio muito sobre a Antiguidade Clássica e cada vez percebo mais o meu desencanto.

O Sindicato do MºPº honra o MºPº