quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

O inquérito que se exige

Lisboa, 15 Jan (Lusa) - O advogado que representa a Casa Pia no processo de abusos sexuais afirmou hoje que as vítimas gostariam de ver um inquérito parlamentar para averiguar "influências políticas" na investigação que alegadamente livraram vários nomes de ir a julgamento.
"As vítimas também gostariam de ver um inquérito parlamentar para averiguar as influências políticas no inquérito e na investigação que levaram à não pronúncia de algumas pessoas", afirmou Miguel Matias, em declarações à Agência Lusa, quando instado a comentar o pedido de inquérito parlamentar feito quarta-feira pela defesa de Carlos Cruz.
Exactamente. Este inquérito parlamentar é que urge e só não se fez, porque a Cooperativa está toda lá dentro. Do Parlamento, entenda-se.
Este inquérito parlamentar é que poderia esclarecer quem anunciou a ida do juiz de instrução ao Parlamento; quem andou sempre a minar o Inquérito; quem manipulou certas informações; quem telefonou a quem, para dizer o quê e porquê; quem ajudou os políticos envolvidos, do PS; quem fez tudo para correr com o PGR Souto Moura, que não dava qualquer garantia de evitar terramotos políticos de grau máximo na escala da pouca-vergonha; quem fez romagens a S.Bentinho milagroso para parar a investigação que se anunciava perigosa para os cargos e vidinha confortável; quem nomeou quem para certos lugares, para restringir danos; o papel do iscte; o papel de certas pessoas, de certos lugares, etc etc etc.
Este inquério parlamentar, sim. Impõe-se, tarda e só se fará, se o sistema e a Cooperativa implodirem, como na Itália.
Até lá, temos a SIC. Sic.

2 comentários:

lusitânea disse...

Andei em escalas anos e anos.Por isso sempre achei estranho ouvir falar que "por escala" o processo x ia sempre parar ao juiz Y.Ainda por cima com agrado "geral"...

KILAS disse...

Sem pretender dizer nenhuma novidade, a lei é igual para todos mas há uns mais iguais do que outros....

Enquanto o poder judicial não tiver autonomia financeira e andar às sopas dos restantes poderes, legislativo e executivo, jamais haverá imparcialidade total na decisão.
E mais, como dentro do poder judicial há sp alguém em bicos de pés para ser chamado para uma comissãozita..., então aí é que de certeza que a lei não é mesmo igual para todos...

Finalmente e como tenho dito várias vezes, a Justiça que hoje temos só existe para o pilha-galinhas... todas as alterações recentes, quer penais quer do processo penal, vieram proteger apenas os poderosos...
Estes estão acima da lei...

O que mais me choca ao fim de mais de 20 anos na Justiça é ver o miserável que comete um roubo apanhar x anos de prisão efectiva e, em contrapartida, certos canalhas - pedófilos, corruptos, tráfico de influências, etc. -, dizerem-se inocentes, demonstrarem um total sentimento de impunidade e, alguns deles ainda receberem ou virem a receber chorudas indemnizações à custa dos nossos impostos...

Não me admiraria nada que um destes dias volte a " vindicta privada "...